Retrospectiva 2019 - Rafael Perassoli

2012 | 2013 | 2014 | 2015 | 2016 | 2017 | 2018 | 2019


10 Melhores séries vistas em 2019


* 3 episódios pelo menos

10 Piores séries vistas em 2019


* 3 episódios pelo menos

Maratonas/Séries mais assistidas em 2019


* Este dado pode conter falhas para novos usuários do site pois também conta as séries que você marcou inteira como vista este ano.

Badges Desbloqueados em 2019 (12)


Series adicionadas na grade em 2019 (16)


Series Finalizadas em 2019 (13)


Series abandondas em 2019 ()


Comentários mais curtidos

Chernobyl - 1x3 - Open Wide, O Earth (408 curtidas)
Apesar da adição de personagens fictícias e diálogos que certamente nunca aconteceram, os fatos históricos de toda a operação para conter a radiação de Chernobyl vem sendo retratados de uma maneira bem fiel e isso me agrada muito. Eu tinha boas expectativas para essa minissérie e elas estão sendo facilmente superadas a cada episódio. Que agonia ver os bombeiros naquele estado. Morte por contaminação por radiação é algo terrível e esse episódio retrata isso de uma forma muito real. Um indivíduo pode sofrer contaminação radioativa de duas formas: ao ter contato físico com um material contaminado ou ser irradiado por ondas/partículas de radiação dispersas no ar. Os bombeiros foram contaminados das duas formas e por isso definharam rapidamente. Além de eles serem irradiados diretamente na fonte (o reator explodido), tiveram que remover os blocos de grafites e outros destroços da explosão para chegar até o reator. Já os moradores de Pripyat e boa parte da Europa foram irradiados pela nuvem radioativa de Chernobyl. Por conta do que comentei acima, fiquei agoniado ao ver a Lyudmilla teimando em ficar naquele hospital e tocando o marido contaminado, ainda mais depois da revelação de que ela estava grávida. Me dá calafrios só de pensar nas consequências de tudo isso para o bebê. Radiações (principalmente as de raio gama) tem o poder de alterar o nosso DNA e tais anomalias genéticas podem ser passadas de geração para geração. Apesar de todos os esforços na operação de descontaminação de Chernobyl, a população atingida pelos altos níveis de radiação sofreu e ainda sofre uma série de enfermidades. Além disso, os descendentes dos atingidos apresentam uma grande incidência de problemas congênitos e anomalias genéticas. Mesmo passado mais de 30 anos do acidente, as consequências do mesmo são sentidas até hoje e provavelmente serão por muitas décadas antes do quadro apresentar uma melhora significativa. É fato que uma grande parte do material radioativo liberado por Chernobyl já não representa uma ameaça tão grande, mas o perigo agora é representado pelo isótopo césio-137, que persiste por mais tempo no solo e também acaba sendo carregado pelo vento, o que contamina vegetações que são consumidas por vacas. Por conta disso, uma das problemáticas muito discutida atualmente é a do leite produzido com altos níveis de radiação na Ucrânia, com leituras de radioatividade 5 vezes maiores do que o limite imposto pelo governo para adultos e cerca de 15 para crianças. Se isso já é pavoroso, agora imagine como tudo teria sido infinitamente pior se a plataforma de concreto que comportava o reator tivesse cedido e contaminado o lençol freático abaixo dele. Por falar em Césio-137, uma curiosidade: esse isótopo foi o responsável pelo maior acidente radioativo no Brasil. Um ano depois do acidente de Chernobyl, dois catadores de materiais recicláveis da cidade de Goiânia encontraram um aparelho de radioterapia numa clínica abandonada e levaram para casa com a finalidade de vendê-la para um ferro velho e faturar com a venda do metal e chumbo da máquina. Assim fizeram e no ferro velho, a máquina foi desmontada pelo proprietário que se "encantou" com uma cápsula que havia dentro dela. Nessa cápsula continha césio-147, um pó altamente radioativo e que apresenta luminosidade no escuro. Por conta disso, o material se tornou uma atração para a família dele e amigos. Porém, esse ato fez centenas de vítimas, todas contaminadas por radiações emitidas pelo césio-137. A primeira pessoa a morrer foi uma menina de 6 anos, que se tornou o "símbolo" da tragédia.
Chernobyl - 1x2 - Please Remain Calm (405 curtidas)
Que aula maravilhosa foi esse episódio. Adorei a forma como explicaram tantas coisas de uma forma bem didática para situar todo mundo direitinho do que realmente estava acontecendo. Gostaria de acrescentar algumas coisas de uma maneira simplificada para que a experiência pós-episódio de quem é leigo no assunto seja um pouco mais além. Bom, basicamente, o núcleo de um átomo é composto por prótons que possuem cargas positivas e nêutrons, que como o próprio nome já sugere, não tem carga (são neutros). Cargas iguais se repelem e para manter todos os prótons juntos dentro do núcleo, são necessários os nêutrons ali entre essas cargas positivas, aliviando assim a força de repulsão característica dos átomos pesados (aqueles que tem uma massa muito alta). Na eletrosfera do átomo, encontram-se os elétrons que possuem cargas negativas, mas que não são relevantes numa fissão nuclear, pois não fazem parte do núcleo atômico. Átomos como o de urânio-235 tem uma massa bastante alta e são instáveis justamente por conta disso, pois a força de repulsão das cargas positivas é muito forte dentro do núcleo. Para ter uma visão disso, imagine todas essas cargas se repelindo fortemente assim como ímãs quando se quebram e tentamos juntar os pedaços. Por isso, o núcleo é instável e tende a se "desintegrar" para gerar núcleos de elementos mais leves e estáveis. A fissão do urânio-235 acontece quando o núcleo desse elemento recebe um nêutron, o que desconfigura toda a estrutura atômica original do elemento. Essa reação é conhecida como decaimento radioativo. Como consequência dessa "visita" indesejada do nêutron, o núcleo do 235U se quebra, formando núcleos de elementos mais leves (massas menores), como bário e criptônio. Com isso, a reação também libera uma quantidade monstruosa de energia e radiação e mais 3 nêutrons que irão se chocar com outros núcleos de 235U, gerando assim a chamada reação em cadeia. Dentro de um reator nuclear, essa reação em cadeia é controlada por moderadores de nêutrons, que os capturam durante a liberação dos mesmos. Se a quantidade de nêutrons é controlada, menos deles irão se chocar com outros átomos de urânios, moderando assim a reação em cadeia. Nos reatores mais antigos como os da usina de Chernobyl, os moderadores de nêutrons continham placas de grafite e por conta disso, a descoberta de blocos desse material no pátio da usina após o incidente era um grande indicativo de que o núcleo do reator estava exposto e a única forma disso acontecer seria por conta de uma explosão, algo inimaginável até então. O princípio da fissão de uma bomba atômica é o mesmo, com a diferença de que na bomba não há um moderador de nêutrons e assim a reação em cadeia é completamente descontrolada. Quando o reator de Chernobyl explodiu, não havia mais nada ali que pudesse controlar a reação em cadeia que continuou acontecendo freneticamente e liberando radiação que além de ser carregada pelo vento, penetrava tudo o que estava ao alcance dela, modificando estruturas atômicas, inclusive as biológicas.
Chernobyl - 1x5 - Vichnaya Pamyat (380 curtidas)
Caramba, estou sem palavras (mentira, tenho muitas, haha) para descrever o que foi esse episódio e essa produção como um todo. Desenvolveram em apenas 5 episódios o que muitas séries não conseguem fazer em várias temporadas: riqueza de detalhes, informações e fatos históricos e construção da história e das personagens. Essa minissérie é sem dúvida o material mais bem elaborado que eu já assisti sobre o acidente nuclear de Chernobyl e olha que eu já vi muitos. Acredito que a série conseguiu entreter até quem é leigo no assunto de radioatividade. Sei que o tema é complexo, mas a série foi bem cuidadosa na tentativa de situar o público de uma forma bastante didática e interessante. A cena inicial do episódio mostrando a rotina dos moradores de Pripyat foi de uma sensibilidade sem igual. Pripyat era uma cidade próspera na época e acredito que isso foi muito bem retratado nessa cena, causando um contraste com a cena final, já com a cidade completamente abandonada. É impossível não se comover com a história daquele lugar e pessoas, vítimas das terríveis consequências daquele acidente nuclear e das negligências do Estado ao lidar com a situação. Acredito que por isso, a história de Chernobyl desperta curiosidade, fascínio e assombro em muitos. É uma história atemporal sobre a busca do ser humano pelo entendimento e domínio das ciências e o complexo de Deus proveniente disso. O bicho Homem sempre busca mostrar a superioridade e o poder dele sobre outros usando a ciência. A energia nuclear era um troféu para os soviéticos, assim como as bombas atômicas lançadas em Hiroshima e Nagasaki foram para os americanos. Tudo isso ilustra muito o que ouvi de um professor quando ele falava sobre Chernobyl certa vez: “O Homem é muito mais perigoso do que a radioatividade em si”. Ou seja, quando o ser humano acredita que o conhecimento dele é maior do que a ciência que ele manuseia, histórias como a de Chernobyl acontecem. Infelizmente, é comum as pessoas relacionarem Química com algo ruim, mas ela não é. O complexo de Deus da raça humana é. Se analisarmos as piores tragédias do mundo, o ser humano é o elemento propulsor de cada uma delas, exatamente por não respeitar a natureza daquilo que ele acredita ter controle absoluto sobre. A constante dos acidentes de Chernobyl e com o Césio-137 em Goiânia não é a radioatividade. Em Física, aprendemos que toda ação resulta em uma reação e aqui vimos claramente essa lei de Newton se desenhar na prática, com todas as ações tomadas acerca do teste no reator 4 resultando numa terrível reação: a explosão do mesmo. No primeiro episódio, me causou estranhamento a decisão de começarem a série com o acidente sem apresentarem os fatos que levaram até ali, mas a série estava guardando esse momento para o último episódio e que aula, meus amigos. A forma como casaram as cenas do julgamento com as ocorridas nas últimas 12 horas antes da explosão até aquele momento em si foi incrível. Quando o reator explodiu, eu já estava estático. Shcherbina e Legasov brilharam e todos os dilemas e frases deles foram muito bem colocados aqui. O diálogo confidencial entre os dois foi um deleite. O único ponto que eu achei que não foi tão bem trabalhado na série foi a resolução do trabalho dos mineiros. Como a série nos mostrou anteriormente, as altas temperaturas dentro do reator exposto fizeram com que a areia, argila e chumbo jogadas sobre ele atingissem os seus respectivos pontos de fusão, o que produziu uma enorme lava radioativa cuja massa poderia romper a estrutura do reator e causar uma contaminação de proporções ainda mais catastróficas. Achei que poderiam ter mostrado ou talvez apenas comentado um pouco mais sobre essa lava, que foi responsável por gerar o material mais perigoso do mundo, que hoje é conhecido como pata de elefante, por conta da similaridade com uma pata do animal. Caso queiram saber mais sobre isso, procurem por “pata de elefante Chernobyl” ou “medusa nuclear” no Google. A proximidade de um ser humano com essa massa pode matar quase que instantaneamente, tamanha a quantidade de radiação liberada por ela. Como resultado de todos os esforços para isolar o reator 4 naquela época foi criado um sarcófago que em poucos anos começou a se deteriorar e no fim, calculou-se que a vida útil dele seria de apenas 30 anos. O trabalho dos mineiros de carvão não foi apenas para conter a lava radioativa, mas também era uma parte essencial do projeto de isolamento do reator. Por conta da rápida deterioração do sarcófago, foi construído uma outra estrutura móvel que selaria de vez o reator. A instalação do novo sarcógafo foi transmitida ao vivo no ano de 2016. Estipula-se que ele terá uma vida útil de 100 anos, ou seja, Chernobyl deixará o seu legado para incontáveis gerações que terão que trabalhar arduamente para manter o local seguro e livre de riscos. Enfim, Chernobyl foi uma grata surpresa e espero ver mais produções como essa na TV. Deu gosto de acompanhar. Além de ter sido uma verdadeira aula, foi um exemplo de que boas histórias podem ser contadas em poucos episódios. E agradeço ao pessoal que curtiu os meus comentários durante a série e me incentivou a continuar escrevendo. Valeu!
Chernobyl - 1x4 - The Happiness of All Mankind (362 curtidas)
E mais uma vez Chernobyl nos entregou um episódio muito realista e difícil de digerir. Não é à toa que a minissérie se tornou a mais bem avaliada da história do IMDB. Nesse episódio, vimos Legasov falando sobre a radiação gama, enquanto a operação no telhado do reator 4 mostrou na prática o quão perigoso é esse tipo de radiação. Quando o núcleo de um elemento radioativo se desintegra, ele pode emitir 3 tipos de radiação ionizante que são: alfa, beta e gama, cada qual com suas particularidades. Foi cometido um equívoco quando Legasov se referiu à radiação gama como sendo emitida em forma de partículas, pois ao contrário das radiações alfa e beta, a gama não é emitida nessa forma. Ela é na verdade uma onda eletromagnética com alto poder de penetração e é exatamente por isso que é perigosíssima, podendo atravessar todo o corpo humano, causando danos irreparáveis à nossa pele, órgãos internos, núcleos das nossas células e consequentemente, graves mutações genéticas. É por isso que os homens que tiveram o árduo trabalho de remover os blocos de grafite do telhado não podiam ser expostos tanto tempo ali. Em termos de comparação, as partículas da radiação alfa apresentam um poder de penetração bem baixo e por conta disso, dificilmente elas conseguem atravessar uma folha de papel. Essas partículas são emitidas com alta energia, mas a perdem rapidamente quando atingem objetos no caminho delas. Por sua vez, as partículas da radiação beta tem um poder de penetração bem maior, de aproximadamente 50 a 100 vezes mais que as da radiação alfa. Dessa forma, ela atravessa matérias mais finas, podendo ser detidas por uma placa de chumbo de 2mm. Gostei do embate entre as 3 personagens principais sobre como divulgar as informações de tudo o que aconteceu ali, sendo que praticamente tudo sobre aquele acidente foi tratado como segredo de estado. Esse assunto vai ser pauta do último episódio da série e com certeza vai dar muito o que falar e colocar as protagonistas em uma situação complicada. O orgulho e sentimento de superioridade da União Soviética colocou muitas vidas em situações extremas diante da forma que lidaram com as consequências do acidente de Chernobyl. Recentemente, vi um documentário chamado “Chernobyl and Fukushima - The Lesson” onde dizem que comunidades rurais inteiras viveram por muitos anos com um sentimento de abandono sem saberem exatamente as consequências da radiação sobre elas, suas terras e produtos que consumiam. Uma vila da Bielorrússia, por exemplo, foi receber informações à respeito e cuidados depois de 10 anos do acidente nuclear. Ou seja, durante aqueles anos todos, consumiram vegetações, águas e animais contaminados. Por falar em animais, que dó dos bichinhos sendo abatidos por estarem contaminados. Durante muitos anos, não se teve muito registro da vida selvagem na zona de exclusão de Chernobyl. Porém, gradativamente os animais foram voltando para a região e hoje, sem a presença humana por ali, todo aquele território é habitado por cavalos selvagens, lobos, alces etc. Biólogos tem estudado este fenômeno de revitalização animal no local, mas praticamente desconhecem o real estado de saúde dos bichos. De certa forma, eles conseguiram se adaptar às altas doses de radiação que ainda se encontram por ali (principalmente nas florestas infestadas de césio-137), mas consequentemente, são altamente radioativos. A vida sempre encontra um meio, mesmo que em condições não favoráveis.
Dark - 2x1 - Beginnings and Endings (355 curtidas)
Consegui rever a primeira temporada de Dark nessa semana e decidi fazer um resumão para situar aqueles que não se lembram muito dos acontecimentos e não conseguiram rever a temporada inicial. Há muitos vídeos de resumo da temporada por aí, mas a maioria focando nas ligações interpessoais das personagens que são bem complexas. Por isso, decidi escrever basicamente sobre a trama principal. A construção da usina nuclear em Winden começou no ano de 1953 e no verão de 1986, ela já está operando a todo vapor há algum tempo quando um incidente com lixo radioativo libera uma grande quantidade de energia, o que consequentemente cria buracos de minhoca nas cavernas subterrâneas da cidade, possibilitando assim a transição entre passado, presente e futuro, mais especificamente, entre os anos de 1953, 1986 e 2019. Dessa forma, não só o passado influencia o futuro, como o futuro é crucial para os acontecimentos do passado. Trata-se de um conceito de tempo não-linear, onde tudo se conecta num loop temporal que se repete infinitamente. A história começa com o desaparecimento de Mikkel com então 11 anos no dia 04/11/2019, que acaba entrando na caverna e indo parar em 1986. Mikkel tem uma possibilidade de voltar para 2019 quando Jonas descobre os buracos de minhoca e viaja para 1986 para resgatá-lo, mas a versão adulta dele também aparece por ali e o impede para que a própria existência deles seja preservada. Isso porque Mikkel é parte essencial do loop da história, afinal preso em 1986, ele é adotado pela enfermeira Ines e ali permanece, onde conhece Hannah, com que se casa e juntos tem um filho, que é o próprio Jonas Kahnwald. Se o Jonas levasse Mikkel de volta para 2019, o menino jamais conheceria Hannah e assim, Jonas não nasceria, mudando toda a história. Porém, ficou a dúvida se de fato é possível mudar o curso da história, sendo que houveram algumas tentativas por parte de algumas personagens que acabaram causando justamente aquilo que elas estavam querendo evitar. Esse é mesmo conceito de viagem no tempo que a série Lost abordou: “o que aconteceu, aconteceu” e se você tentar mudar algum evento, na verdade acabará sendo a causa do mesmo. Para ilustrar o que comentei acima, temos Ulrich Nielsen, o pai de Mikkel em sua desesperada jornada de encontrar o filho desaparecido e também na busca de entender o que aconteceu com Mads, o irmão mais novo dele que assim como Mikkel, desaparece misteriosamento em Winden, porém no ano de 1986. Além desses dois desaparecimentos, outras duas pessoas também somem na cidade no ano de 2019: o jovem Erik Obendorf e Yasin, o amiguinho da Elizabeth, filha do casal Charlotte e Peter Doppler. Em certo ponto da história, Ulrich descobre que o sogro da Charlotte, Helge Doppler de 1986 é o responsável pelo desaparecimento das crianças. Ele também acaba por descobrir os buracos de minhoca e vai parar em 1953 quando conhece Helge até então com 9 anos. Tentando mudar os acontecimentos, ele atenta contra a vida do menino Helge, acreditando que se ele morrer ali, ele não se tornará a pessoa que rapta os meninos no futuro, os salvando assim do trágico final que tiveram. Porém, Helge não morre e acaba se tornando a pessoa que estava predestinada a ser. Ou seja, Ulrich causou tudo aquilo que pretendia evitar e o loop se manteve intacto. As crianças Mads e Yasin e o jovem Erik são raptadas e aparecem mortos em Winden em anos diferentes: Mads some em 1986 e aparece morto na cidade em 2019 e Erik e Yasin que são de 2019 aparecem mortos na cidade no ano de 1953. Os três foram raptados por Helge de 1986 que transita entre os tempos usando os buracos de minhoca a mando do misterioso Noah. Os meninos são usados como “cobaias” numa tentativa de Noah de criar uma máquina do tempo numa sala que se encontra acima das cavernas de Winden. A energia emitida pelos buracos de minhoca abaixo é usada na tentativa de abrir um portal naquela sala que possibilite viagens no tempo não somente para os anos de 1953, 1986 e 2019. As três tentativas de Noah (cada qual com um dos meninos) não dão certo e os meninos-cobaias morrem, tendo os corpos descartados em tempos diferentes do que nasceram. Outras personagens que tem papel relevante nos mistérios da trama principal são Claudia Tiedemann e H.G. Tannhaus. Ela é filha do policial Egon e mãe de Regina e ele, um construtor de relógios e autor do livro “Uma Jornada Através do Tempo”. Em 1986, Claudia se torna a diretora da usina nuclear e descobre segredos que envolvem o incidente acontecido na usina meses antes da “posse” dela. Em 2019, ela surge bem idosa e essa versão dela faz uma viagem para 1953 onde entrega para H.G. Tannhaus um protótipo de uma máquina chamada Apparatus que segundo Jonas, quando ativada, destruirá os buracos de minhoca. H.G. Tannhaus cria então a Apparatus, mas não consegue fazê-la operacional. Em 1986, ele é visitado por Jonas de 2052 que surge com uma versão do futuro dessa máquina, que por algum motivo não está funcionando. Jonas pede para Tannhaus consertar a máquina que ele trouxe, gerando um paradoxo bem interessante. Isso porque como dito, a máquina que Jonas possui é uma versão do futuro da Apparatus, já concluída. Assim, Tannhaus pôde espelhar essa versão finalizada da máquina para concluir a dele que precisava de alguns retoques e peças extras para funcionar. Sem ter acesso à essa máquina do futuro e assim saber exatamente como ela é, ele não conseguiria finalizar a mesma. A máquina de Jonas não é consertada, mas ele agora tem a versão nova, concluída e operacional da Apparatus, que futuramente, se tornará aquela versão quebrada que ele levou para Tannhaus. O loop continua. Nos é dito que a finalidade da Apparatus é enriquecer a massa do isótopo césio-137 e assim, criar um buraco negro que selará os buracos de minhoca para sempre, quebrando assim o loop temporal. Jonas 2052 recebeu de Claudia as informações sobre a máquina, mas Noah diz que Claudia mentiu para Jonas. Por fim, o Jonas de 2019 volta para 1986 destinado à resgatar Mikkel, mas é raptado por Helge e por Noah no hospital onde está Mikkel em 1986 e colocado na sala onde Noah está tentando fazer a máquina do tempo funcionar. Ali, numa cena incrível, há um novo encontro entre as duas versões de Jonas, onde finalmente Jonas de 2019 descobre que aquele homem que o ajudou antes é na verdade ele mesmo, 33 anos mais velho. Essa versão mais velha do Jonas tenta acalmar o Jonas 2019, pois ele sempre soube que eles teriam aquela conversa, pois já viveu tudo aquilo. Em 1953, Helge criança está na mesma sala após ser atacado por Ulrich e ser deixado lá para morrer. Quando Jonas 2052 ativa a máquina nas cavernas de Winden, um “cogumelo” cobre a cidade de Winden e um buraco de minhoca se abre na sala e Jonas 2019 e Helge 1953 podem se ver através dele. Eles se tocam e então Helge vai parar na mesma sala no ano de 1986 e Jonas viaja para um futuro apocalíptico, onde Winden está destruída. Deu a entender que houve um acidente nuclear e a cidade está contaminada com radiação, assim como ocorreu em Chernobyl. Nesse futuro, Jonas encontra um estranho grupo e leva uma coronhada de uma garota, que diz “Bem vindo ao futuro” para ele. E depois de uma longa espera, esse futuro começará a ser desvendado hoje, 21/06/2019 que para quem não pegou, é a data que Mikkel/Michael se matou.
Dark - 2x5 - Lost and Found (339 curtidas)
"I just can't believe you slept with my husband and my son". hahaha. Tô rindo, mas com respeito.
Chernobyl - 1x1 - 1:23:45 (321 curtidas)
Parece exagero, mas o misto de fascinação e assombro que tenho pela história de Chernobyl me levou à uma graduação em Química. Chernobyl para mim já foi tanto assunto de bar quanto de churrascos de família, com parentes e amigos me zoando pela quantidade de tempo que eu já dediquei à leituras sobre o tema ou na frente do computador vendo filmes e documentários a respeito. Por isso, mais essa produção sobre Chernobyl foi muito bem vinda, ainda mais sendo da HBO. Achei o primeiro episódio bastante acertado e estou bem empolgado para acompanhar o restante dessa história.
Dark - 2x8 - Endings and Beginnings (290 curtidas)
Dos mesmos criadores de "a tia que pegou o sobrinho", vem aí "o padre que pegou a própria neta que deu luz à sogra dele". Eu imaginava que a revelação da mãe da Charlotte seria algo louco e mind-blowing assim e chequei até a cogitar que ela fosse mãe dela mesma, mas o povo de Dark não tá para brincadeira não. A pegação rola num outro nível. Pelo visto, a última temporada abordará realidades paralelas e se assim for, vou gostar muito.

Series assistidas por genero:

Somente levando em conta os principais generos Drama - American Horror Story, Breaking Bad, Doctor Who (2005), Game of Thrones, Hawaii Five-0 (2010), Veronica Mars, The Walking Dead, The Wonder Years, Grey's Anatomy, Black Mirror, Love/Hate, Vikings, The 100, Big Little Lies, 3%, Stranger Things, This Is Us, Legion, 13 Reasons Why, The Good Fight, The OA, The Handmaid's Tale, Mayans M.C., Dear White People, Dark, The Good Doctor, The End of the F***ing World, La Casa de Papel (Netflix), The Rain, Coisa Mais Linda, Sex Education, When They See Us, Chernobyl, Frontera Verde
Comédia - The Big Bang Theory, Friends (1994), The Wonder Years, Rick and Morty, Mr. Pickles, Dear White People, Young Sheldon, The End of the F***ing World, Derry Girls, The Young Offenders, Coisa Mais Linda, Sex Education, Russian Doll, Momma Named Me Sheriff
Mini-Serie - When They See Us, Chernobyl, Frontera Verde
Crime - Breaking Bad, Hawaii Five-0 (2010), Veronica Mars, Big Little Lies, Mayans M.C., La Casa de Papel (Netflix), Frontera Verde
Familia - The Big Bang Theory, Doctor Who (2005), The Wonder Years, Grey's Anatomy, Love/Hate, This Is Us, The Good Fight, Young Sheldon
Ação - Doctor Who (2005), Game of Thrones, Hawaii Five-0 (2010), The Walking Dead, Vikings, The 100, 3%, Legion, Mayans M.C.
Romance - Friends (1994), Grey's Anatomy, Love/Hate, The End of the F***ing World, Coisa Mais Linda, Sex Education
Animação - Rick and Morty, Mr. Pickles, Momma Named Me Sheriff
Aventura - Doctor Who (2005), Game of Thrones, The Walking Dead

Episódios com melhor nota

Friends (1994) - 10x17 - The Last One (1) - 10
Friends (1994) - 10x18 - The Last One (2) - 10
Game of Thrones - 8x3 - The Long Night - 10
The Wonder Years - 2x6 - Pottery Will Get You Nowhere - 10
The Wonder Years - 2x3 - Christmas - 10
The Wonder Years - 3x20 - Goodbye - 10
The Wonder Years - 6x22 - Independence Day (2) - 10
Grey's Anatomy - 15x19 - Silent All These Years - 10
12 Monkeys - 1x1 - Splinter - 10
12 Monkeys - 1x2 - Mentally Divergent - 10
12 Monkeys - 1x3 - Cassandra Complex - 10
12 Monkeys - 1x4 - Atari - 10
12 Monkeys - 1x5 - The Night Room - 10
12 Monkeys - 1x6 - The Red Forest - 10
12 Monkeys - 1x7 - The Keys - 10
12 Monkeys - 1x8 - Yesterday - 10
12 Monkeys - 1x9 - Tomorrow - 10
12 Monkeys - 1x10 - Divine Move - 10
12 Monkeys - 1x11 - Shonin - 10
12 Monkeys - 1x12 - Paradox - 10
Rick and Morty - 3x1 - The Rickshank Rickdemption - 10
Rick and Morty - 2x4 - Total Rickall - 10
Rick and Morty - 2x9 - Look Who's Purging Now - 10
Mayans M.C. - 2x10 - Hunahpu - 10
Dark - 1x10 - Alpha and Omega - 10
Dark - 2x6 - An Endless Cycle - 10
Dark - 2x8 - Endings and Beginnings - 10
Chernobyl - 1x2 - Please Remain Calm - 10
Chernobyl - 1x5 - Vichnaya Pamyat - 10
The Big Bang Theory - 12x24 - The Stockholm Syndrome - 9.5

Episódios com pior nota

The Following - 1x15 - The Final Chapter - 6
The Rain - 2x5 - Keep It Together - 6
Momma Named Me Sheriff - 1x3 - Stuck - 6
Skins (US) - 1x1 - Tony - 5
Skins (US) - 1x2 - Tea - 5
Skins (US) - 1x3 - Chris - 5
Skins (US) - 1x4 - Cadie - 5
Skins (US) - 1x5 - Stanley - 5
Skins (US) - 1x6 - Abbud - 5
Skins (US) - 1x7 - Michelle - 5
Skins (US) - 1x8 - Daisy - 5
Skins (US) - 1x9 - Tina - 5
Skins (US) - 1x10 - Eura / Everyone - 5
Terra Nova - 1x1 - Genesis (1) - 5
Terra Nova - 1x2 - Genesis (2) - 5
Terra Nova - 1x3 - Instinct - 5
Terra Nova - 1x4 - What Remains - 5
Terra Nova - 1x5 - The Runaway - 5
Terra Nova - 1x6 - Bylaw - 5
Terra Nova - 1x7 - Nightfall - 5
Terra Nova - 1x8 - Proof - 5
Terra Nova - 1x9 - Vs. - 5
Terra Nova - 1x10 - Now You See Me - 5
Terra Nova - 1x11 - Within - 5
Terra Nova - 1x12 - Occupation (1) - 5
Terra Nova - 1x13 - Resistance (2) - 5
Game of Thrones - 8x5 - The Bells - 4
Game of Thrones - 8x6 - The Iron Throne - 4
Momma Named Me Sheriff - 1x1 - Hats - 4

Copyright© 2019 Banco de Séries - Todos os direitos reservados
Google+ | Índice de Séries A-Z | Contatos: | DMCA | Privacy Policy
Pedidos de Novas Séries