IMPORTANTE: O Banco de Séries não serve para assistir séries! Somos uma rede social onde os fãs de séries podem controlar os episódios que assistiram, dar notas, comentar, criar sua agenda, saber quando passa o próximo episódio. Somos totalmente contra a pirataria e não disponibilizamos conteúdo que fere direitos autorais.

House, M.D. By Scavo





Episodio 1x1 - Nota 9

Eu gosto muito de séries médicas, não poderia deixar de assistir House e olha, gostei bastante. Esse episódio piloto teve uma abordagem bem mais pro lado médico do que pra vida dos personagens, achei um diferencial interessante.

House é muito sarcástico e eu já adorei. Ele é muito objetivo, sincero, e intrigante. Fala as verdades, doa a quem doer. Aquela cena em que conversa com a paciente professora pela primeira vez foi ótima. Curioso também como ele decidiu não insistir quando ela recusou o tratamento, alegando que tinha solucionado o caso e que o trabalho estava feito. Acho que vou gostar bem mais dele daqui pra frente.

Sobre os outros personagens: estou morto com o cabelo do Jesse Spencer. Como ele era novinho! E Jennifer Morrison, já amei muito como a Dra. Cameron. House dizendo que contratou ela porque é bonita HAHAHAHAHA

Única coisa que eu achei estranho foi o tom alaranjado das cenas. Em um momento em que os médicos debatem o problema da professora, parecia que todo o cenário estava em preto e branco e apenas os personagens com o tom alaranjado por todo o corpo. É de ver se vai ficar assim...

No mais, roteiro muito bem escrito. Acho que fez um bom trabalho com os personagens e seu comportamento no ambiente de trabalho, já que o foco mesmo foi a doença misteriosa da professora. Achei a direção ótima também.

Enfim, curti. Vou continuar com muito gosto.
2016-01-04 22:31:24


Episodio 1x2 - Nota 8.5

Mais um ótimo episódio. Estou gostando bastante desse início de temporada/de série. Acho que estão sabendo desenvolver bem, de forma cativante.

Tem como não gostar do House? Morro com o sarcasmo dele ligado 24 horas. A resposta que deu pra superiora por estar no hospital tarde. O coice que deu na mãe que não permite que a filha seja vacinada. Ele chamando os pais do principal paciente do episódio de “idiotas” na cara dura HAHAHAHAHAHAH. Ele é muito ousado, isso é verdade. Não é todo mundo que permitiria um comportamento desses. Mas é isso que o diferencia e o torna tão fascinante e intrigante. House não é uma coisa com seus internos e outra com os pacientes. Ele é a mesma coisa com todo mundo.

O caso do episódio foi interessante. Fiquei com muita pena do menino por conta da punção lombar dupla. Só posso imaginar a dor e o desconforto de ter uma agulha daquele tamanho enfiada nas costas. Sem falar aquela agulha no olho, né. Do jeito que sou, alguém teria que me manter preso na cama com correntes pra não entrar em pânico e fazer uma loucura.

E o caso do cara de New Jersey... Que cara de pau, ein? O infeliz dando golpes, pode-se dizer que ganha a vida processando médicos, é isso? Já processou todos os hospitais em mais de 120km da casa dele, que loucura. Mas olha, adorei a sambadinha do House, sobre dizer que o homem tem gonorreia, que teria que avisar às autoridades e que a esposa ia descobrir, e que o homem devia procurar um médico pra ter certeza – uma lição e tanto, já que ia ser difícil o cara fazê-lo sem ter que viajar MUUUUUUUUUUITO.

Amando a série.
2016-01-05 19:32:36


Episodio 1x3 - Nota 8.5

Ai meu Deus, que amor o Kevin Zegers fazendo participação! Adorei! Ele é um ator estupendo e veio com um caso interessante pro House tratar. E meu, que agonia isso tudo. Acho bem legal como a série trabalha com essas inúmeras possibilidades de doenças nos diagnósticos que poderiam ser válidas. É uma tensão e uma ansiedade sem tamanho, ver uma pessoa com um problema, a cada hora surgindo uma coisa nova e não poder responder apropriadamente o que está errado.

E no fim, House estava certo, né. A teoria dele estava certa, porque o remédio que o jovem Brandon estava tomando não era mesmo pra tosse – um erro ABSURDO do farmacêutico e que poderia ser fatal. BTW: que horror aquela punção! Mesmo com anestesia local, a dor foi excruciante!!

O paciente do MP3: eu tô MORTO. E o House perguntando os motivos pro cara fazer aquilo HAHAHAHAHAHAHA. Meu Deus, tem louco pra tudo nesse mundo mesmo. UM MP3, CARA! MP3!!! Essas cenas do House na clínica são excelentes para o tom cômico da série. Ele se solta verdadeiramente com esses pacientes, mostrando seu desprezo pra esse tipo de trabalho que não deseja realizar. Ele jogando no celular e o paciente lá esperando, tipo! HAHAHAHAHA

Cameron falando sobre o orgasmo feminino durar uma hora pro Chase: I CAN’T. A cara dele!! HAHAHAHAHA Ainda não comecei a shippar, até porque essa foi a primeira vez que houve um avanço além do profissional na relação – e mais por parte do Chase. Mas foi bonitinho.

A série já me ganhou de vez. Tô amando tudo mesmo!
2016-01-06 20:20:22


Episodio 1x4 - Nota 8.5

Casos com bebês são sempre muito complicados de encarar, né. Fiquei com o coração na mão o tempo todo. Estavam frisando sempre que a condição era séria, que poderia causar a morte, até que aconteceu...

Não consigo descrever o quanto fiquei tocado naquela sequência, da morte do bebê até o momento que as mães ficaram sabendo. Sério, que tristeza. Horrível para um médico dizer, e mais horrível ainda para uma mãe ouvir. Mas fico feliz que os outros tenham sobrevivido.

House me ganha um pouco mais a cada episódio. Amo o sarcasmo, o desconforto, a ironia. Amo tudo nele e como ele não esconde nada de ninguém. É absolutamente sincero e não nega, nem acha que seja um defeito. E sempre é muito perspicaz, né. Uma observação rápida que fez no final e descobriu de onde os bebês pegaram o vírus. Mas te contar, ein. A senhora voluntária sabe que está doente, está tossindo, e continua entregando ursinhos para os bebês??? A administração desse hospital precisa ficar mais atenta! Primeiro foi a cozinheira gripada no piloto, agora isso!

Gostei desse aprofundamento na Cameron, também. Acho que ela perdeu um filho bebê, como o House sugeriu. Acho que ela não teve tempo nem de segurá-lo nos braços – daí a ideia de pedir ajuda aos pais de um dos bebês para trocar os lençóis. Não sei se isso ainda vai ser abordado, talvez fique nas entrelinhas. Fiquei com pena dela. Quero muito saber mais sobre a vida dos personagens. Até agora só sabemos como é a atuação profissional deles.

O caso da clínica foi bem legal também. Achei a mulher divertidíssima! House respondendo não na cara dura e ela sorrindo, toda feliz! E ele questionando em voz alta quem informou onde ficava seu escritório pra ela? HAHAHAHAHAHA Além disso, ainda é aproveitador! Aceitou o pré-natal e o parto só pra assistir na TV naquela cadeira confortável! Como não amar?!
2016-01-07 20:16:01


Episodio 1x5 - Nota 8.5

Aqui, conhecemos um pouquinho mais o Chase. Quando ele disse que não gostava de freiras, eu logo pensei que ele fosse ateu, que não gostasse de se envolver nessas questões religiosas. Fiquei muito surpreso quando ele citou sua passagem favorita da bíblia, e quando parou pra conversar e acalmar a mulher doente. Acho que ele foi um fofo à sua maneira.

Além disso, é sempre interessante quando séries médicas abordam ciência x religião. Acho que isso sempre rende diálogos excelentes no roteiro e você consegue entender com facilidade a visão de cada um e aquilo que acredita. São todos argumentos válidos, digamos.

O caso, aliás, foi ótimo. Tensa essa possibilidade do House ter se enganado, todo mundo acreditando que isso tinha acontecido e tal. Ele não errou no primeiro diagnóstico, né. Mas se tivesse seguido pelo caminho errado, talvez a freira realmente tivesse morrido e aí seria pior. Muito bom ele indo pesquisar sobre a vida dela no convento.

E o que dizer do paciente que teve cigarros como remédio? KKKKKKKK MORRI RINDO. House todo sério e o paciente perguntando se era alguma brincadeira! PQP!

Cameron muito, mas muito adorável! Ela dando presentinho pro House, de Natal! QUE AMOR. Foreman me irritou um pouco, mas ele é perseverante mesmo e isso é bom.

Enfim, ótimo.
2016-01-08 20:30:41


Episodio 1x6 - Nota 8.5

Mais um ótimo episódio, com mais um ótimo caso. Achei muito interessante essa observação do House: os médicos procuram doenças dentro de suas especialidades. Chega a ser impressionante que um problema até então bem simples, que poderia ser resolvido com algumas semanas de tratamento, tenha durado ANOS por conta de vários diagnósticos errados – tirando o fato de a mulher ter câncer, claro.

Falando nisso: tensa a cena da paciente vomitando sangue, ein? Sério, fiquei horrorizado com a quantidade! E o House mandando os médicos usarem etanol pra diminuir o tumor, só pra cirurgia ser realizada e o mesmo removido, me surpreendeu também.

Acho que a mãe deveria ter contado ao Luke que ela tinha ligado pro serviço social. Afinal, os motivos dela foram absolutamente válidos e foi graças à essa atitude que House passou a avaliar a possibilidade da esquizofrenia não fazer parte dela. De qualquer forma, mais uma vez House surpreende ao dizer que mandou a Cuddy entregá-lo. Ele podia muito bem ter falado a verdade e eles que se virassem! HAHA

Cameron muito amorzinho, sempre atenta. Dei risada quando ela falou do aniversário pro House, a reação dele! Como se nem ele mesmo estivesse lembrando disso.

BTW: rindo até agora com o paciente da clínica dando tapas em si mesmo pra curar um SOLUÇO! SOCORRO! HAHAHAHAHA
2016-01-09 19:44:17


Episodio 1x7 - Nota 8.5

Olha, acho que cada um tem sua maneira de lidar com a traição, né. Eu, particularmente, concordei com a Cameron quando o marido disse que não queria que a esposa ficasse melhor. Afinal, era uma situação de vida ou morte, ela poderia realmente sucumbir e achei um comentário bem cruel de se fazer – mesmo entendendo sua raiva, porque não deve ser fácil.

Quanto ao fato da decisão de ir embora, deixando-a pra trás: foi a forma dele de lidar com o que aconteceu. Ele disse que sempre esteve lá pra ela, então saber que ela não esteve lá pra ele uma vez deve ter sido devastador e ele não tinha nenhuma obrigação de aceitar. Sobre a mulher: eu imaginei que tivesse sido um caso com um desconhecido, ou uma pessoa não muito próxima, algo assim. Sei lá, acho que o suposto amor que ela sentia por ele caiu em contradição porque levou o melhor amigo dele pra cama! Tipo!! Mas enfim: todo mundo comete erros, e todo mundo paga um preço por eles. É verdade.

BTW: Dominic Purcell! Saudades Lincoln Burrows! Saudades Prison Break!

Agora o caso: mais uma vez achei muito interessante. Tô adorando que a série tá apresentando doenças nesses primeiros episódios que eu ainda não tinha conhecimento, deixa a narrativa mais rica e ótima de acompanhar.

Fiquei perplexo com o passado revelado da Cameron. E deu muita pena quando House a encontrou chorando. Poxa!

Sobre a clínica: MORTO com a surpresa do House ao ver os seios da paciente HAHAHAHAHAHA
2016-01-11 19:12:20


Episodio 1x8 - Nota 8.5

Até agora não consegui achar nenhum caso desinteressante. Com esse, não foi diferente. Eu acho legal essa luta dos médicos em descobrir o que está matando os pacientes – e pra deixar as coisas um pouco mais “agitadas”, ainda trouxeram outro paciente com os mesmos sintomas do primeiro, mas que aparentemente não se conhecem. Além disso, ainda tivemos uma ótima abordagem em relação aos pais. Enquanto a primeira se mostrou relutante após vários “diagnósticos” que acabaram caindo por terra, os outros seguiram as orientações médicas e não contestaram nada, por acreditar que a equipe realmente conseguiria salvar o filho deles – mesmo eles tendo chegado quando House já tinha iniciado algum tratamento no Matt.

Enfim, eu curti. Gosto da tensão crescente e achei bem legal que nesse episódio, House se viu perto da resposta várias vezes e se frustrou no último segundo – quando, por exemplo, ele foi perguntar aos pais asiáticos sobre o filho ter lavado roupa, acreditando estar bem perto da resposta, e aí... E de fato, fica a lição: sempre lavar as roupas novas antes de usar! HAHAHAHA

Imaginei que o House tinha mandado alguém fingir ser do CDC pra incentivar a mãe a autorizar o tratamento. Foi antiético, mas salvou a vida do menino e isso é o que importa. Ela ficou agradecida. Dei risada com os “arrogant jerks” HAHAHAHAHAHA.

A paciente da clínica foi ótima! Dei risada com o poema que ela escreveu pro House! E os flertes! HAHAHAHAHAHA Até agora só acertaram com esse “núcleo” sendo um alívio cômico para os episódios. Tá muito bom.

House e Foreman com os mesmos sapatos HAHAHAHA
2016-01-12 20:10:24


Episodio 1x9 - Nota 9

Foreman às vezes me deixa muito irritado, porque ele parece ter uma determinação e um prazer gigantesco de dizer e ver o House estando errado e não acho isso legal. Podem reparar que tudo o que House sugere, ele contesta e nem sempre está certo, mas fica cismando. Por outro lado, essa “rivalidade” funciona para a relação dos dois.

As coisas que House disse pra ele foram as mais sensatas possíveis nesse episódio: o médico PRECISA SABER que errou, e assim aprender com esse erro. Não existe isso de “eu dei remédio que causou alergia”, seguido de um “não foi sua culpa”. Foi sim, e achei ótimo House frisar isso. De qualquer forma, no fundo os dois parecem se admirar bastante, já que até se parecem: a teimosia reina. Que bom que preferiu ficar, as chances de aprendizado são mais altas.

O caso foi ótimo, como de costume. Amo o House cismado e determinado a descobrir qualquer que seja a causa do problema. Não fosse isso, talvez o músico não tivesse sobrevivido! E como bônus: saiu do hospital caminhando, coisa que não fazia há dois anos. Adorei paciente e médico falando sobre as bengalas no final HAHAHAHA. Gostei da construção do episódio e do desenvolvido, tornou-o um dos melhores da série até agora. Aliás, destaque para a conversa que House e o músico tiveram sobre vidas solitárias. FODA.

Chase e Cameron < 333

House transferindo o músico pra UTI do segundo andar, só pra ficar longe do trabalho na clínica HAHAHAHAHAHAHA. Como pode?
2016-01-13 19:45:49


Episodio 1x10 - Nota 9

“Histórias”: fiquei muito tocado quando foi revelado o passado da paciente, que protagonizou o caso do episódio. Logo que começaram a mencionar “James”, eu pensei que poderia ser filho dela. Mas imaginei que ela tivesse dado, ou tivesse se afastado dele e perdido totalmente o contato. Alguma coisa do tipo. Quando mostraram que ela tinha uma família e que perdeu marido e filho em um acidente de carro que, ainda por cima, ela estava conduzindo... Impossível segurar as lágrimas.

Foreman começou o episódio me irritando como nunca havia feito antes. Achei o cúmulo do absurdo ele querer dispensar a paciente só por ela ser mendiga, deduzindo que ela estava querendo se aproveitar e etc. Ainda bem que o maravilhoso Wilson persistiu no caso, só é uma pena que os tratamentos tenham sido em vão. Ao menos, Foreman realmente se redimiu ao se solidarizar com a situação e, principalmente, ao se passar pelo Paul pra perdoá-la, no final. Sério, não consegui me segurar.

BTW: House provando o vômito da mulher. Meu Deus!! Eu não teria essa coragem, só o cheiro já me deixa absolutamente enojado.

No mais: adoro o jogo de gato e rato entre House e Cuddy. Ele se afastou da clínica, ela colocou as duas estudantes pra aprenderem com ele HAHAHAHAHA. E a forma como ele trata é sempre muito impagável, morro de rir. E o final, ele e o Wilson... Este último falando do irmão que nem sabe se está vivo. Que barra.

Eu tô amando tanto essa série, que nem sei. Só quero um espaço adicional para Chase e Cameron, uma vez que a teimosia do Foreman já teve destaque o bastante.
2016-01-14 20:01:07


Episodio 1x11 - Nota 9

Tô adorando demais essa sequência de episódios. Desde o início a temporada estava em um bom nível pra mim. Mas agora parece que está crescendo um pouquinho mais, ousando um pouquinho mais e tô satisfeito.

Primeiro sobre o caso: O lindo do Nicholas D’Agosto fazendo participação, e ainda formando par com Amanda Seyfried! ADORO. E que caso mais tenso, ein? Fiquei agoniado, acho que esse demorou muito mais pra descobrirem o que ele tinha, porque eles nunca tiveram certeza de nenhum dos diagnósticos que fizeram. Excluíram Hepatite E quando era “tarde demais”, mas ainda assim não era 100% certo de que poderia ser lúpus.

House, mesmo em abstinência praticamente profunda, ainda conseguiu fazer as ligações certas pra descobrir qual era verdadeiramente o problema. Chase e Foreman “exumando” o corpo da gata! HAHAHAHAHAHA. Sambaram. House se sentindo péssimo, mas se esforçou pra fazer o trabalho e salvar a vida do garoto.

BTW: que AGONIA a cena da agulha no olho do Keith! SÉRIO!!!

Foreman me irritou mais uma vez nesse episódio, em especial na cena em que questiona a Cameron sobre desgostar do House mesmo quando ele pede pra isso. QUE SACO! Eu acho essa necessidade de querer vê-lo errar tão chata, que nem sei.

No mais: esse plot do House em uma “rápida” abstinência foi INCRÍVEL. Sério. E acho que com certeza ainda vai render bastante coisa. House não vê problema, embora aceite que está viciado no remédio. Não é pra menos, já que aparentemente ele sente dor o tempo todo e o medicamento o livra disso. A cena da discussão com o Wilson foi ótima, e o Hugh Laurie segue sensacional no papel. Impossível não gostar.
2016-01-15 20:35:10


Episodio 1x12 - Nota 8.5

Eu gosto demais da ousadia com esses casos. Eles sempre estão quebrando a cabeça pra descobrir, e o pior é que a doença vai sempre piorando e piorando – às vezes porque eles dão um tratamento errado, ou porque simplesmente não conseguem chegar a nenhuma conclusão conforme a situação se agrava. E o mais cuiroso é que, em alguns, a resolução é uma coisa muito simples.

A piora do Hank, vulgo Jake Ballard, foi por culpa dele mesmo. Poderia ter sido honesto com os médicos desde o início, falado sobre a maconha e etc, que talvez eles chegassem mais perto, mais rápido, de descobrir sobre o cádmio. Já pensou se a mulher segue em frente com o aborto pra salvar a vida dele? Loucura!

Então o Wilson está saindo com uma ex-namorada do House? Gente... House ficou visivelmente incomodado. Wilson, como um bom amigo, deveria ter enxergado isso, né. De qualquer forma, minha curiosidade pra saber mais sobre a história do House, e dos outros personagens, aumenta cada vez mais. Eu gosto desse foco que a série tem na medicina. Adoro, na verdade. Mas vez ou outra sinto falta de um aprofundamento na vida pessoal.

Adorei Cameron topando sair com o House. Independente de shipper, ela realmente se importa com ele e acho isso ótimo. ;)

Sobre a clínica: MORTO com o atendimento do House! HAHAHAHAHA. O quarto paciente fingindo que não conseguia ver, quando na verdade só estava de ressaca! É muito zoeiro mesmo! HAHAHA
2016-01-16 19:58:15


Episodio 1x13 - Nota 8.5

Finalmente tivemos um destaque adicional para o Chase e eu adorei muito. Adoro o Jesse Spencer, amo demais o sotaque dele nessa série e fiquei muito satisfeito. O plot com o pai foi interessante. Pelo o que descobrimos, é compreensível a raiva que ele sente. O pai justificou que “abandonou a mãe, não ele” (o que eu já acho maldoso), mas aparentemente decidiu mudar de país e não ligou muito para o filho desde então. Sei lá, uma situação bem complicada mesmo.

E essa cena final me deixou triste. Pensei que o Dr. Chase adulto ia revelar que estava doente... Chase, aparentemente, se despediu pela última vez do pai e nem ao menos sabe disso. Caso ele morra antes de um reencontro, Chase deve ficar bastante perturbado e arrependido, ein?

Sobre o caso: que loucura!! Quando o menino melhorou (Junior, de Pequenos Espiões!), eu logo imaginei que ele fosse ter uma recaída daquelas. Dito e feito. Porém o que mais me impressionou foi a postura do pai (Romero, de Bates Motel!), quando House falou sobre a Índia. Uma informação importante e House teve que dizer que, na falta dele, o menino morreria pra poder recebê-la. Vai entender essas pessoas. Além disso, nada mais INSUPORTÁVEL que essas pessoas que doam dinheiro para hospitais e se acham donas – principalmente quando questionam os procedimentos, quando Chase e Foreman tentavam ajudar o menino e o pai gritou que eles estavam “matando-o”. Não tenho paciência pra lidar com isso.

Enfim, ótimo episódio.
2016-01-18 19:59:48


Episodio 1x14 - Nota 9

Realmente admirável a atitude do House, que cada vez mais se prova um personagem mais humano que a maioria aqui. Ele, de fato, poderia muito bem ter deixado a mulher morrer pela escolha ruim que fez para si mesma, durante tanto tempo. Mas não. Ela afirmou, emocionada, que não queria morrer, e ele se dispôs a arriscar sua licença médica, sua vida profissional, em nome da vida dela.

Aliás: fiquei agoniado com a mulher gritando de dor, quando o Foreman disse que ela poderia ir pra casa no dia seguinte. Que horror! Inimaginável isso...

Odiei o Edward Vogler com todas as minhas forças. Fez uma “doação” para o hospital em troca de controle absoluto. Isso não foi uma doação. Ele comprou a “chefia” do hospital e parece que as pessoas não perceberam isso. E a implicância dele com o House já começou a me irritar. Patético ameaçando tirar Cuddy e Wilson do hospital, só pra colocar o House na linha. E pra ser sincero, espero que House continue com a mesma postura, não mude por conta de uma pessoa que acha que pode tudo só porque tem dinheiro. Espero que esse infeliz morra.

Além disso, o que foi ele perguntando pra Cuddy se ela transava com o House? Fiquei abismado!

Fiquei decepcionado com o Chase no final. Até parece que ele não conhece o House. Ele cometeu um erro, merece saber que errou e merece ficar com o “peso”, mesmo esse erro não tendo prejudicado a vida da paciente. O Foreman foi muito ridículo ao não mencionar essa lição que House ensinou pra ele há alguns episódios. Não achei legal ele dar o “troco” porque House só chamou sua atenção, em nenhum momento falou de demissão nem nada do tipo. Poxa. Espero que ele se desculpe.

BTW: adorei o caso da clínica. O sorrisinho do paciente no final! HAHAHA E o House dizendo que não gosta da Cameron, soou tão falso que nem sei! HAHAHAHAHA
2016-01-19 19:55:05


Episodio 1x15 - Nota 8.5

O que surpreendeu no caso central do episódio foi a ignorância do irmão do Joey – o Fabrício de Titanic. Pra começar, achei um absurdo sem tamanho o tapa que ele deu no Chase, só por ele dizer os problemas de saúde que o paciente estava enfrentando. O cara se achando grande coisa porque é um advogado e se acha no direito de fazer isso? Eu, no lugar do Chase, devolvia o tapa e ainda metia um processo.

Daí como se não bastasse, teve toda essa discussão sobre a homossexualidade do Joey. Triste, Bill parece gostar bastante do irmão, mas tem problemas em aceitar que ele “não seja normal” e quase impediu seu tratamento por remeter à sua sexualidade. Fiquei com muita raiva o tempo todo. Triste a intolerância, o preconceito das pessoas. Espero que o Joey consiga ser feliz, agora que vai mudar de vida.

Vogler é INSUPORTÁVEL. Odeio as piadinhas e as insinuações que ele faz. E mais ainda, a implicância com o House só por ele não usar o jaleco – afinal, começou por este motivo. Achei ótimo a Cameron falar sobre o dinheiro dele não ser limpo, foi uma doação para o hospital em troca de poder e superioridade, como apontei no episódio passado. Ele não estava pensando na cura pro câncer, e sim no status que iria adquirir ao se tornar o presidente do conselho. Nojo.

Eu acho que foi o Chase que entregou o House, mas talvez a cena em que ele encontra o medicamento daquela paciente tenha sido feita pra despistar, e outra pessoa acabou falando a verdade. Só sei que não quero o grupo desfeito e torço pro House conseguir encontrar outra saída. Mesmo o Foreman, que é o que mais desgosto, eu não quero que saia. Eles formam uma equipe ótima que sabe trabalhar muito bem. Fico aqui na torcida.

Sobre o caso da clínica: chocado com o menino colocando um bombeiro, um policial e um caminhão de bombeiros pra resgatar o gato preso no nariz! KKKKKKKKKKKKKKKKKK GENTE DO CÉU. Foi ótimo.

Chase: You can trust me.
House: Problem is, if I can't trust you, I can't trust your statement that I can trust you. But thanks anyway, you've been a big help.

Que resposta!
2016-01-20 22:12:24


Episodio 1x16 - Nota 8.5

Nossa, eu tô ABISMADO com essa mudança repentina do Chase. Sério, eu não estava esperando uma coisa dessas. Gostava tanto dele, TANTO. E nesse episódio ele se mostrou ser um babaca, mesquinho, filhinho de papai mesmo. Que não respeita ninguém e só preza e se importa com si mesmo. Completamente apático e, inclusive, abaixo do esperado para realizar um trabalho como esse – seus comentários sobre a menina e seu peso me deixaram enojado.

Ele entregou mesmo o House acerca do remédio daquela paciente que quase morreu. E como se não bastasse, segue dando informações. ARGH. Que desilusão. Vogler é insuportável e tô torcendo muito pra que ele caia fora até o fim da temporada (meu ódio pelo personagem é tanto que estou me segurando pra não pesquisar o que acontece com ele). Espero que Cuddy se canse desse autoritarismo, reúna os outros membros e devolva o dinheiro pro infeliz, pra ele sair desse hospital de vez.

É doentia, até, essa implicância com o House. E a cena em que deixa claro que ele é quem manda, que House deve obedecer, foi insuportável. Tenho repulsa a esse povo rico que acha que pode tudo. Ao menos, House agora pode concluir sem medo algum que Chase não sabe trabalhar em equipe mesmo. Quero ele se vingando.

Enfim, Cameron muito maravilhosa ao dizer que House poderia reduzir os salários para que nenhum fosse demitido. Ela é minha favorita entre os médicos atendentes do House, sem dúvidas. Espero que House não a demita, se isso ocorrer mesmo.

Sobre o caso: achei bem triste a situação da menina. Bullying é complicado e vê-la dizendo que se odeia, que se acha feia e etc. Poxa. Situação difícil demais pra uma criança de apenas 10 anos. Ainda bem que eles conseguiram encontrar o problema e revertê-lo antes que medidas mais drásticas fossem tomadas. BTW: a mãe da menina é um verdadeiro exemplo! Muitas famílias com filhos que estão acima do peso fazem questão de frisar isso e exigir o padrão de beleza que acham ser obrigado seguir.

E sobre a clínica: que safada aquela mulher, traindo o marido na cara dura, enganando-o sobre a paternidade de algumas das crianças. ARGH!!!
2016-01-21 20:34:43


Episodio 1x17 - Nota 9

Grande Joe Morton. Sempre excepcional em tudo o que faz. Sem dúvida alguma um dos melhores atores! A composição dele para todos os personagens é impecável. O que dizer, por exemplo, da cena em que ele perde o ar enquanto House o questiona sobre o remédio que tomou na infância contra epilepsia?! PQP, fiquei agoniado!

O caso, como de praxe, foi ótimo. Assim que falaram da AIDS, eu imaginei que ele não teria essa doença, no fim. Tenho um problema sério com pacientes que omitem informações para os médicos, como se eles estivessem lá de brincadeira e como se suas condições não estivessem ruins – como na já comentada cena da retirada do oxigênio –, mas fico feliz que tudo tenha dado certo. Achei ótimo também Senador dizendo que não precisa ganhar pra competir.

Nunca pensei que odiaria o Chase como estou odiando no momento. Além de um traíra, é um cara de pau mesquinho! Fiquei abismado com a ironia dele quando House o enfrentou, afirmando que VAI TER que trabalhar com ele. Afff, é indescritível a minha decepção com o personagem.

Quanto ao Vogler, estou me perguntando ATÉ QUANDO Cuddy vai aceitar esse comportamento, gente. Será que não deu pra entender que o cara não doou dinheiro para o hospital? Ele COMPROU PODER, e a chantagem que está fazendo com House é INADMISSÍVEL. “Faça o discurso ou terá que demitir um dos dois que não quiseram te espionar pra mim”. FAÇA-ME O FAVOR. House sambou muito no discurso, adorei as verdades que falou sobre a empresa do verme, e espero que continue se impondo dessa forma. Uma hora, Cuddy vai decidir quem merece continuar lá.

Sobre Cameron: não shippo com House. Na verdade, não shippo com ninguém. Mas não quero que ela saia. Dos três da equipe, ela é de longe a que eu mais gosto. Espero que House vá atrás dela e não aceite essa demissão.

Sobre a clínica: MORTO com o caso de sexsônia! Já tinha ouvido falar sobre isso, mas não sabia que podia REALMENTE acontecer e meu: QUE LOUCURA! HAHAHA
2016-01-22 20:38:30


Episodio 1x18 - Nota 10

Começando pelo Vogler: ENFIM a Cuddy teve voz pra dizer exatamente o que ele estava fazendo no hospital. Estava ficando muito irritado com isso, porque todo mundo estava apto a aceitar os caprichos dele por conta da “doação” de 100 milhões de dólares. Não estava aguentando mais!

Fiquei feliz por terem decidido colocá-lo pra fora. O cara comprou poder. Ele não estava incomodado com o fato do House ser um cara que dá prejuízo, no meu ponto de vista. E acho que Vogler deixou isso muito claro no episódio 16 ou 17. Vogler gosta de controle, gosta de poder, gosta de ser dono das pessoas. Por conta do dinheiro, ele acha que pode tudo e queria poder controlar Gregory House da mesma forma que estava fazendo com todos os outros. Viu que não conseguiria comprar isso, então ameaçou desfazer-se do departamento. Depois, ordenou que um membro da equipe fosse demitido – com exceção do Chase, que tinha se apresentado como espião e era uma forma de “controlar” os passos do House, no ponto de vista dele. Quando foi humilhado na palestra, decidiu descartá-lo de uma vez.

Acho que a questão dele gira nesse ponto: ele quer que as pessoas se curvem à ele, obedeçam à ele, vangloriem pela “doação”, pela coisa boa que ele fez ao hospital. Sendo que o que fez foi comprar poder e assim, dar ordens a todos. Se ele realmente se importasse com a cura para o câncer, DOARIA o dinheiro pra qualquer hospital especializado, com a esperança de que os estudos tivessem avanço. E não COMPRARIA uma posição no conselho pra mostrar que ele PODE fazer isso. Ora, o cara demitiu o Wilson porque foi contra ele, estava disposto a fazer o mesmo com a Cuddy. C’MON! Mas o pior de tudo, é que pessoas como esse personagem realmente existem mundo afora, e isso é uma grande pena.

Agora, sobre o caso central: primeira vez que eu realmente chorei em House. Aquela cena em que os médicos desistem de trazer a mulher de volta, no mesmo segundo em que o bebê começa a respirar, foi demais pra mim. Bonito pelo bebê, mas triste pela mulher. E o pai, tendo que fazer essas escolhas. Ele nem pôde se despedir dela, já que entrou em colapso do NADA. Sério, que barra. Que situação difícil.

Sobre o caso da clínica: fiquei com pena dos pais presos. O próprio House ficou indignado, porque viu que eles não estavam negligenciando a criança. Ainda bem que ele realmente se importa (por mais que tente mostrar que não) e conseguiu o diagnóstico provando a inocência dos pais. Já pensou se ele não o faz?! Os pais iriam ser punidos por um problema de saúde fora do alcance deles.

BTW: volta Cameron!!

Melhor episódio da temporada.
2016-01-23 20:08:48


Episodio 1x19 - Nota 8.5

Pensei que a vítima do episódio seria o cara que desmaiou durante a natação! Enganaram direitinho HAHAHAHA Enfim, achei o caso um tanto complexo, foi um dos mais interessantes apresentados na série até agora. E com a melhor reviravolta, né? Porque eu particularmente jamais imaginei que ela estivesse grávida – ainda mais levando em conta que tem apenas 12 anos. Adoro como House consegue chegar no diagnóstico correto ao observar mais atentamente seus pacientes; aqui, o que o intrigou foi o fato da menina não receber visitas dos companheiros masculinos!

Se eu fosse um dos pais, com certeza teria ficado muito frustrado com as respostas vagas que House deu. Ele estava honrando o pedido da paciente, mas a menina quase morreu e eles viram isso. Que bom que ela teve consciência o bastante pra dizer a verdade pra eles. E achei ótimo que, à primeira vista, foram compreensíveis.

Gostei da dinâmica com a loucura que foi a epidemia pelo hospital. Às vezes alguns enfermeiros exageram no tratamento, ein? Achei muito ridícula aquela mulher se negando a prestar o atendimento necessário para o Foreman proceder com a jovem.

House dando uma lição no Chase: achei pouco. Acho que ele não vai demiti-lo, mas deve ficar um tempo mais castigando-o pelo o que fez. Fiquei muito decepcionado com o personagem, ele precisa recompensar. Foi até o Vogler porque quis, se vendeu por nada, porque ele não tinha razão, não havia motivo.

E sobre a Cameron: fico feliz pelo retorno dela ao hospital, mas achei um absurdo sem tamanho essa imposição dela. Falta de profissionalismo, sim. E antiético, sim. Nada impede que eles se relacionem, é claro. Mas o House disse que a queria de volta porque ela é uma boa médica e isso devia bastar. Ela não vai voltar lá pra ter um relacionamento com ele, e sim pra TRABALHAR. Bem diferente.
2016-01-25 20:14:03


Episodio 1x20 - Nota 8.5

O que deu um “up” no caso foi esse lance todo do fetiche. Fiquei assustado quando a equipe entrou no quarto do paciente e viram a mulher “estrangulando” ele. Gente! Teve esse diferencial e o fato de que os médicos não conseguiriam descobrir o problema do cara em base de exames. Quando Chase pegou os tic-tacs, eu logo imaginei que House faria uma ligação e descobriria o que realmente estava errado. E não é que foi assim mesmo?

Aliás, que cirurgia louca foi aquela que fizeram? Nem deu pra ver direito, mas fiquei com a impressão de que parte da cabeça do cara tinha sido literalmente removida. Tipo, a parte de cima. QUE LOUCURA! HAHAHAHAHAHA

Sobre o caso da clínica: MORRI RINDO. As reações do House são sempre impagáveis. Tanto com a velhinha, tanto com o velhinho. E depois, quando os dois foram juntos. BTW, que sem vergonhas! Dois velhos traindo suas famílias! Absurdo!!

Agora, sobre o encontro com a Cameron: acho que o House foi ele mesmo e falou a verdade sobre o porquê ela quer sair com ele. Eu não consigo shippar os dois – na verdade, não estou fazendo isso com ninguém da série até agora. Além disso, independente de suas razões, eu não consigo aceitar essa chantagem de “encontro”, embora inofensiva, para voltar ao trabalho. Porque como comentei no episódio passado, não tem nada ela se relacionar com o chefe, se for um desejo mútuo e sincero. Porém Cameron esqueceu que a proposta de retorno ao hospital foi pra TRABALHAR, não pra namorar.

Enfim, é de ver se acabou mesmo agora ou se ela ainda vai persistir com ele. Não acho que combinam, mas também não acho que essa uma atrocidade, por exemplo. Tudo depende de desenvolvimento.

Hum, então o Chase curte BDSM? MORTO com ele sendo dominador.
2016-01-26 20:21:40


Episodio 1x21 - Nota 10

Sem dúvida alguma, o melhor episódio da série até agora. E pra ser sincero, um dos melhores que já vi na minha vida. Que roteiro maravilhoso. Que estrutura. Que inteligência, e que reviradas! Eu fiquei realmente abismado quando foi revelado que um dos pacientes que House estava falando sobre, era ele mesmo.

Já estava na hora mesmo de uma abordagem no passado. E o mais interessante é que fizeram isso de forma que discutisse um problema de saúde, intercalado com o conflito pessoal entre House e sua namorada. House fazendo o próprio diagnóstico por DUAS vezes! Pena que a primeira vez, sobre o problema da perna, tenha sido tarde da forma que foi. Desesperador ele percebendo que estava prestes a ter um ataque cardíaco, pedindo pra enfermeira dar o remédio logo e “morrendo” de qualquer forma, mesmo sendo por um minuto.

Esse problema foi realmente um divisor de águas na vida dele, né? Afinal, tinha um relacionamento ótimo com a Stacy, mas não conseguiu lidar com o fato de que ela decidiu agir por suas costas. E de quebra, ainda precisa lidar com a dor pelo resto da vida. Que barra, viu. Fiquei com muita pena.

Os outros casos também foram interessantes: o que mais chamou a atenção foi o do fazendeiro e a suspeita da picada de cobra, posteriormente corrigida para mordida de cachorro. Que horror! O cara acabou perdendo a perna por isso... Já a menina jogadora de vôlei, fico feliz por ela não ter tido a perna amputada...

Como se não bastasse, House ainda fez um ótimo diagnóstico para o problema do professor, só por analisar sua mesa e sua caneca de “melhor pai do mundo”. Ele se daria bem como professor.

Que venha a season finale agora, com o marido da Stacy e seu problema. Vamos ver qual será o desafio da vez.
2016-01-27 20:32:41


Episodio 1x22 - Nota 9

Foi um ótimo episódio. O meu preferido ainda é o anterior, que foi mais impactante por abordar o problema na perna do House e como ficou manco. Mas gostei desse aqui também.

À primeira vista, achei que o House estava exagerando com as perguntas para o Mark sobre seu relacionamento com Stacy. Estava antiético, porque ele poderia perguntar sobre qualquer outra coisa, né. Mas aí, claro, essas perguntas acabaram sendo cruciais para eles avançarem no problema do paciente e assim, conseguir contorná-lo.

E House é muito ousado! Levei até um susto quando ele avançou em cima do Mark e enfiou o medicamento nele, pra causar o ataque. Tudo bem que isso provavelmente salvou a vida do cara, já que eles puderam confirmar o diagnóstico com a urina retirada diretamente da bexiga. Mas wow! Gregory House realmente não mede nenhum tipo de esforço, né! HAHAHAHAHA

Então a relação com a Stacy durou cinco anos... Pena que ele não tenha conseguido perdoá-la pela decisão que fez sobre seu tratamento, né. E foi triste quando ela disse que ainda o ama, e que sempre vai ser o “the one”, mas que não vai voltar pra ele. E mais ainda, que com ele se sentia solitária, diferente de sua relação com Mark. Agora ela vai trabalhar no hospital, vai ficar bem próxima dele. É de ver, né.

Sobre Cameron, é aquilo que comentei no anterior: eu não shippo, e nem torço pra ela ficar com o House. Mesmo sua imposição para voltar ao hospital sendo antiética e absurda, a ideia do casal não me soa anormal. Pra qualquer coisa funcionar, é preciso um bom desenvolvimento. Então, se os roteiristas forem investir nisso em algum momento, espero que não decepcione.

Enfim, eu adorei muito essa primeira temporada da série. Tinha muita vontade de assistir e não me decepcionei. Amei o Gregory House e os outros personagens – mesmo Foreman tendo me irritado bastante, por muito tempo, e Chase tendo me decepcionado quando se mostrou um traidor que se vende fácil. Cuddy é muito rainha e Wilson é um ótimo amigo. Amo!! Que venha a season 2.
2016-01-28 20:40:04


Episodio 2x1 - Nota 8.5

Foi um ótimo episódio pra um início de temporada. Gostei dos casos, da condução. Mas o que se destaca aqui foram as várias reflexões sobre “aceitação”.

O caso do presidiário foi bem interessante e, em parte do tempo, frustrante. Porque eu, por exemplo, fiquei muito irritado quando o cara falou da mulher que ele matou, naquela naturalidade, e sem nenhum arrependimento. Mas aí a situação toda passa por uma reviravolta gigantesca, quando eles descobrem que os ataques de fúria, que desencadearam a violência e os assassinatos, foram causados por um tumor. Fiquei um tanto dividido.

Por um lado, concordei com o Foreman por sua decisão de prestar depoimento à favor do cara, já que a culpa tecnicamente foi do tumor, algo fora de seu controle. Por outro, também acho que House disse uma coisa certa: muitas pessoas também sofrem com ataques de fúria, mas nem todas elas saem cometendo assassinatos. Então, sei lá. São dois raciocínios corretos, então fica meio difícil. Só sei que fiquei com muita pena do cara, no fim. Não acho que o depoimento do Foreman vá adiantar alguma coisa...

Sobre a clínica: eu pensei que no final, Cameron iria descobrir alguma coisa que iria provar que House estava errado, que a mulher não estava em estado terminal e essas coisas todas. Fiquei triste quando o resultado pro câncer veio positivo. E honestamente, achei muito válido o que a Cameron disse, sobre o marido, sobre as pessoas em si: todo mundo precisa de alguém, e toda morte precisa causar impacto. Todas as pessoas merecem isso. Fiquei com os olhos marejados quando a paciente questionou, “mas é só uma tosse”.

De quebra, ainda me colocam Hallelujah no fundo dessas cenas. Como lidar?

No mais: achei bem legal a dinâmica da Stacy com o House nesse primeiro dia de trabalho. Ri muito quando ele fechou a cortina da sala na cara dela. E as patadas estão impecáveis! HAHAHAHAHAHA

Espero que a temporada lacre!

BTW: preferia a música Teardrop, do Massive Attack, na abertura.
2016-01-29 20:31:13


Episodio 2x2 - Nota 10

Não estou conseguindo lidar com este episódio. Quando envolvem crianças, e ainda as colocam com câncer terminal, é difícil demais pra lidar.

E pra complicar tudo, Sasha Pieterse, novinha, em uma performance exemplar. Gente, aquela cena em que ela conversa com House me deixou completamente destruído. Ela falando que sabe quanto tempo vai viver, que sabe como vai ser complicado o tratamento para sua condição, mas não pode desistir porque a mãe precisa dela e porque a ama. WOW. Uma cena de diálogo fortíssima, levando em conta se tratar de uma criança de nove anos conversando com um adulto. Eu não consegui me segurar.

As sequências depois disso me deixaram muito apreensivo, com o coração literalmente na mão. Fiquei esperando o tempo todo que alguma coisa fosse dar errado e ela ia acabar morrendo... Que bom que nos pouparam desse sofrimento adicional e achei a cena final dela muito significativa. Ela dizendo que estava um belo dia lá fora. Admirável sua coragem e determinação. < 3

Não consegui enxergar maldade, nem malícia na atitude do Chase – e tô até surpreso com a reação negativa de algumas pessoas, mesmo a situação não sendo das mais corretas. Ele deu um selinho nela, encostou seus lábios nos dela porque ela pediu. O coração dele amoleceu, ao ver uma criança com menos de 10 anos pedindo por um único beijo porque ela tem consciência que não vai viver e crescer o suficiente pra isso acontecer de forma natural. Essa atitude fez com que ele conquistasse um pouquinho do respeito que perdeu quando traiu o House. Se não me engano, tivemos uma situação parecida em Grey’s Anatomy também.

House no final foi ótimo. Andando de moto pela primeira vez após o problema na perna. Achei a cena linda também.

“Is it still illegal to perform na autopsy on a living person?” House, Gregory.
2016-01-30 21:49:51


Episodio 2x2 - Nota 10

Aconteceu sim. Não lembro exatamente qual o episódio, mas se não me engano a situação foi com o Alex Karev.
2017-02-16 17:57:20


Episodio 2x3 - Nota 8.5

No início do episódio eu também pensei que a Cuddy ia sofrer alguma coisa e seria a paciente, o caso. Mesmo não tendo, foi legal esse foco nela e achei plausível ela ficar se sentindo culpada, sim. Porque primeiro, isso mostra que ela tem sentimentos e realmente se importa. E segundo, o rapaz não mentiu sobre a asma, como ela achou que ele tinha feito. Ele pediu pra ir embora e ela mandou ele de volta para o telhado. Então...

Mas enfim, o caso em geral foi curioso. E triste, também. Afinal, ver um faz-tudo perder a mão, já que ela é absolutamente necessária para o tipo de serviço que ele faz, que é seu ganha pão... Complicado. E o irmão de 12 anos se voluntariando pra trabalhar, porque tem consciência que a situação em casa não é das melhores. Fiquei com muita pena mesmo da família.

No final, fiquei muito surpreso quando House anunciou o processo que o jovem estava fazendo contra eles. Acho que mais por conta da cena em que ele pega na mão da Cuddy e agradece o que ela fez. Mas enfim, né...

Cuddy e House se conheceram na universidade mesmo, interessante. E nunca dormiram juntos! HAHAHAHA BTW, estou curtindo a Stacy também. Pensei que ela teria uma participação mais ativa e significativa na vida do House, mas me enganei.

Sobre o caso da clínica: achei a discussão interessante, o diálogo que Foreman teve após House assumir que fez o paciente pensar que ele trocou a receita, foi muito bom. Muito consciente. Só fiquei surpreso com esse negócio de ter um remédio pra branco e pra negro, pra tratar um mesmo problema. Juro que eu não sabia disso!

Enfim, ótimo episódio.
2016-02-01 20:11:14


Episodio 2x4 - Nota 8.5

O melhor desse caso foi o problema dificílimo de encontrar, e o humor ácido do House durante todo o caminho. Porque o médico-paciente mesmo, eu achei muito chatinho.

A discussão que ele trouxe sobre o tratamento que iria receber, sobre os remédios em contraponto à situação que ele vê na África foi interessante e válida, pelo menos. E é bem legal quando ocorrem esses conflitos e a gente consegue enxergar verdade nos dois argumentos. Se por um lado o Dr. Charles estava se considerando hipócrita por aceitar um tratamento que milhares de africanos não recebem, por outro, House mostrou, à sua maneira, que esse tipo de pensamento mostrava que ele não seria digno de TV, ar condicionado e todas essas coisas. Achei bem legal esse debate.

E o House percebendo que algo estava muito errado na condição do Charlie através da TV foi muito bom! HAHAHAHAHA ele não cansa de surpreender. No fim, fico contente por ele ter conseguido sair dessa. House com raiva no final pela atenção que a mídia dá pra ele. Falando que toda vida que Charles salvar, vai estar na conta dele HAHAHAHAHA EU AMO.

BTW, o que foi ele encenando aquele pedido de desculpas pra Cuddy ver? GENTE, COMO PODE? Criativo demais! A mulher falando que era INTEIRAMENTE culpa dela, sendo absolutamente bondosa. MORTO HAHAHAHAHAHA.
2016-02-02 19:42:56


Episodio 2x5 - Nota 8.5

Que triste esse caso. A causa do problema do jovem rapaz foi um presente do pai, que ele usava como um “amuleto da sorte”, digamos. Gente, que coisa mais horrível. Fiquei com muita pena que, no fim, eles não tenham conseguido fazer nada para salvá-lo. O pai prometendo para o filho que tudo ia ficar bem, que ele ia conseguir sair daquela. Pois é, todo mundo mente.

Adorei a mãe do House. E o pai também. Achei muito curioso o que Wilson disse no final, sobre o motivo do desapontamento dos pais. Bem reflexivo, na verdade. “ele é infeliz, mesmo com o sucesso”. Aliás, a amizade do House com o Wilson é maravilhosa. Amo a sinceridade dos dois. House pegando dinheiro emprestado só pra saber qual o limite do Wilson HAHAHAHAHAHAHAHAHA.
2016-02-03 21:08:01


Episodio 2x6 - Nota 8

Eu gosto muito do Wilson, mas não acho nada legal essas menções de que ele traiu as esposas e tal. Concordei plenamente com a Cameron: você não controla emoções, mas controla suas ações. Wilson traiu porque quis e creio que isso está na “natureza” dele, digamos. Não acho que as esposas tenham dado motivos pra justificar isso. Fico chateado com essas coisas.

O caso foi bonzinho. Gostei dessa discussão sobre trapacear. Cameron frustrada porque as transfusões vão permitir que o cara continue enganando todo mundo...

Nestes seis episódios com Stacy, ela não me incomodou. Mas a neurose do House está começando a irritar mesmo. Ela já disse pra ele que o ama, que ele sempre vai ser “o único”, mas também já deixou claro o quanto é feliz com o marido e que não vai deixá-lo. Sei que deve ser difícil pra ele, mas é hora de seguir em frente.
2016-02-04 20:46:07


Episodio 2x7 - Nota 8.5

Tocante essa situação entre pai e filho. Deu pra entender os dois lados. Embora o pai não tenha nada que ficar apontando dedo pra ninguém, é compreensível. Afinal, imagina você pensar que sua esposa poderia ter sobrevivido a um problema de saúde se o seu filho não estivesse usando drogas?

Já o paciente estava sempre afirmando que estava feliz, que tinha começado a viver quando deixou de se importar com os outros antes de si mesmo. E foi tudo um mecanismo de auto-destruição, já que o próprio se culpava pela morte da mãe e pela relação conturbada com o pai. A cena em que discutem sobre o pai não querer tirar sangue e tal, foi bem impactante. Espero que eles consigam encontrar o perdão para a reconciliação, logo.

Fiquei muito tenso com a situação da Cameron! Imaginem o medo de ter contraído HIV por conta daquele incidente... Que horror. Mas olha, não consigo descrever o quanto adorei a pegação com Chase e já quero que aconteça de novo, mesmo eles concordando em não fazer mais! HAHAHAHAHAHA

Já o House segue se sabotando, né. Não foi legal ele ter lido o prontuário da Stacy, e muito menos essa tentativa de desviá-la. Em alguns momentos parecia que ele queria que ela traísse o Mark com ele. Poxa, ela estava feliz com a presença dele, estava satisfeita. Ele podia ter deixado como estava, sem falar nada. Podia deixar as coisas seguirem. Nem deu pra ficar com pena dele, pra ser sincero.

Enfim, achei bonitinho ele adotando o ratinho! Hahahaha
2016-02-05 20:29:49


Episodio 2x8 - Nota 9

Gostei muito da narrativa do episódio. Ficou bem legal a mesclagem de depoimentos com as cenas do acontecido com a mulher. E fiquei profundamente penalizado com a situação dela, ainda mais levando em conta as crianças que acabaram ficando sem mãe assim, de forma tão repentina, né.

O irmão dela foi um louco inconsequente. Entendo a necessidade de proteger e o medo de perder, mas gente... O cara sabia que portava Hepatite e ainda assim decide dar parte de seu fígado pra ela, sabendo dos riscos? Ah, porque ele sabia, sim. Caso contrário, jamais teria mentido e chantageado ninguém por um check-up perfeito. Poxa.

Quando mostrou o Chase falando ao telefone logo no início do episódio, eu imaginei que alguma coisa tinha acontecido. Mas não esperava que fosse a notícia da morte do pai. Gente! Eu acreditei que quando estivesse perto de acontecer, Chase seria chamado e tal. Que loucura ele descobrir sobre a doença somente quando o pai já não estava mais vivo. Não tem como imaginar a dor e o choque dele e nem dá pra culpá-lo realmente por sua distração na hora. Afinal, a pobre da paciente foi procurá-lo justo no segundo em que ele ficou sabendo disso, né.

Agora esse final, preciso dizer que não gostei nada. Embora esteja achando o Foreman bem mais tolerável do que na primeira temporada, acho que ele vai ficar um pé no saco como “chefe” do House – e só o fato de ter respondido “não, ele não está” quando House demitiu o Chase, já foi motivo o suficiente pra me deixar irritado. Não porque ele tenha salvado o emprego do colega (e eu não acredito que House tinha mesmo intenção de demiti-lo, uma vez que a espionagem que ele fez pro Vogler na temporada passada foi um motivo bem maior, por conta da consciência dos atos), mas sim porque foi uma imposição clara de que agora ele está no controle de tudo. E tipo: BITCH, PARE.

Espero não me irritar nos próximos episódios.
2016-02-06 11:54:32


Episodio 2x9 - Nota 8.5

É bem verdade que House usa de métodos nada convencionais pra provar seu ponto de vista. Ele cisma que está certo e insiste na teoria que o leva a crer nisso até que todo mundo se convença. Às vezes pode soar irritante, porque às vezes ele pode estar errado mesmo. Apesar de ser um médico excepcional, ele é humano, né. E o ser humano está aberto a falhas.

Então, eu não fico com raiva pelo comportamento dele nesse episódio, porque: acima de todos, ele verdadeiramente se preocupou com a paciente. Acho que foi algo além da necessidade estar certo – e House já provou anteriormente que é muito mais humano do que deixa transparecer. Ele viu que ela tinha realmente um problema, não era somente um “desvio mental”, e foi atrás pra comprovar isso. Se ele não tivesse ido, ela teria morrido. E não: ele foi e salvou a vida dela. Acho que isso deveria bastar. Se dependesse do Foreman...

Agora, sobre o Foreman: eu estava achando o personagem bem mais suportável do fim da temporada passada até agora. É uma pena que sua postura como chefe tenha feito eu desgostar do personagem novamente. Acho que ele confundiu supervisão com se achar “dono da porra toda” – até o jaleco ele dispensou, em uma patética tentativa de realmente imitar o House.

Além disso, achei um absurdo ele querer pegar o emprego do House assim. E mais ainda, Cuddy insinuar isso. Nunca que House aceitaria. Ele pediria demissão, ela iria perdê-lo como médico por causa do Foreman, e aí? Achei muito nada a ver essa proposta, sinceramente. E o Foreman não gosta do House nem um pouco. A opinião dele sobre seu chefe SEMPRE foi muito ruim, ele só sabe fazer críticas. Então, tipo, por que ele não vai embora logo de uma vez? Se acha tão torturante trabalhar pro House, tenho certeza que existem outros hospitais ali nas redondezas mesmo, assim ele nem precisa mudar de casa.

Espero que essa supervisão acabe logo.
2016-02-08 10:53:03


Episodio 2x10 - Nota 8.5

Eu amei muito a pisada que Chase deu no Foreman no início do episódio, e concordei com tudo que a Cameron falou. Foreman é muito tosco. Não quis ver pacientes, não está mais usando o jaleco. Querendo imitar totalmente o House. E o engraçado é que esse negócio de “chefe” não deveria existir. House é o chefe. Foreman devia ser aquilo que o Chase foi na temporada passada, só que de forma traíra com o Vogler. Ele devia apenas inspecionar o trabalho do House e reportar – por exemplo, ele foi e cuspiu em uma sala de cirurgia limpa, reporta. Ponto.

E não estou entendendo a Cuddy também. Pelo o que ela diz, esse hospital moveu céu e terra pra ter o House em sua equipe médica. Ela diz que existe um fundo exclusivo para problemas judiciais que o House arrumar – o que deixa claro que eles prezam o trabalho dele, mesmo com os problemas. Então pra que ficar insinuando que Foreman pode se tornar o chefe? PQP.

O bom é que House provou mais uma vez o grande médico que é, mesmo à distância. A equipe se saiu bem, claro, mas ele foi a âncora que levou ao fim do mistério do cara. E fiquei com pena do paciente. Acho que a esposa dele foi muito exagerada quando falou “os médicos te conhecem mais que eu”. Na verdade, não. Eles conhecem uma condição de saúde que era fundamental para chegar ao diagnóstico. Fora isso, não sabem nada dele.

E Stacy traiu o Mark... Pode ser que mude meu pensamento mais pra frente, porém ainda não estou shippando esses dois.
2016-02-09 12:02:37


Episodio 2x11 - Nota 8.5

Fiquei muito surpreso com os rumos finais do episódio. Como House beijou Stacy novamente, foi pra cama com ela, eu nunca esperei que no final, ela estaria arrumando as coisas pra ir embora da cidade de uma vez por todas. Wow.

Acho que o que motivou o House foi a aparição do Mark. Não foi uma decisão egoísta, não foi por ele mesmo, por ele se admirar ou qualquer coisa do tipo, como o Wilson falou. Ele pensou no Mark – ou seja, foi uma atitude humana. Ele perdeu a Stacy uma vez e sabe bem como é, mesmo tendo sido o responsável por isso. Ver o Mark se jogando nas escadas talvez tenha sido o fator principal pra ele tomar essa decisão, por mais que seja difícil pra ele. E eu fico com pena. Não estava shippando os dois, mas é nítido o quanto eles se amam. E é triste ver que eles não podem ficar juntos, então.

O caso não foi dos melhores. Achei aquela mulher muito idiota. Fazendo tratamento pra ficar grávida e tomando anticoncepcionais? Porque não diz logo que não quer filhos? Ou então, por que não inventa que não pode tê-los mais? Afinal, já está mentindo mesmo. Todo mundo mente, como diz o House. Enfim. Achei a filha dela um amorzinho só, muito linda.

Destaque pra cena do House soltando um I LOVE YOU pra Cameron, só pra deixá-la chocada e conseguir pegar a amostra pro exame de HIV HAHAHAHA. E ele abrindo a carta com o resultado foi muito Gregory House, mesmo. ADORO.

BTW: por fim acabou o “reinado” do Foreman. Repararam que foi só isso acontecer que ele colocou o jaleco de volta? Não consigo lidar.
2016-02-10 11:23:25


Episodio 2x12 - Nota 9

Achei o caso muito bom. Fiquei agoniado porque eles estavam demorando a descobrir que tinha acontecido algo com o menino antes do acidente – algo que, na verdade, causou a explosão e as queimaduras. Ainda bem que House é esperto e aos poucos conseguiu deduzir isso.

Seus métodos podem ser antiéticos, mas na maioria das vezes, são o ponto entre a vida e a morte. Se ele não tivesse acordado o menino, não poderia começar a pensar nas possibilidades do que teria acontecido antes. E se não fosse tão desconfiado e determinado a encontrar a causa, não levaria adiante a teoria da depressão, uma vez que os pais venderam um adolescente muito feliz, feliz, feliz. Bom que tudo deu certo no final.

Só sei que fiquei muito agoniado com as queimaduras. Os gritos do menino quando acordou e começou a sentir as dores, PQP. E a cena das larvas: CREDOOOO.

House reinou muito também na vingança contra o Philip Weber. Foi ótimo ele tentando aprender aquela outra língua, só pra ler o artigo do cara. Por fim, conseguiu provar que estava certo, mais uma vez. O remédio não previne enxaqueca. Pior que o cara ainda ficou puto. Queria ser considerado um sucesso, um revolucionário, vendendo um medicamento que NÃO funciona. Cada uma. Dei risada com ele culpando a Cuddy também HAHAHAHAHAHA.

BTW: House sempre está falando de prostitutas em seus momentos de sarcasmo e ironias, mas não acreditava que ele realmente contratava o serviço delas. Chocado!
2016-02-11 11:14:48


Episodio 2x13 - Nota 9

Esse foi um dos casos mais surpreendentes da série até agora, no meu ponto de vista. Fiquei muito surpreso com tudo, desde o início.

Pra começar, quando a Alex chamou o Matin, personagem de Tom Verica, de “pai”, já foi uma surpresa e tanto. Porque ela aparenta ter quase a mesma idade que ele. Depois, revelam que apenas tem 15 anos: difícil de engolir. A atriz, inclusive, me lembrou o tempo todo uma versão magrela e mais “acabada” da Emilie de Ravin.

Aí soltam essa bomba gigantesca de que o pai transou com a filha. Sério, até o fim do episódio, eu fiquei esperando o cara dizer que não era pai dela. Que era marketing, ou alguma coisa do tipo. O importante era revelar que não era pai. E isso não aconteceu. Então vamos lá: claramente, Alex é desequilibrada e precisa ser internada urgentemente na ala psiquiátrica. Não me surpreende ela usar o sexo pra conseguir o que quer, mesmo sendo muito nova. Afinal, se pararmos pra analisar, isso é uma coisa até “natural” hoje em dia (não eximindo o fato de ser errado e antiético). Mas gente, embebedar o pai, seduzi-lo e transar com ele porque assim, ele fará o que ela quer??!!

E o pior é que o cara foi e transou com ela. COM A FILHA! É como a Cameron disse: ele é adulto. Podia estar cego de bêbado, mas o tempo todo ele tinha que ver que a pessoa que estava a seu lado era sua FILHA!!! É impressionante!

Então partimos pra resolução: não esperava isso. Que baque para a Alex, saber que é um menino assim, de repente. Não imagino os problemas psicológicos que talvez desencadeiem nela/nele com essa descoberta, né. Que horror.

Por fim, dei risada com o House batendo na perna do Wilson com a bengala, questionando se ele também sentia falta da Stacy por conta da dor HAHAHAHA. E meu, que choque ver como ficou a perna dele após a retirada do músculo. Coitado! Fiquei muito surpreso mesmo quando Cuddy revelou que nunca deu morfina a ele, confirmando que sua dor era completamente psicológica. Ele não merece isso. :(
2016-02-12 11:50:16


Episodio 2x14 - Nota 9

Parece que o jogo virou para o Wilson, não é mesmo? Quem com ferro fere, com ferro será ferido. Ele clamou que todos os seus relacionamentos falharam porque ele foi infiel, agora provou um pouquinho desse “veneno”. Mas como gosto muito do personagem, confesso que fiquei com pena dele ao aparecer na casa do House com a mala feita, né. E agora eles vão morar juntos! HAHAHAHA AMO. Espero que mostrem bastante cenas da rotina dos dois, enquanto ele não sair. Obrigado!

Gostei do caso, foi um dos mais interessantes da série até agora. Nunca tinha visto uma tentativa dessas de curar o coração “ruim”, digamos, de uma pessoa para poder transplantá-lo. House, como sempre, inovando. E mesmo com a consequência da gonorreia, fico feliz que tudo tenha dado certo para o paciente. Ele perguntando se tinha morrido quando viu a ex-mulher foi ótimo HAHAHAHAHAHA.

Aliás, eu gargalhei com a Cameron perguntando se eles iriam curar a morte, e o House dando aquela risada maligna pra responder que duvidava. HAHAHAHAHA CADA PERGUNTA!

Outra discussão interessante: a privatização do idoso de receber o coração porque ele já “viveu demais”. Gostei do ponto do House para o médico que mais apresentou objeções: será que ele está pronto pra ser largado em um beco qualquer? Cada uma!

Curioso o caso da clínica. O rapaz dizendo que ama vacas, o House imitando perfeitamente uma vaca. HAHAHAHA RI MUITO.
2016-02-13 11:35:42


Episodio 2x15 - Nota 8.5

Mas que caso mais louco foi esse? Sério, eu fiquei sem entender qual era a da esposa. Ficou muito sem sentido. Ela estava envenenando ele, mas não revelou o motivo. Tá, ok. Mas por que ela chamou socorro pro cara, se queria que ele morresse? Doentio demais ela ficar o tempo todo ao lado dele, acompanhando o cuidado médico, a tentativa de descoberta da equipe acerca do diagnóstico. Eu ein!

E a fantasia deles no início? A única coisa que me deixou com o pé atrás foi o fato da mulher sair derrubando os quadros quando foi arrastada. Fiquei pensando: se era tudo um teatro pra fazerem sexo, pra que sair quebrando os quadros? HAHAHAHA

Enfim, House mais uma vez provando que é foda e que estava certo. Ninguém quis ao menos cogitar que a mulher estivesse envenenando o cara e aí... Fiquei com pena dele, aliás. Já que parecia amar muito a mulher e de repente descobrir uma coisa dessas, não deve ser fácil. A mulher acabou com ele, praticamente. Ainda vai precisar de um transplante de pulmão, tipo! Eu não perdoaria nunca.

Fiquei muito contente por House ter deletado a mensagem sobre o apartamento do Wilson. Particularmente, ficaria muito puto se ele realmente o mandasse embora apenas um dia após se mudar, né. Dei risada com Wilson reclamando da comida roubada HAHAHAHAHA. Quero muito mais cenas assim, por favor. BTW: House gritando ao ver o armário arrumado, SOCORRO!!!

O caso da clínica foi ótimo. Adorei a tática que House usou pra saber quem era a pessoa que estava traindo e meu, que cara mais filho da puta. Sabe que está fazendo coisa errada e ainda tem a audácia de chegar em casa acusando a esposa de sair com o professor de caratê da filha. Nojo!
2016-02-15 10:44:02


Episodio 2x16 - Nota 9

House e Wilson morando juntos é a melhor coisa que poderia ter acontecido. E espero que Wilson fique, pelo menos, até o fim da temporada. Além das reações impagáveis que ele tem a tudo o que House diz e faz, ainda tivemos essas brincadeiras durante o episódio que foram ÓTIMAS.

Gargalhei alto quando a bengala do House quebrou e ele se jogou no chão, com aquela cara de que não tinha entendido nada. Aí o Wilson dá a dica direta de que ele é o responsável e House finalmente fica satisfeito! HAHAHA Eu adoro demais a amizade desses dois, sério.

O caso foi MUITO bom, um dos melhores da temporada até agora. House é um gênio mesmo, é preciso ter um raciocínio daqueles pra conseguir chegar às conclusões que chega. Enquanto nenhum dos outros ao menos cogitou a possibilidade do veneno de carrapato, House logo fez a ligação ao saber que o namorado Melinda (Georgina Sparks de Gossip Girl!) teve que pular uma cerca e andar na grama para chegar ao quarto da menina, antes de ter a relação.

A cena do elevador foi bem tensa, mas com uma pitada cômica ótima. Morri rindo da expressão do House quando as portas abriram! HAHAHAHAHA Sorte que ele encontrou o carrapato ali, caso contrário teria levado uma surra, com certeza.

E o que dize da Cameron zoando com o Chase? “Se fosse você, já teria terminado” KKKKKKKKKKKK MORTO COM A PROVOCAÇÃO. Adoro!

Gostei demais do episódio, um dos melhores da temporada.
2016-02-16 10:58:57


Episodio 2x17 - Nota 9

Essa temporada tá apresentando uns casos ótimos e bem tensos, ein? Que estão se sobrepondo aos outros, e eu tô adorando.

Achei o menino muito fofo e fiquei morrendo de medo de algo acontecer com ele. Não achei ruim o House comparar com o caso da mulher de 12 anos atrás. Afinal, impossível um médico não lembrar de um paciente que morreu durante seus cuidados, quando o problema que ela teve ressurge em um menino de seis anos, né?

Só sei que fiquei muito aflito o tempo todo, já que eles não conseguiam identificar NADA que pudesse ser o problema, praticamente. Depois, quando House se iluminou, pensei que ele fosse estar errado. Mas estamos falando de Gregory House. Ainda bem que ele é insistente, fez a equipe relutantemente fazer o teste e provou estar certo. Fico contente pelo menino começar a se recuperar. Não ia conseguir lidar caso ele morresse.

Curti muito as cenas do House ligando pro Wilson! Ele ameaçando contar que Wilson pinta as unhas do pé, socorro HAHA. E a Cuddy um tanto “alta” durante o jogo de pôquer foi legal também HAHAHAHAHAHA.

Excelente episódio.
2016-02-17 11:28:40


Episodio 2x18 - Nota 8.5

Que complexo tudo o que envolveu esse caso, ein? Além de o diagnóstico ter sido um problema por conta do fígado que simplesmente parou de funcionar, ainda tivemos esse dilema todo envolvendo o transplante da namorada que estava prestes a ser deixada.

Honestamente, acho que as duas acabaram erradas nessa história. Primeiro a Hannah, que deveria ter contado sobre seus planos para a namorada assim que soube que precisava de um transplante (independente da outra já saber disso ou não). E a Max foi ainda mais imprudente, decidindo doar o fígado apenas para prender a namorada, porque a ama. Acho que ela foi egoísta. Cameron falou que elas não iam ser felizes assim e Max respondeu: “eu a amo”. EU. Pra ela, isso basta. É um raciocínio do tipo, “eu tenho amor o suficiente para nós duas”, como se ela precisasse apenas da presença da Hannah e tal. Sei lá, bem complicado isso tudo.

Sobre a Cameron: ela se envolve demais com os pacientes e isso é errado mesmo. Porém, ela é o equilíbrio moral daquela equipe e não vejo mal nenhum nisso. Ora, o próprio House achou muito a atitude da Hannah, uma vez que a chamou de “vadia” no final. A diferença é que ele está visando o tempo todo no diagnóstico e tratamento e Cameron, nessa situação, enxergou a consequência emocional.

Quanto ao Foreman: temporada passada desgostei muito dele. Nessa temporada até estava indo bem. Não morro de amores pelo personagem, mas não odeio. No entanto, esse final acabou colocando-o no pódio de mais babaca e fútil da série até agora. Cameron foi meiga, disse a ele que os casos não são propriedade dela e etc. Estava disposta a se desculpar e queria que ele fizesse o mesmo, e em troca recebe um “não somos amigos, não tenho nada que me desculpar”. Oi?

É como o Chase comentou em determinado momento: os casos não são propriedades particulares de cada um, mas Foreman sabia que Cameron estava escrevendo sobre a menina com câncer terminal. Ele poderia ter escolhido qualquer outro e decidiu pegar o dela. Ele foi antiético e pensou apenas no crescimento profissional dele, passando por cima de uma “colega”, como ele mesmo rotulou. É um absurdo que ele não enxergue esse erro e fique agindo como se estivesse certo. Argh.

Pra finalizar: morri rindo com a cena final do caso da clínica. House falando mandarim! HAHAHAHAHAHAHA
2016-02-18 11:09:09


Episodio 2x19 - Nota 9

Eu gosto muito quando sérias médicas abordam religião e fé. E achei esse um dos episódios mais interessantes da série. Mesmo sendo óbvio que no fim, a ciência iria se sobressair, os dois pontos de vista foram colocados e discutidos muito bem.

Conforme o paciente ia fazendo suas revelações, fui ficando bem surpreso. House descobriu como ele ficou sabendo do jogo de pôquer, porém não ficou explicado como ele soube dos sentimentos vingativos da Cameron acerca do colega de trabalho, né! Ele falou sobre isso assim que chegou, não tinha como ter ouvido de ninguém. HAHA

Quanto ao desfecho, como apontei acima, foi mais pro lado da ciência. Mas no caso da paciente que teve o tumor encolhido, por exemplo, é fácil pra uma pessoa que tem fé, que crê, presumir que Deus deu o instrumento ao Boyd (o vírus) para “curá-la”. Tudo é questão de POV, por isso achei bem legal como decidiram conduzir todo esse caso. Além, é claro, de ter sido bem criativo, né.

Wilson é hilário! Fiquei bem surpreso com ele dormindo com a paciente, não esperava. E meu, quando ele saiu da casa do House? Porque eu não lembro disso! HAHAHA

Foreman tentando ser o engraçadinho puxando assunto com a Cameron. Adorei a resposta dela, achei válido. E ela é tão dócil, que nem estava demonstrando estar com raiva. Só vai se afastar mesmo e é melhor assim. Não adianta ficar correndo atrás de quem não deseja ter nem amizade com a gente.

Chase colocando “House vs. God” no quadro: adorei.
2016-02-19 11:16:57


Episodio 2x20 - Nota 9

Meu Deus, que caso mais tenso! Angustiante eles reunirem esse monte de evidências pra tentar justificar cada um dos sintomas, mas ainda assim não chegar a nenhum tipo de conclusão. Não estou nem perto do diagnóstico, já que o final mostrou que a teoria do House estava equivocada. Fiquei com o coração na mão pela morte do policial. Acho que esse deve ser um dos casos que House deve guardar na memória pra sempre – tipo aquele da mulher que morreu e ele usou como parâmetro para diagnosticas a Georgina Sparks, alguns episódios atrás.

Adorei a cena da Cameron indo investigar na casa. Ela é muito astuta também, olhou tudo de cima a baixo e pegou tudo o que julgou ser importante para uma investigação mais profunda. House sentadinho esperando ela sair HAHAHAHAHAHAHA.

Eu não quero que o Foreman morra, e duvido muito que isso vá acontecer. Mas honestamente? Por conta das atitudes dele, tô achando bem feito ele passar por isso. Às vezes esse confronto com a morte vai mudar a arrogância dele quanto aos outros colegas, e vai mostrar que ele não é melhor que nenhum deles.

E o que dizer do ABSURDO da agulha infectada espetada na Cameron? PQP. Ela é dócil demais às vezes, porque se fosse comigo, já teria dado uma surra bem digna no Foreman ali mesmo, pra ele aprender. NADA justifica essa atitude, levando em conta que ela estava fazendo o que lhe foi designado para cuidar dele.

Curioso pra saber como termina.
2016-02-20 11:10:58


Episodio 2x21 - Nota 10

Primeiramente, muitas palmas para o Omar Epps por sua excelente interpretação no episódio. Sério, eu fiquei agoniado com a situação do Foreman, conforme seu estado de saúde ia piorando. E as expressões dele confrontando as pessoas dava até pra assustar – vide a cena em que ele grita com a Cuddy. WOW.

Não acreditava que Foreman fosse morrer por conta dessa doença aí, mas é impossível não ficar tenso e angustiado com essas inúmeras tentativas de descobrir o que está matando-o, sem sucesso. Dois episódios inteiros, e por pouco eles não conseguem diagnosticar. E tudo causado pela água contaminada pelos pombos. Que horror!

O drama que acompanhou Foreman com o pai também foi interessante de acompanhar. Além disso, fiquei bem surpreso com ele pedindo desculpas pra Cameron, citando uma parte do artigo dela e perguntando se poderiam continuar amigos. Mais surpreendente foi sua resposta inicial (e não fiquei contra ela), levando em conta como ela se envolve emocionalmente nestes casos. E achei bem correta ao afirmar que ele só estava querendo fazer as pazes por estar à beira da morte. De qualquer forma, fiquei tocado quando ela decidiu desculpá-lo antes que entrasse em coma – cena essa que foi bem emocionante também.

BTW: morri com a Cameron enfrentando a Cuddy daquela forma. SOCORRO, não esperava ouvir ela desabafando assim! Hahahahaha

Agora é de ver o que ele tem, né. Poxa, se livra de um problema e já aparece outro em seguida. Será que essa reta final de temporada será focada no Foreman com outro problema sério de saúde?! Que loucura!!

Enfim, esse foi um dos melhores episódios da série!
2016-02-22 10:23:14


Episodio 2x22 - Nota 8.5

Achei meio nada a ver finalizarem o episódio passado com um gancho daqueles, sobre Foreman não estar sentindo as pernas, só pra ele aparecer andando e de volta ao trabalho nesse aqui. E não teve nem menção, não é? Não que eu tenha notado. Mas enfim, por mais que eu esteja desgostando do personagem, fico feliz pelas coisas estarem voltando ao normal. Ele só precisa superar esse problema com a memória e etc. Vamos ver quanto tempo vai demorar.

Além disso, dei risada com House começando a ficar irritado por Foreman estar apresentando um comportamento profissional bem diferente daquele que já estava acostumado. HAHAHAHAHAHA Foreman colocando uma máscara pra conseguir seguir em frente satisfeito no serviço, ai ai...

Esse caso foi muito chocante e muito triste. Primeiro pelo impacto gigantesco que tive ao ver o bebê afogado dentro da banheira, com a mãe tendo um ataque epiléptico. Depois, quando House e Foreman a veem tentando asfixiá-lo no quarto do hospital. Daí Chase dá a notícia sobre a morte do bebê e eu fiquei sem chão. E quando Foreman contou pra mãe, fiquei muito emocionado mesmo. A reação dela foi de partir qualquer coração, porque foi muito realista – uma excelente interpretação, diga-se de passagem. Saber que você causou as falhas no seu bebê que o levaram a óbito... Não dá nem pra imaginar o quanto isso deve ser horrível pra uma mãe.

Além disso, deu pra entender perfeitamente os motivos dela pra recusar tratamento, né. Consciência pesada sempre tende a falar mais alto, mesmo ela não tendo real controle de seus atos.

Que horror o pai do Chase deserdando-o completamente. Tô chocado.
2016-02-23 10:37:33


Episodio 2x23 - Nota 8

Para os padrões que essa temporada estava mantendo, principalmente nessa reta final, achei esse episódio um tanto decepcionante. Ou ao menos, abaixo da média.

O caso não foi tão interessante assim. Achei bem arrastado, na verdade. E demorou uma vida inteira pra passar. Só fiquei surpreso mesmo com o dilema da paternidade. House foi muito ousado dizendo pra menina que ela era filha daquele amigo dele mesmo, sendo que é mentira, né. Bom ver que ele se preocupa com outros amigos, mesmo, já que sentiu o cara dizendo “eu vou perder de qualquer forma”, se fizesse o teste de DNA e tal.

O plot da Cuddy foi legal. Dei risada com o House levando um dos doadores pra fazer uma entrevista. HAHAHAHAHAHAHA As expressões da Cuddy!! E ela indo agradecer por ele aplicar as injeções no final? Será que ela vai pedir pra ele ser o doador? SOCORRO! HAHAHAHA

Que venha a finale!
2016-02-24 11:12:47


Episodio 2x24 - Nota 10

Caramba, minha cabeça ficou completamente bugada com esse episódio – que foi um dos melhores da série, sem dúvidas.

Primeiro, já foi um choque absurdo vê-lo levando um tiro dentro do próprio escritório. Na verdade, dois tiros. Daí depois veio todas essas informações, House com a perna boa, porém com o cérebro provavelmente danificado. Passando a ter alucinações, não sabendo como saiu de um lugar e parou no outro. PQP! Não dava mais pra saber o que era real e o que não era, mesmo. Dava pra desconfiar de tudo!

Como se não bastasse, ainda aconteceu essa outra loucura no final que me deixou em pânico, praticamente. House matando o paciente pra provar que era uma alucinação. E o minuto que passou e House começando a achar que estava errado e tinha matado o cara mesmo? SOCORRO MEU DEUS. Acho que nunca me senti tão apreensivo com essa série, como nessa cena.

Por fim descobrimos que TUDO foi alucinação, assim que House foi atingido. Então isso quer dizer que o paciente com a língua inchada ainda será tratado no próximo episódio?! Que loucura, meu Deus!! E ele decidindo que quer a ketamina?! Será que vai dar certo isso?

Enfim, a finale foi ótima e a temporada foi tão boa quanto a primeira, com uma reta final bem eletrizante. A cada episódio, consigo gostar mais dessa série. < 3
2016-02-25 11:02:28


Episodio 3x1 - Nota 9

Ótimo episódio para início de temporada. De início, estranhei bastante o House estar sem a bengala – embora, é claro, fiquei satisfeito por ele ter conseguido a perna direita 100% novamente. Pena que ele tenha começado a sentir dores de novo, tudo indica que vai precisar da bengala mais uma vez. Ele tendo que forjar a assinatura do Wilson no final, pra conseguir o Vicodin... Acho que não o faria se não estivesse realmente precisando do remédio, ein?

Mas foi ótimo vê-lo correndo. Ri demais da sequência com o skate. As meninas olhando pra ele HAHAHAHAHAHAH. E o que foi a corridinha pra conseguir do Chase e Foreman a resposta que Cameron não quis dar? Muito bom! HAHAHAHAHA

Sobre os casos: o da mulher eu fiquei meio perdido, até porque acabou muito rápido e eu acabei não entendendo muito bem qual era o problema. Tipo, o House viu que ela tinha uma unha podre, e aí percebeu que ela tinha um distúrbio por falta de Vitamina C? Não estou certo se foi isso mesmo.

Agora o segundo caso foi bem mais interessante, complexo e mais tocante. Cuddy deu o beneficio da dúvida ao House e olha que coisa linda: o cara começou a voltar ao normal. Muito linda essa sequência em que ele se levanta e abraça a esposa e o filho pela primeira vez depois de ANOS. Fiquei muito contente.

Só não curti o Wilson dizendo pra Cuddy não contar pro House, porque “mesmo ele estando certo, poderia estar errado”. Ué, mas não estava. O paciente era dele, a ideia foi dele, ele tem todo o direito de saber que o procedimento que recomendou deu muito certo e o cara voltou ao normal. Sei lá, achei bem egoísta por parte do Wilson impedi-la de dizer a verdade. E incompreensível também. House sempre está certo.

Detalhe: Cameron afirmou que o cara que atirou no House nunca foi encontrado. Será que existe a possibilidade do infeliz retornar ao hospital? Ai ai...
2016-02-26 11:28:08


Episodio 3x2 - Nota 8.5

Que loucura esse início de episódio! Fiquei abismado, principalmente quando o menino desapareceu. Achei o caso muito bem conduzido e interessante, com um desfecho surpreendente. House prestes a desistir mais uma vez e aí percebe o motivo de ter dois DNA no mesmo corpo.

E o que dizer do menino enxergando ETs no lugar do Chase, durante aquele procedimento cirúrgico? Que loucura essas alucinações! HAHAHAHAHA. Acho incrível a pesquisa dessa série pra trazer esses casos que são sempre imprevisíveis e surpreendentes. Fico muito satisfeito, dá sempre pra descobrir algo novo.

Por fim Cuddy decidiu revelar a verdade ao House. Não concordei nem por um segundo com os motivos do Wilson pra omitir isso – e achei patético, inclusive, quando ele afirmou que House “nem sempre está certo, provou isso com o último caso”, porque ele ESTAVA certo. Mesmo com a intenção da humildade e todas essas coisas. Além disso, nem por um segundo eu achei que o House quisesse voltar a usar Vicodin se não estivesse sentindo dores na perna mesmo.

E é por isso que é triste vê-lo usando a bengala novamente no final. Mesmo sendo uma das principais características do personagem, o período que ele passou se divertindo, correndo, andando de skate e todas essas coisas, foi muito curto. Que pena!

BTW: finalmente Chase recebendo algum destaque depois de MUITO tempo. E adorei, ele estava mesmo um amorzinho.
2016-02-27 11:40:05


Episodio 3x3 - Nota 9

Às vezes esse envolvimento emocional da Cameron acaba irritando mesmo – por mais que seja bom ter uma pessoa com esse senso dentro da equipe. Pelo menos, ao ver que não poderia participar do que estavam fazendo com o paciente, ela decidiu ficar por fora dos procedimentos. E no final, ainda foi a responsável por acelerar o processo de morte do cara. Fiquei muito tocado mesmo com a cena da capela, não deve ter sido fácil pra Cameron fazer isso – e convenhamos, não dá pra culpá-la.

O caso foi interessante, btw. Deu pena do velho quando House colocou-o em coma pra continuar fazendo os testes. Coitado, ficou chocadíssimo quando acordou e percebeu que não estava morto, como tinha imaginado. E aquela música que tocou mostrando os últimos suspiros dele me deixou tão tocado que eu não consigo explicar.

Morto com a Blair dando em cima do House! HAHAHAHAHA Que ousada a menina abaixando a calça pro House poder ver a calcinha, SOCORROOOO.

Enfim, ótimo episódio.
2016-02-29 11:18:33


Episodio 3x4 - Nota 9

Começando pelo caso: muito complicado, ein? Gostei que o tema do autismo foi tratado com a delicadeza necessária. Triste ver o menino gritando daquela forma, sem conseguir controlar seus movimentos apropriadamente e etc. Condição bem avançada e triste ver isso em uma criança, que tem tanto pra viver.

Ainda bem que House é persistente, enxergou um problema quando ninguém mais queria vê-lo e ficou clicando nele até descobrir o que realmente estava por trás de tudo. Fiquei chocado com o menino comendo a areia usada pelo gato para as fezes e urina, resultando no corpo completamente tomado por bactérias! Que horror! Ainda bem que possui tratamento e que conseguiram fazê-lo melhorar.

Além disso, essa cena final me deixou tão tocado que nem consigo expressar em palavras. Muito bonito o menino se colocando de frente para o House para entregar o videogame, se esforçando para conseguir enxergá-lo. Tão sutil, mas tão poderoso emocionalmente. Ai, muito amor.

Embora as implicâncias do House com a Cuddy sejam sempre ótimas, o motivo dessa vez eu achei muito fútil e desnecessário. Sei lá, invadir o escritório alheio, sala de reuniões e etc só pra Cuddy tirar o carpete novo e deixar aquele manchado de sangue... Não me convenceu – mesmo sabendo que, obviamente para o House, há um grande significado por trás daquilo.

Por fim, morri com House dizendo que o coração da Blair Waldorf dizia “Greg House Greg House” o tempo todo HAHAHAHAH. E a frustração dele quando percebeu que a atração da menina estava sendo causada por fungos? Tadinho!
2016-03-01 10:52:39


Episodio 3x5 - Nota 8.5

Fiquei tombado com o desfecho desse caso. Meu Deus, é inimaginável o choque que esses dois sentiram ao descobrir sobre o parentesco. Você amar uma pessoa de uma forma e descobrir que ela é sua meia-irmã? PQP. E o pai deles foi muito irresponsável e covarde, preciso dizer. Ao invés de quebrar o braço do filho e se passar por um racista, por que não falou logo que se tratava da irmã do menino? Eles ainda eram novinhos e poderia ter evitado. Foi homem na hora de pular a cerca, mas não o bastante para assumir seu erro...

Mas olha, admirável a atitude do paciente. Queria porque queria fazer a biópsia para evitar qualquer tipo de dano na menina... Pena que agora eles não consigam se relacionar de forma alguma. E achei o Foreman muito louco dizendo que o sentimento deles é real e coisa do tipo. Ninguém duvida que é. Mas não vai deixar de ser incesto só porque eles se conheceram antes de descobrir isso aí.

Foreman esperto, fazendo aposta com o House só pra ganhar o dinheiro, já que ele estava saindo com a enfermeira o tempo todo... HAHAHAHA.

Podia ter desconfiado que aquele paciente da clínica era um policial, já que eles sempre são muito cheios de si. Dei risada com o House punindo o cara! Agora esse final me deixou frustrado. Primeiro porque, como era de se esperar, o infeliz abusou de sua autoridade. Tipo, ele pode fazer isso mesmo? House é um médico, é um deficiente, faz uso de uma bengala para caminhar e PRECISA tomar Vicodin constantemente. Aí o infeliz vai e prende por posse de narcóticos??

Quero só ver onde isso vai dar.
2016-03-02 11:56:23


Episodio 3x6 - Nota 8.5

Eu não concordo nem um pouco com a atitude do policial. Nem no episódio passado, nem nesse aqui. House foi rude com ele na clínica? Sim. Mas foi porque o paciente chegou querendo dar ordens como se fosse o dono do lugar e tipo, NÃO.

Agora a coisa já ultrapassou o nível do “aceitável”. E, particularmente, tô achando um absurdo, além de loucura, esse negócio de posse e tráfico de narcóticos. Afinal, se House foi indiciado, qual o juiz que irá condená-lo tendo toda uma equipe de médicos que pode testemunhar que ele sente dor o tempo todo e que o Vicodin é INDISPENSÁVEL para o caso da perna dele? Nós mesmos já vimos como o House fica quando deixa de tomar o remédio. Sério, esse cara já tá me tirando a paciência. Será que é um novo Vogler?! Espero que não dure muito!

E o Wilson foi maravilhoso argumentando com o verme no final. Adorei ele dizendo que acha chato assinar da mesma forma todas as vezes, só pra não entregar o amigo. Isso que é amizade, folks! < 3

Sobre o caso: achei bem interessante o ponto do paciente, quando disse para a equipe procurar um problema que não fosse relacionado à sua obesidade. Embora não ache certo culpar médicos por começarem por aí, porque o peso do cara definitivamente não é uma coisa normal, não é que ele estava certo mesmo? Fiquei com muita pena quando descobriu o câncer no pulmão, e que só tem alguns meses de vida. Que horror...

Será que a Cameron teve mesmo um problema com peso quando era mais nova? Ela não respondeu o House, né. E o Chase que simplesmente sumiu quando o House foi meio rude com ele? Essa cisma que ele tem com gordos me deixa irritado.
2016-03-03 11:04:37


Episodio 3x6 - Nota 8.5

É verdade, mas o que incomoda é mesmo a motivação do policial! Perseguir o outro por pura vingança pessoal, não consigo lidar!
2017-06-25 11:03:06


Episodio 3x7 - Nota 9

Tocante esse caso, ein? Dei risada quando o cara acordou do coma – a expressão do House foi impagável, junto com a da Cuddy. E gostei muito da viagem que eles fizeram, dos diálogos pelo caminho e de toda a conversa no hotel.

Triste o pai não querer ver o filho à beira da morte por achar que não conseguiria salvá-lo. Nobre sua atitude de cometer suicídio para que o filho pudesse ter o transplante que necessitava. E triste ele não ter dito nada, embora House tenha se encarregado de não deixar o pobre do menino completamente “em branco” diante da situação toda. Ao menos ele conseguiu se livrar, e vai poder transformar esse “você estava certo” em alguma coisa significativa pra ele, mesmo não sendo real.

Que orgulho da equipe não falando nada que pudesse prejudicar o House para o filho da puta do policial. Cameron não é nenhuma surpresa, mas fiquei com receio pelo Foreman e Chase – o primeiro porque parece adorar a ideia de ver o House se ferrando, e o segundo, porque bem, ele já se mostrou capaz de ser traíra por benefício próprio. Ainda bem que os três se provaram dignos de confiança e ainda contaram tudo pro Greg no final. AMO.

Agora, sério, até quando será que esse plot vai durar? Porque mal começou e eu já tô sem paciência. O infeliz do policial congelou os bens do Wilson, tipo! Pior tipo essas pessoas que gostam de abusar da autoridade. O cara quer porque quer prender o House por tráfico de drogas, sendo que ele usa a porra das drogas pra evitar a dor. Espero que ele morra. Ou que seja humilhado, exatamente como o Vogler.
2016-03-04 11:44:57


Episodio 3x8 - Nota 8.5

O desenvolvimento do caso até que foi interessante. Conseguiu me deixar curioso pra saber o que o cara tinha. Mas esse final me deixou frustrado de uma maneira que nem consigo descrever. Como é que o cara teve coragem de fazer isso? Porra! Fiquei pensando o tempo todo que quando ele visse as crianças indo embora com uma desconhecida, iria voltar atrás. MAS NÃO!

Achei bem hipócrita, patético e irresponsável. Se bobear, o cara se livrou das crianças pra voltar a ter a vida ridícula que tinha, usando drogas sem se preocupar com merda nenhuma. E acho que o Foreman está errado: se ele fosse se arrepender, teria o feito quando abraçou o irmão pequeno e o entregou pra assistente social. Talvez nem os visite, já que não se importa e nem os ama verdadeiramente, caso contrário não teria tomado essa decisão. Fiquei bem puto mesmo. Merecia ficar em coma.

O policial continua me dando nos nervos. E tô achando um absurdo sem tamanho isso que ele está fazendo com o Wilson. Que pressão desnecessária. Por que ele não fica atrás do House apenas? Já que CLARAMENTE está abusando do poder – como o próprio Wilson afirmou –, por que não o prende logo e realiza uma audiência? House pode ter viciado em Vicodin, mas não é segredo pra nenhuma pessoa desse hospital que ele NECESSITA dos comprimidos para não sentir dor.

E o House, por mais foda e impressionante que seja, me deixou muito decepcionado com suas atitudes nesse episódio em relação ao Wilson, que está lá se ferrando por ele quando não tem obrigação de fazer isso. Embora House tenha demonstrado que não se importa com o que acontece com os outros (a cena do escritório deixou isso muito claro, junto com a cena final), eu acho que ele só é orgulhoso demais. Tanto que tá sentindo dor imaginária no ombro por conta da culpa.

Não o julgo porque, no lugar dele, provavelmente não me entregaria também. Mas acho que ele poderia ter um pouco mais de compaixão, de respeito pelo amigo que está se ferrando BEM MAIS que ele nessa situação.
2016-03-05 11:12:20


Episodio 3x9 - Nota 9

Senhor, que caso! Fiquei tão apreensivo com a situação dessa menina, que nem sei. Pra começar, deu agonia ver os pais discutindo o tempo inteiro, no leito dela, sem se preocupar com sua condição. Achei interessante que House e Cuddy levaram o caso pra juíza decidir por duas vezes. E a Cuddy assumindo a guarda em relação às decisões médicas foi ótimo.

House precisa tratar desse vício que ele tem por Vicodin. Como já comentei tantas vezes, entendo sua necessidade pelo remédio, já que essa dor na perna é comprovada e etc. Mas olha só o comportamento dele quando não toma a quantidade que julga ser necessária por dia? Ficou violento, ranzinza, e por muito, muito pouco, não fez a menina ficar deficiente.

Sério, ainda bem que Chase raciocinou um pouco, ligou os pontos e correu pra avisar. Ainda levou um soco como agradecimento, mas conseguiu impedir a amputação. Particularmente, não fiquei com raiva dele durante o episódio. Embora eu ainda fique com o pé atrás acerca de sua lealdade, por conta dos eventos com Vogler, ele foi conduzido ao almoço com o filho da puta do policial, que armou tudo direitinho. Tanto Cameron quanto Foreman também falaram com o verme. A diferença é que Tritter sabia dessa “reputação” do Chase e quis causar a discórdia. E este último, ingênuo, não percebeu o que ele estava planejando com o tal “almoço”.

Agora esse final com o Wilson eu não estava esperando. Fiquei ao lado dele nos últimos episódios, porque ele estava se mostrando um amigo verdadeiro perante a aparente indiferença do House, mas agora não dá pra defender. Porque isso não é ser amigo. Quando as pessoas são leais, mesmo sendo ignoradas, elas seguem firmes até a oportunidade de desabafar e descontar a raiva surgir – e era isso que eu estava esperando que acontecesse. Wilson fazer um acordo com Tritter violou, no meu ponto de vista, qualquer verdade que havia na relação com House. E mesmo este último estando parcialmente errado, no lugar dele, não conseguiria perdoar.

No mais: fiquei com pena da Cuddy quando disse que acabou sofrendo um aborto. E House pegou pesadíssimo dizendo que ela não seria uma boa mãe. O que o vício não faz.
2016-03-07 10:32:39


Episodio 3x10 - Nota 9

O Wilson conseguiu um ótimo acordo pro House? Conseguiu. E House deveria ter aceitado porque não era tão ruim assim, é verdade. No entanto, eu não discordei do argumento da Cameron quando conversou particularmente com o Wilson: “você finge que suas ações são puras, e é nisso que eu não concordo com você”. Não vamos fingir que Wilson fez esse acordo pensando inteiramente no House, né?

Eu imagino como deve ser difícil ficar sem acesso ao seu dinheiro, ao seu carro e todas essas coisas. Mas acho que faltou lealdade ali. Mesmo House demonstrando não ligar para o problema, nós sabemos muito bem o quanto ele é orgulhoso e o quanto gosta de mascarar sua vulnerabilidade em relação às pessoas que gosta. O que ele faz? Interpreta, liga o “fuck it”. Ele mesmo disse isso em determinado momento desse episódio, sobre o orgulho e etc. Não é legal, mas faz parte dele.

Continuo gostando do Wilson, sei que ele se importa com o House e etc. Não há questionamento nisso. Só não consigo parar de pensar que faltou certa lealdade ali. Se fosse o contrário, não acho que House teria feito acordo nenhum.

Enfim, fiquei com muita pena do House nos momentos de abstinência. Não basta a falta do medicamento, ele ainda tinha que lidar com a dor da perna: tão intensa que o fez cortar o próprio braço pra direcioná-la para outro lugar. Tipo! E ainda por cima, colocam uma sequência final daquelas. Ele ligando para os pais, em seguida sendo encontrado em cima do próprio vômito por conta de uma quase overdose. Complicado.

Quanto ao Tritter: não suporto mais. E acho os argumentos dele PATÉTICOS. Em determinado momento, ele comentou com o Wilson que House pode fazer todas as coisas que faz sem o uso do Vicodin. Mas gente, será que é difícil pra esse cara entender que House usa Vicodin por conta da DOR CONSTANTE E INTENSA QUE TEM NA PERNA? E que se ele viciou no medicamento, foi justamente por causa disso? QUE RAIVA!!! Agora é quase certo que House vai pra cadeia mesmo. PQP.

No mais: o caso foi muito bom. Adorei a postura da mãe anã. Muito segura, determinada e disposta a enfrentar qualquer um. A condução do problema da menina foi interessante e curti o desfecho. Ainda mais a mãe incentivando a filha a tomar o medicamento e crescer. Muito bonitinho essas duas! < 3
2016-03-08 10:46:14


Episodio 3x11 - Nota 9

Finalmente esse caso com o Tritter chegou ao fim, e espero do fundo do meu coração que ele não apareça mais. Adorei muito a sambada que a juíza deu, falando que não entende a determinação do policial nesse caso e que sua motivação é pessoal. Sempre foi. Sempre achei um absurdo ele conduzir esse caso como se House fosse um drogado traficante, como se estivesse distribuindo todo tipo de drogas nas ruas. Ele pode ter errado forjando receitas médicas, e por ter um grande estoque de Vicodin em casa. Mas NINGUÉM pode contestar que ele PRECISA do medicamento. Fim.

Que bom que Cuddy decidiu mentir. Não fosse por ela, e House estaria completamente ferrado. E como o Wilson, eu também acho que o pedido de desculpas foi real. House é orgulhoso, óbvio que ele tentaria justificar de alguma forma o seu comportamento mais “humano”. BTW, não esperava que ele estivesse tomando Vicodin na reabilitação. Gente? HAHAHAHA

E o House passando uma noite na cadeia, ao invés de dez anos caso fosse condenado, foi muito bom. Só fiquei meio assim com o motivo (e o pior é que isso acontece mesmo). A juíza disse que House foi instruído a tratar dos pacientes antes da audiência. Mas ué? Se ele recebeu a ligação, não é nítido que era uma emergência? Que estava fora do alcance dele naquele momento, e fora de qualquer coisa que ele pudesse ter feito antes? Punir o cara por ir tratar seu paciente...

O caso foi ótimo. E frustrante ao mesmo tempo. O cara teve as memórias apagadas por conta de algo que estava fazendo-o sofrer e que não era real. Quase caí pra trás quando Amy revelou que não estava noiva do irmão do Derek. GENTE. Pena que isso tenha acontecido, viu. Mesmo com eles descobrindo o problema certo e tratando-o, o cara perdeu parte de sua vida pra nada... :/
2016-03-09 10:42:54


Episodio 3x12 - Nota 9

Diferente esse episódio. E achei um dos melhores da temporada até agora. Foi bem simples mesmo e bastante reflexivo. Não precisou aprofundar em um caso e numa corrida para o diagnóstico, como é de costume, para discutir um tema importante.

E gostei muito de como o fizeram. Todas as conversas que House teve com Eve foram significativas, até mesmo as discussões acerca do aborto e etc. E o que dizer da história que contou, revelando no final que era o pai dele que exercia um abuso físico e psicológico quando ele era travesso? Fiquei com muita pena dele.

Eve questionando sobre o estuprador se sentir mal pelo o que fez a ela... que barra pra vida de uma pessoa. É inimaginável como uma mulher deve se sentir ao ser submetida a uma violência tão covarde como essa. Espero que Eve consiga reunir forças para seguir em frente.

A parte da Cameron foi ótima também. Não sei como tem alguns que desgostam da personagem pela compaixão que ela possui. Não deve ter sido fácil pra ela observar o paciente morrer sentindo dor, quando poderia ter evitado isso. Decidiu respeitar seu desejo no leito de morte. E ela, certamente, jamais irá esquecê-lo.

Enfim, ótimo.
2016-03-10 11:00:32


Episodio 3x13 - Nota 8.5

O caso não foi dos melhores. E achei a solução muito louca. E absurda também. Porque tipo, o palito de dente que o Foreman entregou para o menino cigano no final estava inteiro, não era um pedaço. Então como raios aquele menino conseguiu engolir um palito de dente inteiro? Fico com agonia só de imaginar como foi pra fazer aquilo descer, ele certamente teria sentido alguma coisa, teria a boca espetada, algo assim. Sério, achei bem incoerente. Primeira vez que isso ocorre.

Mas gostei da condução, ao menos. A participação do Foreman na situação toda foi bem legal. Ele foi mesmo muito paciente com a situação toda, tendo que lidar com pais tão chatos. É reclamando do atendimento, dos medicamentos. E fiquei irritado demais com a insistência em culpar a namorada do menino pelo ocorrido. As respostas sarcásticas dela foram ótimas. “Estou tão contaminada que fiz o fígado dele parar!” HAHAHAHAHAHAHAHA. Muito bom.

House na cadeira de rodas foi bem legal. Levou a sério a tal aposta! HAHAHA E as discussões que ele teve com a médica que era realmente cadeirante foram engraçadas. No final, ele sempre consegue o que quer, né. Faz uma birrinha, deixou a Cuddy culpada e conseguiu de volta. Será que ela deu uma vaga pra mulher mais perto do hospital ainda, do que a do House? Acho que sim, ein! HAHAHAHA

Enfim, bom episódio.
2016-03-11 10:47:58


Episodio 3x14 - Nota 9

Que caso mais louco, gente. Em determinados momentos também fiquei com raiva da menina, porque estava achando ela exagerada DEMAIS. Mas fiquei bem tenso com algumas ações também, como aquela do quase suicídio e que ela acabou caindo do primeiro andar, de qualquer forma. Que horror!

Mas a surpresa mesmo foi aquela lombriga saindo de dentro dela. SENHOR, fiquei agoniado porque não acabava mais. Quanto mais House tirava, mais parecia ter. Bem curioso esse caso todo. E os momentos com a mãe, em especial aquele com o choro, foi bem tocante mesmo.

House morrendo de ciúmes da Cuddy. SOCORRO! Foi até irônico ele negando que sente alguma coisa por ela, afinal, o comportamento dele durante o episódio só entrega que isso é mentira. HAHAHAHAHAHAHA. E fiquei com pena dela também, mas ao menos o cara foi honesto quando decidiu ir embora, né. E que ridículo.

Adoro a ideia de Cameron e Chase como casal, embora não seja um shipper assíduo dos dois. Ao menos, não por agora. Aposto que Cameron vai se apaixonar sim por ele. Não existe probabilidade no amor. HAHAHAHA.

Não poderia me importar menos com o término do relacionamento do Foreman. Mas confesso que fiquei com pena da Wendy quando disse que se importava com ele.
2016-03-12 11:06:07


Episodio 3x15 - Nota 9

Primeiro, sobre o caso: achei muito tocante a preocupação do pai acerca do filho. Não sabia que existia isso de poder retirar metade do cérebro – mesmo essa parte estando morta e prejudicando o funcionamento da outra. O jovem não vai mais poder tocar piano, mas fico contente por ter se livrado desse problema que estava atrasando-o dessa forma. A cena final, com ele conseguindo abotoar a camisa, foi ótima. Curti.

Que susto levei com todo esse plot do House. O tempo todo eu acreditei que era verdade, e o pior é que o comportamento do House entregava que não era – creio eu que, se ele estivesse com câncer cerebral mesmo, não estaria agindo como se tudo estivesse normal. Mas o importante foi ver todo mundo preocupado.

Foreman preocupado. Chase dando o abraço. E o beijo que a Cameron deu nele? Teve como principal objetivo coletar o sangue, mas ainda assim foi um beijo! HAHAHAHAHAHAHAHA. A Cuddy preocupada também. O Wilson! HAHAHA Pena que é verdade o que ele disse: House gosta de afastar as pessoas.

Enfim, ótimo episódio.
2016-03-14 13:18:15


Episodio 3x16 - Nota 8.5

Apenas morto com a beleza do paciente desse episódio, não consigo lidar. Mas então: muito bom o caso. Bem conduzido e interessante, fiquei agoniado quando ele começou a perder os movimentos das pernas e das outras partes do corpo. Que horror, já pensou? Ainda bem que tudo deu certo. :3

Que ingênuo o Foreman! HAHAHAHAHA Cameron falando a real pra ele, e o cara sem acreditar que ela está pegando o Chase sim! MORRI RINDO. E ela tá muito ousada, ein? Será que é pra esquecer o House mesmo? Porque tô achando tão legal as cenas dos dois juntos. O final, com House flagrando-os, foi DEMAIS. Óbvio que ele sabia desde o início, já que não demonstrou nenhuma surpresa e tipo, nada a ver ir jogar lixo naquele armário, né? KKKKKK.

E eu tô ficando louco ou House deu a entender que já teve um lance de uma noite com a Cuddy? GENTE SOCORRO. Já quero que revelem que isso aconteceu mesmo, e pra ontem, por favor!

BTW: as alucinações do House. Fiquei agoniado com aquela em que o cateter furou no quarto do paciente. Que horror!
2016-03-15 10:35:35


Episodio 3x16 - Nota 8.5

Assisti sim! :)
2017-01-16 10:20:53


Episodio 3x17 - Nota 9

Nossa, sem palavras para a cena do bebê colocando a mão pra fora e pegando no House. Sério, fiquei tão tocado com essa sequência que valeu o episódio inteirinho. Ainda mais pela reação do House. Já pensou se ele tivesse seguido em frente com a ideia de matar a criança pra salvar a mãe? Aposto que foi nisso que ele ficou pensando enquanto observava aquilo.

O caso, no geral, foi muito bom, intrigante e bem tenso. Essa possibilidade do bebê morrer me deixou aflito. A mãe foi uma das pacientes mais carismáticas e adoráveis que a séria já apresentou até agora. Fiquei contagiado com a força de vontade dela. E, claro, com o trabalho em fotografia, captando os momentos mais simples e verdadeiros enquanto esteve no hospital.

Adorei a Cuddy determinada e a inversão de papeis com o House. Não fosse sua perspicácia, a criança não teria sobrevivido.

MORRENDO com o Chase começando a se apaixonar pela Cameron. O olhar dele na foto foi tão lindo, socorro. E a Cameron encantada porque ele estava com “brilho nos olhos”, e olha que ela nem sabe que é por causa dela mesma HAHAHAHAHA. Lindos demais, acho que tô começando a shippar.

Enfim, EXCELENTE!
2016-03-16 10:31:27


Episodio 3x17 - Nota 9

Adoro!
2017-08-04 23:05:30


Episodio 3x18 - Nota 9

Gostei demais dessas duas narrativas distintas, deixou o episódio mais charmoso e mais interessante.

O plot do avião foi muito bom e muito tenso. Fiquei apreensivo com a tal da epidemia se alastrando pelos passageiros, com uma alta possibilidade de que acabassem morrendo caso não pousassem com urgência. Quando Cuddy caiu doente, então. PQP! House, como sempre rei, tendo que lidar com tudo sozinho. O desfecho foi ÓTIMO HAHAHAHAHAHA. O único com um problema real era o cara coreano, o restante estava apenas histérico! Muito bom!

Já o caso lá no hospital foi tão interessante quanto. Particularmente, gostei muito da paciente idosa. Já estava tenso quando ela estava prestes a ter a cabeça furada, sorte que o Chase conseguiu encontrar a solução para o problema. Ela concluindo que o que quase a fez morrer foi voltar pra casa, e não sair dela. Achei bem profundo.

Poxa, fiquei com pena do Chase no final. Reuniu coragem para dizer que queria algo a mais e ela deu às costas. Mas aposto que, terminando essa amizade colorida, ela vai perceber que também tem sentimentos por ele. É de ver.
2016-03-17 11:18:56


Episodio 3x19 - Nota 8.5

Que caso mais louco, principalmente a forma como as crianças ficaram doentes. Fiquei abismado HAHAHAHAHAHAHA. E o que dizer do menino com crush na Cameron, gente? Morri com a violência quando viu Chase tocando nela. MORDEU O CARA, TIPO! QUE HORROR! HAHAHAHA.

Mas falando em Cameron: acho que é só uma questão de tempo até ela se render ao Chase novamente. E achei ÓTIMO que ele entendeu, não desistiu e decidiu tentar conquistá-la da maneira correta. HAHAHAHAHA. Os sentimentos dela estão bem escondidos, ela só não quer se entregar. Com Chase fazendo por onde ela verdadeiramente se abrir, logo, logo, eles devem estar namorando mesmo. E torço pra isso, já que passei a gostar muito da ideia do casal nos últimos episódios.

E o que dizer do House com ciúmes da Cuddy, gente? Mandou flores pro Wilson só pra provocar e quase caiu pra trás quando ouviu que ele gostava dela? HAHAHAHAHAHA. House já deixou implícito que teve algo entre os dois, acho que deve rolar alguma coisa em breve também. Ele tá mostrando cada vez mais interesse.
2016-03-18 11:01:23


Episodio 3x20 - Nota 8.5

Nossa, esse foi mesmo um dos episódios mais tristes de House, por conta do desfecho. Fiquei pensando o tempo todo que House iria surgir com alguma ideia que poderia salvar a vida da mulher, mas não é que ela morreu mesmo? E por conta de um erro deles? Gente...

Fiquei com muita pena do Foreman. Não deve ser fácil saber que você, no mínimo, acelerou o processo de morte de uma pessoa autorizando um tratamento que foi crucial para tirar sua vida. Omar Epps fez um ótimo trabalho deixando transparecer com facilidade a dor, a culpa e o arrependimento do Foreman. E a causa da morte, gente! Ela se arranhou com o sutiã! PQP. Tem coisas que não dá pra entender mesmo.

Morto com o House saindo com a segunda ex-esposa do Wilson! HAHAHAHAHA. E o Wilson levando a Cuddy pra sair também...

Tô gostando de ver o Chase determinado a conquistar a Cameron. Muito lindinho.
2016-03-19 11:19:31


Episodio 3x21 - Nota 8.5

Nesta temporada, o Foreman está bem mais suportável do que nas duas anteriores. Mas se tem uma coisa que me irrita profundamente no personagem é como ele gosta de rebaixar o House, como ele torce pelas coisas darem errado nas mãos dele e como ele gosta de se comparar. House possui métodos antiéticos na hora de tratar/falar com seus pacientes? Sim, possui. Mas esses métodos que ele usa por muitas vezes ajudou de forma crucial a salvar a vida de muitas pessoas.

Então, eu entendo ele ficar perturbado com algumas de suas atitudes. Ainda está lidando com o fato de ter perdido uma paciente por um erro dele, ainda teve que submeter uma criança a um procedimento doloroso como aquele – fiquei agoniado com os gritos do menino, particularmente. Só acho que já chega de dizer que tá se transformando no House e blá blá blá. Duvido muito que ele siga em frente com esse aviso prévio.

O caso, aliás, me deixou tocado em muitas cenas. Naquele em que o House conversa com o irmão mais velho, fiquei com os olhos marejados porque estava convicto de que ele não iria sobreviver. House falando sobre ele ter vivido catorze anos, a maioria deles sofrendo, sobre não poder fazer muitas coisas que todo mundo faz na vida e etc. Sem falar na dificuldade de respiração e nas dores que ele estava sentindo. Achei bem forte e realista essa cena.

Que ABSURDO o House batendo a porta na cara do Hector. Machucou a patinha dele, tadinho! Mas gostei das cenas dos dois. Hector destruindo o apartamento do House foi ótimo HAHAHAHAHA.
2016-03-21 11:03:24


Episodio 3x22 - Nota 8.5

Eu duvido MUUUUUITO que o Foreman vá se demitir. Acho que ele não chega a se afastar do hospital, mas se ocorrer, será pra voltar no episódio seguinte – algo como a Cameron quando ela decidiu sair na primeira temporada. Tá nítido que ele não quer sair, tá nítido que ele quer que o House diga pra ele ficar. E eu tô cansado desse mimimi “não quero me tornar o House”, como se ele fosse a PIOR pessoa e o PIOR médico do universo, né? Cuddy falou pouco, mas falou bonito. “Há coisas piores que você pode se tornar”. Ponto.

Além disso, odeio essa falta de sutileza que o Foreman tem. Ele reclama do House, mas é muito mais frio que ele, além de antipático. House finge que não se importa com pacientes e com os colegas, mas no fundo sabemos que ele se importa sim. Já o Foreman parece fingir gostar. Achei tão desnecessário ele dizendo pro Chase que não gosta dele, que nunca gostou e que nunca vai gostar. Seje menas, migo.

MORRI RINDO com o Wilson drogado, SOCORRO. Ele piscando pra paciente e pedindo desculpas HAHAHAHAHAHAHAHA. Que horror, tadinho. Justo ele que é tão correto com os pacientes!

Já o caso não foi grande coisa. Mas curti o desfecho.
2016-03-22 11:29:42


Episodio 3x23 - Nota 8.5

Que exagero comparar o House com esse menino. House é sarcástico, irônico, tira uma com tudo e todos e fica nisso – se e quando se excede, existe um motivo por trás. Já esse moleque é insuportável e chato porque quer ser mesmo. Fiquei tão irritado que olha, nem sei. E o pior foi a mãe descobrindo no final que esse comportamento agressivo NÃO era em decorrência do problema de saúde. Já pensou você ter um filho assim, que não respeita nada e nem ninguém e se acha acima de tudo? Credo!

Só não curti mais o caso por conta disso. O moleque certamente leva o título de paciente mais insuportável que já passou pelas mãos do House até agora. Deus me livre. Mas o desfecho foi bom, a descoberta da doença e tal, curti.

Esse plot do Foreman já está cansando mesmo. Ou vai, ou fica, amigo. Se House quer que ele fique, é bom colocar o orgulho um pouquinho de lado pra pedir isso – nem que o insulte no segundo seguinte, como de praxe. E o que dizer da Cuddy oferecendo um departamento inteiro pro Foreman gerenciar, só pra ele não sair? E ELE RECUSANDO? SEJE BEM MENAS!

E o Chase segue insistindo com a Cameron. HAHAHAHAHAHAHA Acho que no próximo episódio ela deve se render, ein! Ele dizendo “I like you”, que bonitinho!
2016-03-23 11:11:39


Episodio 3x24 - Nota 9

O caso foi um dos mais interessantes até agora, pra mim. Fiquei muito surpreso quando o marido afirmou que o coração da mulher estava batendo, mesmo após os aparelhos serem desligados! HAHAHAHAHAHAHAH. E mais uma vez, a série traz essa discussão interessante sobre milagres x ciência. Fiquei feliz por tudo ter dado certo. E aquele marido é de ouro! Além de ser lindo, o cara é atencioso demais e ama verdadeiramente a mulher. Lutou até o último segundo ao lado dela. < 333

Por fim House reuniu coragem pra pedir pro Foreman ficar. Adorei demais a discussão que eles tiveram. Foreman se acha superior mesmo, essa desculpinha de que “não quer se tornar o House” simplesmente NÃO ME DESCE e mereceu ouvir aquilo. House não precisa ficar insistindo pra ele ficar, não. Ele é um bom médico, mas se não quer continuar, não há necessidade de insistir. Se fosse eu, ligava logo o “tanto faz” e foda-se.

Agora, a demissão do Chase foi algo que eu não estava esperando. Achei exagerado do House e acho que ele só o fez por causa do Foreman mesmo. Como se não bastasse, Cameron surge com a carta de demissão no final e eu fiquei jogado no chão. Eu também acho que mudanças são necessárias e pode ser uma coisa boa, mas não estava esperando me despedir agora. Espero que eles retornem – o Foreman eu tenho CERTEZA que vai voltar.

Ah, achei bem interessante essa cena final da temporada, com House recebendo o novo violão e substituindo aquele que ele tem desde criança: simbolizou bem o quanto House é hábil em deixar as pessoas irem e as coisas mudarem.

Pra finalizar: não disse que Cameron ia acabar se rendendo ao Chase nesse episódio? HAHAHAHAHA ACHEI LINDO. Ela dizendo que não conseguia esperar por terça-feira, muito amor. QUERO ELES DE VOLTA NA 4ª TEMPORADA SIM. Preciso da relação dos dois!

Enfim, excelente temporada.
2016-03-24 11:32:10


Episodio 4x1 - Nota 9

Acho que pra um episódio que não contou com Cameron, Chase e Foreman, funcionou MUITO bem. Claro que deu pra sentir falta, e foi um pouco estranho ver o House tentando descobrir o diagnóstico sozinho, mas ainda assim. Foi um início de temporada bem promissor e com um caso ótimo.

Inicialmente eu meio que fiquei com raiva do namorado da paciente. Pelas mentiras que ela estava supostamente contando e etc, eu estava começando a imaginar que ele era uma pessoa um tanto abusiva, que não gosta de ser contrariado, que não aceita um “não” como resposta e etc. Ou isso, ou a menina era uma megera e não consegui enxergar isso apropriadamente.

Mas aí House descobre que a paciente não é a namorada dele, e sim sua amiga. Quem eles pensavam estar tratando está, na verdade, no necrotério do hospital. Fiquei tocado demais com isso, porque né. Já pensou, que coisa mais horrível? Você ficar ao lado de uma pessoa com uma condição ruim no hospital, mas com a esperança de que pode se recuperar, e de repente descobre que há um erro de identidade e seu parente está morto desde o acidente? Inimaginável.

No mais, adorei a rixa entre House e Wilson. A GUITARRA SEQUESTRADA! HAHAHAHAHA Foi legal o jogo de gato e rato. House dando o troco roubando um PACIENTE HAHAHAHAHA. Bem típico dele mesmo. BTW: adorei a parceria com o zelador no início, ri muito.

Agora quero ver quem serão as pessoas que irão disputar as vagas que House está oferecendo. Acho que deve ficar um ou dois, uma vez que Omar Epps, Jennifer Morrison e Jesse Spencer continuam sendo creditados na abertura – ou sejam, devem dar às caras logo, logo.
2016-03-25 10:52:38


Episodio 4x2 - Nota 9

O caso foi interessante por conta da participação dessa nova equipe, inclusive daqueles que foram demitidos. Foi boa a cena em que aqueles três arrombam o apartamento. E o que dizer daquele que foi dar choque cardíaco na paciente em uma sala de oxigênio? GENTE DO CÉU, QUE HORROR! HAHAHAHAHA No final, fiquei com muita pena da mulher. Triste ver um sonho morrendo dessa forma, né. Ela queria tanto e agora vai ter um problema de saúde pro resto da vida... :/

Não gostei nada daquela médica loira competitiva. Acho que fiquei com mais raiva dela quando House afirmou que ela estava apontando pro carinha que tinha falado o nome da paciente pra Cuddy e etc. Seje menas, miga. É uma competição, mas isso não quer dizer que você tenha que usar de armas sujas pra derrubar seus adversários.

Ainda não decorei muito bem os nomes e nem sei assimilar rostos, já que foram muitos os médicos que tiveram certo destaque. Agora que o número restante de competidores diminuiu, vou ser capaz de prestar mais atenção em cada um deles.

Cameron lindíssima loira. Jennifer Morrison fica linda de qualquer forma, aliás. E fiquei muito feliz em saber que não só ela, como o Chase continuam trabalhando no hospital, só em áreas diferentes. Particularmente, torço pra que eles retornem para a equipe do House. Não os quero fazendo apenas participações vez ou outra. Já o Foreman, segundo o Wilson, está mesmo em outro hospital. Mas creio que ele deva retornar logo, logo.

Temporada começou muito bem, diferente. Tô gostando.
2016-03-26 11:54:04


Episodio 4x3 - Nota 9

Olha, achei esse caso principal muito triste, PQP. Primeiro pelo relato do paciente quando Wilson informou que ele poderia estar com câncer, dizendo que ele estava em um corpo inútil há muito tempo, que seria bom se libertar e etc. Já foi tocante por si só. Daí pouco depois, mostram aquela sequência destruidora dele com o cachorro (sem ao menos ter forças para colocar a mão na cabeça dele) e morrendo em seguida. GENTE, QUE DOR. QUE DOR!

Daí o cachorro morre também, e eles descobrem que o diagnóstico da Thirteen estava correto e o remédio teria ajudado o paciente a se recuperar – sem falar que o cachorro não teria morrido. Nossa, foi um evento de fatalidades tudo o que aconteceu aqui. Deu pena da Thirteen, também. Mas fiquei feliz pelo House não tê-la demitido. Gostei bastante dessa personagem.

Falando em House: acho que esse episódio foi o primeiro em que eu realmente fiquei com um ódio surreal dele. Gente, enfiar a faca na tomada só pra ver se existe o afterlife??? Fiquei puto MESMO, achei desnecessário. Ainda mais levando em conta que ele estava com um paciente em estado crítico! Um absurdo não pensar nisso antes de fazer uma loucura dessas, eu ein! BTW, achei muito sutil ele dizendo pro corpo do cara no final “I told you so”, insinuando que ele não viu afterlife coisa alguma.

No mais: a parte do Foreman foi interessante pra ver como o House não saiu dele. Justo ele, que ficou com aquele mimimi insuportável de não querer se tornar House e blá blá blá. HAHAHAHAHAHA. Agora foi demitido, aposto que retorna logo.

O espírito competitivo da Amber é muito irritante. Amiga, pare. É manipuladora demais.

Chase e Cameron vão continuar como figurantes? Não pode isso, produção!
2016-03-28 10:50:20


Episodio 4x4 - Nota 8.5

Não dá pra Amber ficar na equipe porque ela joga sujo. Seu comportamento manipulador pode funcionar pra movimentar o episódio e causar intriga, mas particularmente a acho uma pessoa tóxica demais e que simplesmente NÃO SABE trabalhar em equipe – e sabemos bem que esse é um dos requisitos cruciais para o cargo o qual ela está aplicando. Achei o cúmulo do absurdo ela falar pra paciente sobre o rapaz que morreu no episódio passado e, como se não bastasse, colocar a coleira do cachorro pra perturbar a Thirteen. GENTE? Quem faz isso? Não odeio a personagem, mas não gostaria de vê-la fixa na equipe.

Thirteen, ao contrário dela, já me conquistou e espero que continue. Ela merece, sim. É atenciosa, carismática, determinada. Tipo de personagem que só agrega.

O caso foi bom, fiquei muito agoniado com os ataques da Irene. Sem falar nesse negócio de estar vendo a mãe, de realmente acreditar que a mulher estava lá e tal. Achei a cena da “despedida” bem bonita e significativa, com a mãe colocando o colar duplicado no pescoço dela. Foi interessante.

Cameron maravilhosa fazendo a aposta com o House e vencendo! HAHAHAHA. Será que ela e o Chase não vão retornar mesmo à equipe dele? Porque gente, só essas ceninhas rápidas dos dois não dá. Quero eles fazendo parte do conflito principal, fazendo parte da busca pelo diagnóstico, por favor.

BTW: o que dizer do House levando aquele soco do carinha? HAHAHAHAHA.

Agora, sobre o final: no mínimo irônico o Foreman, não? Deu raiva. Cuddy oferece emprego, ele recusa. Daí é recusado em todas as entrevistas que faz e aí decide retornar fazendo exigências? Quer o aumento de salário que ela havia proposto MAIS 5%, um assistente só dele, um escritório só dele. Ah, vá à merda! Fez todo aquele escarcéu, praticamente provocou a demissão do Chase, fez com que a Cameron se demitisse indiretamente e aí quer fazer exigências pra VOLTAR, sendo que não conseguiu nada em lugar algum?

Preferia que nem voltasse.
2016-03-29 10:56:08


Episodio 4x4 - Nota 8.5

Sim! HAHAHAHAHA
2016-08-27 10:40:28


Episodio 4x4 - Nota 8.5

Ok.
2017-12-10 12:12:24


Episodio 4x5 - Nota 9

Bem interessante o caso desse paciente, ein? Esse lance de “síndrome do espelho”, ele imitando praticamente todos os médicos. Fiquei bem surpreso e foi legal de acompanhar. Sem falar na ótima atuação do Frank Whaley, que deu vida a esse paciente. Dei risada em algumas imitações, por exemplo. Principalmente a do final, quando ele assume o “House”, provando que este é mais dominador que a Cuddy HAHAHAHAHAHAHA. Mais uma vez, ÓTIMO que House tenha descoberto o problema e dado o tratamento correto.

Quando Cuddy entrou com Foreman e disse que ele seria seus “olhos e ouvidos” e etc, já revirei os olhos porque lembrei aquele período quando ela fez do Foreman um “supervisor”. Isso é uma coisa que não me agrada porque não gosto de ver House respondendo a um contratado seu – acho que confundem “supervisionar”, que no caso é passar as informações pra outra pessoa, com “ser chefe do trabalho”, que é o que o Foreman deseja.

Além disso, os comentários desnecessários do Foreman sobre não querer esta ali, sobre todo mundo pensar que House o corrompeu e agora ele está sem emprego e blá blá blá. Dispenso. Não odeio o personagem, mas não morro de amores por ele. Agora que aparentemente aceitou que está de volta ao hospital e pronto, espero que melhore um pouquinho mais.

Continuo sem me conformar com essas mínimas aparições de Cameron e Chase, ainda mais levando em conta que eles estão namorando firme e essa é uma coisa que eu gostaria muito de ver. VOLTEM, MIGOS! VOLTEM!!!

Essa temporada começou de uma forma muito maravilhosa. Tô gostando demais de tudo e já comecei a me apegar com os candidatos que estão brigando pelas vagas – até mesmo a Amber, que é a mais tóxica. Essa série < 3
2016-03-30 10:40:53


Episodio 4x6 - Nota 9

Morri com House mencionando o Brasil e falando português! Bonitinho demais dizendo “castanhas do Pará” HAHAHAHAHAHAHA. Interessante esse caso que ele pegou na CIA. E o mais legal foi que ninguém acreditou que ele estava fazendo um trabalho pra essa organização mesmo, ein? Até mesmo o Wilson custou a acreditar e acabou se ferrando nas mãos da Cuddy também HAHAHAHAHA.

No final, eu realmente pensei que ela tinha acreditado que House estava tratando o filho de um ricaço. Já estava, tipo, WTF?! Seria muito ingenuidade dela MESMO HAHAHA. Coitado, vai ter que pagar 24 horas na clínica por... DIZER A VERDADE!

Então aquela médica do outro hospital vai integrar a equipe do House a partir do próximo episódio? Hum. Será que vai durar? Será que vai rolar alguma coisa entre os dois? A expressão do House na última cena... Sei não, ein!

Já o caso do Foreman também foi interessante. E o final foi muito inesperado. Que patético aquele médico envenenando a menina só pra se provar. Espero do fundo do meu coração que ele não tenha conseguido fugir, que tenha sido preso. Afinal, ele cometeu um CRIME e precisa pagar por isso. Não pode ficar impune.

PS: Fiquei até mal porque me irritei com o Foreman e no fim, ele estava certo o tempo todo. Ai, ai...

Temporada segue excelente.
2016-03-31 10:43:00


Episodio 4x7 - Nota 8.5

Mas eu morri rindo demais com esse episódio. Aquele momento em que Cuddy foi questionada por conta dos locais onde House estava indo para discutir a saúde do paciente foi demais! HAHAHAHAHAHAHA. É incrível o quanto ela é pisada, PQP.

Aliás, todo esse lance do documentário deu um tom cômico maravilhoso pro episódio. Ri muito com o povo preocupado com a aparência, e ficando sem graça, e falando coisas que não deveria falar. Tipo a Cameron afirmando que amava o House e ficando toda confusa com as palavras depois. HAHAHAHAHAHA

E o que dizer do first cut do filme, gente? PRA SEMPRE impagável a reação do House com a montagem que fizeram dele HAHAHAHAHAHA. Criaram um House completamente novo usando o sarcasmo como uma pessoa real. “Sou médico por causa do filme Patch Adams” KKKKKKKKKKKKKKKKK. Muito bom.

Dra. Tarzi demitida... Não imagino o ódio dela, já que decidiu sair do emprego da CIA por conta do convite dele pra trabalhar nesse hospital. Ai, ai.

Ah, o caso foi legalzinho. Fiquei feliz pelo menino ter conseguido a cirurgia, after all.
2016-04-01 11:00:48


Episodio 4x8 - Nota 9

O próprio House reconhecendo que finalmente teve um caso de Lupus! HAHAHAHAHAHA achei engraçada essa reação. E gostei muito da condução, principalmente porque achei o paciente bem carismático e ainda conseguiu entreter com os truques de mágica – o House surpreso com a carta no vidro foi muito bom.

Esses candidatos já estão convivendo com House há tempo suficiente pra entender que, nos jogos que ele administra, as regras precisam ser respeitadas – mesmo ele prezando quando alguém dá um passo inteligente de forma contrária ao que ele propõe. Cole, ou Big Love, foi muito patético. Além de fazer um acordo com a Cuddy pra conseguir a calcinha, ainda foi e indicou o amigo para o “paredão”. Como o House disse, deu MAIS poder à Cuddy, desta vez em um jogo que não era dela para interferir.

Sinceramente, não fiquei com pena por ele ter sido demitido, e muito menos por Kutner ter dado às costas pra ele no final – embora este último tenha sido mesquinho falando sobre levar o filho do amigo ao zoológico e etc. Acho que faltou mais consideração por parte do Cole, e mais inteligência. A próxima, então, pode ser a Amber (que não odeio, mas esse espírito manipulador competitivo não combina com trabalho em equipe).

House todo surpreso quando percebeu que Cuddy estava sem calcinha foi um dos momentos mais impagáveis da série até agora. Ri demais com o “OH. MY. GOD!” separado, lembrei da Janice de Friends! HAHAHAHAHA

2016-04-02 11:05:18


Episodio 4x9 - Nota 9

Eu não acho que a Amber fosse necessária, que tivesse uma essência e nada do tipo. Acho que House argumentou bem o motivo da demissão: “ela manipula e joga bem, mas pelos motivos errados”. O jogo dela, no meu ponto de vista, é sujo. Do tipo que coloca a competição acima da real necessidade do paciente, só para conseguir se sair por cima. Não odeio a personagem, até consegui simpatizar com ela nos últimos episódios. Mas ela tem uma personalidade que simplesmente não combina com um “trabalho em equipe”...

Já a Thirteen... Fiquei com receio dessa demissão, porque de todos esses candidatos, ela é a que mais consegui gostar. Claro que tudo não passou de uma manipulação do Gregory House pra cima da Cuddy, né? HAHAHAHA Fiquei contente por ter voltado atrás. E por fim, temos a equipe completa. Gosto muito do Taub também. Sou um tanto indiferente ao Kutner, mas se continuar, acho que vou gostar dele. HEHE

O caso da semana trazendo o Gavião Arqueiro aka Jeremy Renner como paciente. ADOREI! HAHAHAHAHA. E achei tão legal ele brincando com as crianças. Só pela pequena cena, já deu pra ver que ele leva jeito. Pena que esteja tão perdido por conta das drogas, né.

E o paciente do Wilson? Uma loucura, mas até deu pra entender o cara. Aparentemente vivia de forma monótona, pensando apenas no futuro e de repente se viu obrigado a pensar no presente – algo que ele viu ser mais vantajoso, porque estaria “vivendo”. Aí de repente descobre que não está com os dias contados e que está com dívidas que não pode quitar. Volta os problemas. Fiquei até com pena, embora o processo seja um total exagero.
2016-04-04 10:46:18


Episodio 4x9 - Nota 9

Agora tem! hahaha
2016-04-04 11:56:09


Episodio 4x10 - Nota 8.5

House esperto. Adorei ele colocando o próprio nome várias vezes, pra ser o único a receber presentes no amigo secreto HAHAHAHAHAHA. Tirou proveito do espírito natalino de todo mundo, né. Até ele se envolveu bastante, podemos dizer.

Foi bom ver a nova equipe já trabalhando no escritório do House e tal, já que o foco estava sendo aquela sala de palestras. Ainda sinto muita falta do Chase e Cameron ali e continuo naquela esperança de que eles voltem, nem que a equipe fique com seis médicos no total. Essas participações não são o suficiente! HAHAHA BTW, todos eles se encontrando no final pra comemorar o Natal foi tão bonitinho!

Wilson e aquele chapéu estava engraçado HAHAHAHA.

O caso foi bom. Fiquei surpreso com a revelação de que a menina não é filha biológica. Também pensei que a mulher fosse acabar contando, mas certamente não é o momento pra ela.
2016-04-05 11:06:50


Episodio 4x11 - Nota 9

Surpreendente mesmo ver o House se importando tanto com a paciente. Acho que foi por conta da distância, ter que tratar de uma pessoa sem conseguir tocá-la, realizar os exames e etc. Acho que se ele não conseguisse descobrir o que estava errado, com certeza ficaria perturbado.

E quem diria, ein? O problema todo causado por um dedo quebrado que nem estava fazendo a menina sentir dor. Achei interessante. House, como sempre, muito esperto. Chegou à conclusão correta antes mesmo de ver o dedo da menina. HAHAHAHA

Morri com House exigindo TV à cabo! HAHAHAHAHAHA E a Thirteen rainha dando a resposta certa que ele queria, sem nem ao menos tentar. Ela o compreende perfeitamente, só não sabe disso HAHAHAHAHA.

Como assim o Wilson está namorando a Amber, gente? Por essa eu não esperava!
2016-04-06 15:33:18


Episodio 4x12 - Nota 8.5

Mais uma vez trazem discussão de religião para um caso complicado de diagnosticar. Até hoje, a série não me decepcionou nesse quesito. Sempre dosa a crença e a ciência muito bem. Achei interessante esse tema “novo”, as crenças do marido, o medo que ele estava sentindo da esposa voltar a ser o que era antes de se conhecerem e etc. E claro, House descobrindo a causa.

No mínimo bizarro, né? Foi estranho naquela cena em que levantou e teve o colapso, e com esse final... Ele pega em um lado, ela melhora, ele solta, ela piora... Que loucura, gente! HAHAHAHAHAHA

Morrendo demais com o House falando que Wilson está dormindo com ele HAHAHAHAHA. Pior é que a Amber parece com ele mesmo, tem uma personalidade semelhante. Agora, sobre ela: achei legal o conflito que causou no episódio, e acho que ela está com o Wilson pra se vingar mesmo. Não é por querer emprego de volta ou algo do tipo, mas sim pra causar a discórdia. Afinal, ela é a “cuttthroat bitch” por uma razão, não é mesmo? HAHAHAHA

Chase < 3333
2016-04-07 10:57:46


Episodio 4x13 - Nota 8.5

Tô achando bem interessante essa disputa do House com a Amber. E o Wilson tá adorando demais HAHAHAHAHA tá nítido na cara dele que a atenção especial é mais que bem-vinda. Acho que acertaram em trazer a Amber de volta nessa situação, ao invés de ser uma média do team – onde acho que ela não funciona. A personalidade dela é semelhante com a do House, é bom ver esse conflito “igual”. Ela, de fato, faz com ele o que ele faz com todo mundo. Tô gostando de ver.

E o House segue com suas zueiras. Primeiro fica dando essas dicas, essas indiretas de que a Thirteen possa ser bissexual – o negócio do “31” foi ÓTIMO. Aí vai e troca o exame de sangue dele mesmo pra um que aponte sífilis! HAHAHAHAHA E tudo pra parecer que estava ficando mais legal. HOW COOL IS THAT?!

MORTO com Chase questionando Cameron sobre ela ter dormido com o House. E ela ainda fez mistério, dizendo que não era da conta de ninguém KKKK. Sabemos que isso não aconteceu, né.

O caso foi bonzinho. Fiquei com pena da mulher com medo do marido se transformar em outra pessoa com esse tratamento...

Ótimo episódio.
2016-04-08 11:01:20


Episodio 4x14 - Nota 8.5

Muito bom o episódio, bem descontraído mesmo e divertido. Acho que o mais engraçado que tivemos nessa temporada. House estava impagável – a cena do elevador, com ele fazendo o ator desmaiar e o Wilson chocado foi ÓTIMA HAHA. Sem falar na ousadia de SEQUESTRAR o cara por notar um comportamento diferente pela TELEVISÃO, né. Mas como sempre, House estava certo – mesmo estando errado. Que loucura! HAHAHAHAHA

Além disso, adorei essa participação mais ativa da Cameron. Não quero que o House demita ninguém, mas queria muito que ela e o Chase retornassem ao departamento. A presença dela nesse episódio me deixou com saudades do tempo que eles eram o time. Era uma excelente sintonia! HAHAHAHAHA. E Cameron dizendo que não sente falta do House: Aham, Cláudia, senta lá.

Tô começando a gostar mesmo da ideia do Wilson com a Amber. Acho que ela está gostando mesmo dele. A cena final dos dois foi bonitinha.

E que venha a finale agora! Ansioso!
2016-04-09 11:13:45


Episodio 4x15 - Nota 10

MELHOR EPISÓDIO! Não só da temporada, quanto da série mesmo. E o próximo tende a ser ainda melhor, não consigo conter minha ansiedade, e o meu medo.

Sério, NUNCA nem ao menos cogitei que a verdadeira vítima que House estava procurando fosse ser a Amber – e pior que com as alucinações que ele teve com a própria, dava ao menos pra supor. Foi uma boa cartada, colocando um personagem que conhecemos ao invés de um John Doe pra causar impacto. E fico com medo. Tive meus problemas com a Amber quando ela estava na competição e continuo defendendo meu argumento nesse quesito, mas ela é uma “cutthroat bitch” muito fácil de se apegar. Ficarei na torcida aqui.

Além da reviravolta, a condução do episódio foi magistral, tornando-se um dos mais inteligentes que já assisti. Todas as alucinações do House, ele se imaginando dentro do ônibus novamente, conversando com as pessoas. A aparição daquela mulher. E ainda tem o fato de ter salvado a vida do motorista sem ele ser a pessoa que viu “morrendo”. GENIOUS!

Muito explosiva e surpreendente essa primeira parte da finale. Digna da temporada.
2016-04-11 11:10:31


Episodio 4x16 - Nota 10

Mas gente, que episódio foi esse? Junto com o anterior, foram os melhores da SÉRIE mesmo. Uma junção incrível de realidade + cabeça do House, e tudo escrito de forma inteligente e comprometida, sem fazer o público se perder ou algo do tipo.

Sem falar que o caso em geral foi muito emocional. Esse drama pra descobrir qual era o problema da Amber antes do acidente, e eles ainda tendo que lidar com as consequências do acidente em si... Fiquei muito aflito. House deixando a emoção passar à frente das decisões racionais foi outra surpresa, uma vez que estava seguindo a linha de pensamento do Wilson mesmo acreditando que não era o correto. Foi um diferencial e gostei de vê-lo respeitando isso...

O problema aqui foi somente a insistência do Wilson em querer colocar a vida do House em risco. Acho que ele não mediu as consequências. Fiquei aflito com House tendo a convulsão e entrando em coma por conta do procedimento. Que horror, gente.

Agora, a sequência final foi de despedaçar. No lugar do Wilson, eu JAMAIS teria coragem de acordar a Amber, gente. Por mais que eu quisesse me despedir, por mais que eu estivesse triste... Ela acordou pra saber que estava morrendo! A reação dela quando percebeu isso me deixou jogado no chão, literalmente. Inimaginável uma coisa dessas. E o momento da morte em si me destruiu muito. Wilson encontrando o bilhete dela avisando que ia buscar o House... Gente, triste demais.

House com certeza vai se sentir terrivelmente culpado, já que ela estava no ônibus por causa dele. E sei não, mas esse momento do Wilson dando às costas quando House abriu os olhos ficou parecendo que ele não irá perdoá-lo tão facilmente. Já fico com medo.

E o que dizer do teste da Thirteen dando positivo pra doença de Huntington? MEU DEUS GENTE, que dó dela.

Enfim, essa foi a melhor temporada de House até agora, de fato. E quem diria, ein? Com a saída do Chase e Cameron do time... Perdi as esperanças de que eles possam voltar, acho que devem ficar na figuração mesmo.
2016-04-12 11:09:30


Episodio 5x1 - Nota 8.5

Nossa, fiquei decepcionado com a atitude do Wilson no final desse episódio. Porque eu pensei o tempo todo que o motivo de sua partida era justamente a lembrança da Amber, que ele não estava conseguindo suportar. Ir embora porque não quer mais ser amigo do House, porque não quer mais saber dele e etc, embora não afirme que o culpe pela fatalidade, foi algo que eu não estava esperando ouvir.

House pode ser egoísta e insensível, mas o Wilson mais do que qualquer pessoa, pelos longos anos de amizade, deveria saber que no fundo ele se importa sim e amizade é isso: é uma irmandade, é saber que você tem alguém com quem pode contar. Ora, House praticamente deixou uma de suas pacientes pra morrer em troca da permanência do Wilson no hospital, isso não é GRITAR que ele se importa com o amigo? Sei não... Acho que Wilson deu essa desculpa porque ele acredita na culpa do House no acidente, e por isso quer se afastar. SÓ PODE.

O que, de qualquer forma, é triste porque mesmo com House tendo a ideia fixa de que “não estava dirigindo o ônibus, nem o caminhão”, é óbvio que no fundo ele sente alguma culpa. Amber estava lá por causa dele. Não importa se ele chamou ou não, ela foi por ele e House tem consciência disso – o que vai contra o argumento e a afirmação de que ele não se importa.

Nem sei mais o que pensar, viu. Quero que a situação se resolva, e não quero que o Wilson vá embora. Acho que ele tem razão em alguns de seus argumentos, mas estaria mentindo se dissesse que não me decepcionei. Não acho que seja esse o caso, mas se ele duvida que algum dia o House foi seu amigo, então, né... É de ver como House vai agir pra reverter isso.

O caso em geral ficou de pano de fundo, mas foi interessante por conta da Thirteen determinada a descobrir qual era o problema. Queria que ela tivesse acertado, dando um diferencial para o episódio... Mas tá ok. Pelo menos a mulher vai se recuperar.

E Thirteen refletindo sobre sua condição... Ela falando que em doze anos vai perder o controle emocional e outras coisas importantes do cérebro... Não consigo lidar!

BTW: morri rindo com House afirmando pro paciente obeso que Cameron terminou o relacionamento deles porque ele perdeu 40kg HAHAHAHAHAHA.

Espero que essa temporada seja tão boa quanto a anterior.
2016-04-13 11:00:00


Episodio 5x2 - Nota 9

Wilson tá muito exagerado. Episódio passado eu comentei que ele teve razão em alguns de seus argumentos, mas agora já tô achando um chato mesmo. O ponto dele não é o negócio da amizade, House desvalorizar e etc, porque ele sabe o quanto este último se importa – embora se esforce horrores pra esconder. O ponto é que Wilson culpa o House pela morte da Amber e por isso quer terminar a amizade. Afinal, é como o próprio House disse: o ex-amigo clama que quer seguir em frente, mas se encontra com Cameron, Cuddy, Foreman, se bobear até o Chase, e só com o House ele não quer papo. Isso é “seguir em frente” como?

Isso reforça a teoria de que o problema é ele acreditar que House é culpado. Afinal, ninguém termina uma amizade de anos, por mais problemas que tenham, e não sente nem um pouco a falta do outro. House tá demonstrando isso e, como retorno, recebeu uma porta fechada na cara. Acho bom ele seguir em frente e parar de correr atrás. Não é bom insistir com gente que não se importa conosco.

Eu ADOREI o detetive Lucas Douglas com todas as minhas forças e espero que ele fique fixo na série, como investigador particular do House para os casos médicos mesmo. E se não for pedir muito, que se tornem amigos. Acho que eles teriam uma boa dinâmica, tanto no trabalho quanto fora dele. Fico na torcida. O Lucas é bem carismático HAHAHAHA. E é melhor do que aquele Dr. O’Shea que House questionou pra saber se poderia ser um novo Wilson na vida dele, convenhamos.

O caso foi excepcional, um dos melhores da série no meu ponto de vista. Achei muito interessante essa corrida pra descobrir qual era o problema, esse monte de pacientes que receberam transplantes de um mesmo doador morrendo... Foi muito bom de acompanhar, além de tenso. Sem falar que a Apple era muito carismática (adoro demais a Felicia Day). Ela dizendo que o House parecia triste no final, poxa! :/

Enfim, excelente episódio.
2016-04-14 11:02:10


Episodio 5x3 - Nota 8.5

Acho que já amo o Lucas Douglas. Ele é tão carismático e simpático, não tô conseguindo lidar. Espero que ele fique fixo mesmo, porque já me apeguei. Ele e o House interagem bem demais, possuem personalidades semelhantes, até. Tá bem legal de acompanhar.

O plano que montaram pra conhecer mais sobre a Cuddy e enganá-la, também, foi bem legal. E a aposta que fizeram? House já demonstrando ciúmes, Lucas se interessando verdadeiramente pela Cuddy... Esta última aparentemente se derretendo também. HAHAHAHAHAHA

Taub e a esposa... Fiquei meio perdido com a situação. Estava desconfiando que ela estava traindo. Ela disse estava economizando dinheiro para um carro e deu o carro de presente pro marido no final. Aí ele disse que eles precisavam conversar. Ele descobriu que ela tem mesmo um amante e deixei essa cena passar? Não entendi muito a decisão dele no final. Mas espero que se resolva, já que ele parece gostar bastante dela, né.

O caso não foi interessante. As outras tramas foram realmente bem melhores.

BTW: morro com essas indiretas do House em relação à sexualidade da Thirteen.
2016-04-15 11:34:49


Episodio 5x4 - Nota 9

Fiquei muito feliz com o retorno do Wilson ao hospital, com a retomada da amizade com o House e tal. Ainda mais levando em conta que eu tinha ficado muito irritado com ele no 5x02, porque acreditava que ele estava rompendo com o amigo por achar que ele era culpado pela morte da Amber e etc.

E o House tem esse jeito irritante mesmo que é muito difícil de lidar – eu não sei qual seria minha reação se, além de derrubar minhas chaves dentro do esgoto, ainda jogasse a lanterna e ficasse sentado observando o meu esforço pra conseguir recuperar. Mas o House é assim mesmo. O nível de irritação acaba tornando-o uma pessoa engraçada. E o Wilson se diverte com ele, mesmo com essas neuras. Ah, o brotp é lindo demais!

BTW, pra quem diz que House não se importa com nada e ninguém: além de ter provado que preza muito a amizade do Wilson, mostrou-se abalado com a morte do pai no final do episódio, ao menos. Ainda mais com a confirmação de que o John House não é seu pai biológico e tal. “A guerra acabou”.

O caso do episódio foi bonzinho. Fiquei agoniado com a paciente entrando em abstinência, que aparência mais horrível. E a resolução de tudo me deixou muito surpreso, gente. Alfinetes na cabeça. Até onde vai a crueldade do ser humano...
2016-04-16 10:54:40


Episodio 5x5 - Nota 9

Qual o problema da Thirteen começar a sair com outras mulheres casualmente? O comportamento autodestrutivo não é bom pra ela, muito menos levando em conta sua profissão. Mas gente, ela tem Huntington. Saber que você porta essa doença e que ela pode começar a se manifestar de verdade em poucos anos é o suficiente pra deixar qualquer um fora de controle.

Particularmente achei que o House estava exagerando com a demissão, então achei ótimo que só estava querendo ensinar uma lição pra Thirteen. Pena que a ligação emocional que conseguiu estabelecer com a paciente não tenha sido suficiente pra tirá-la desse caminho ruim que está seguindo agora.

House seguindo o Wilson! HAHAHAHA Gostei da pegadinha que este último realizou, com as seringas usadas e tal. Sem falar no fato de ter convencido o amigo de que estava apaixonado por uma prostituta ein! HAHAHAHAHA

Fiquei feliz pela Cuddy ter sido aprovada no processo de adoção de um bebê, já que a maternidade é algo que ela quer há muito tempo. Já a reação do House, eu entendi de uma única forma: ele tem sentimentos por ela, se interessa por ela, e talvez o fato de se tornar uma mãe agora seja um obstáculo para uma futura relação amorosa. É como se fosse um “estamos em lugares diferentes agora”, já que antes não havia nenhum impedimento por ambas as partes. Enfim...

O caso, em geral, foi bom. Gostei.

2016-04-18 10:51:30


Episodio 5x6 - Nota 9

Queria ter vibrado um pouco mais com esse beijo do House e Cuddy, já que a tensão sexual entre os dois existe desde sempre – e o sentimento dele ficou ainda mais nítido quando Cuddy revelou sobre a adoção no episódio passado. No entanto, o comportamento do House durante TODO o episódio me impede de olhar pra essa cena da forma que a maioria aqui conseguiu fazer.

Porque é exatamente como a Cuddy disse: o episódio INTEIRO, House fez um jogo muito sujo pra tentar provar que ela não estava pronta pra ser mãe, que não tinha aptidões maternas e etc – como se alguém estivesse pronto pra ser mãe ou pai antes da chegada da criança. Achei muito infantil e muito imaturo, mais do que ele já é naturalmente. Daí no final, ela perde a criança e ele aparece dizendo que seria uma ótima mãe? Porque ele não surgiu com esse incentivo quando a bebê era dela? Fiquei decepcionado. Eu amo o House, e o comportamento irritante dele quase sempre é um “charme” à parte. QUASE. Nesse, foi IRRITANTE por si só.

Além disso, fiquei com um ódio MORTAL daquela menina. PORRA, primeiro fez a Cuddy passar por todo aquele sufoco quando decidiu escolher a própria vida do a da filha, alegando que já tinha desperdiçado nove meses da vida dela carregando aquela coisa “estúpida” e etc. E aí depois disso, decide que deve ficar com a bebê? ODEIO essas pessoas que anunciam a procura de pais para os bebês que estão gerando, sem estar completamente seguro da escolha. NADA PIOR que isso, acho. É brincar demais com pessoas que realmente desejam se tornar pais.

Sobre o caso principal: que LOUCURA aquele diagnóstico, nunca tinha ouvido falar disso aí. Indiferença pode ser uma doença, então! WOW!

Excelente episódio.
2016-04-19 10:51:01


Episodio 5x7 - Nota 8.5

O episódio foi ótimo por conta do destaque que Cameron e Chase receberam, coisa que nós não víamos desde o fim da terceira temporada. E o destaque foi tanto pelo envolvimento com o caso principal, quanto pela vida pessoal. Estava com saudades de vê-los como casal e curioso pra saber em que ponto a relação estava. Chase é lindo demais, aquele sorriso quando Cameron falou sobre a gaveta foi contagioso. Ainda tenho esperanças de que eles voltem a trabalhar na equipe do House porque preciso desse destaque (mesmo gostando muito da nova equipe).

Ah, o caso em geral teve seus momentos. Foi bizarro mesmo o problema desse paciente, essa neura dele com a rua, com pessoas em geral. Que horror. House confrontando-o no final... Ele realmente não mede as palavras quando joga as verdade na cara de quem for. A postura dele nesse quesito sempre me surpreende HAHA.

MORRI com o Wilson indo dizer pra Cuddy que tinha sentimentos por ela, só pra fazer o House ficar com ciúmes e reconhecer seus sentimentos. HAHAHAHA Ele é demais. Cuddy querendo conversar com o House apropriadamente, ele se afastando, optando por não discutir sobre decisões que normalmente ele não aceitaria de forma fácil diante dela... O que um beijo não faz, né?

Quero ver quanto tempo vai levar pra eles se aproximarem DE VERDADE. Pena que House não tenha tido coragem de ao menos bater na porta dela nesse final. Poxa! Stay strong, Dr. House! You can do it!
2016-04-20 10:35:15


Episodio 5x8 - Nota 8.5

Sobre o caso principal: fiquei muito chocado com a menina dizendo que tinha sido estuprada, que a mãe tinha optado por acreditar que ela estava mentindo. Mas olha, achei a menina chata pra caramba – me senti culpado por conta desse relato. Sei lá, muito relutante, fiquei irritado em diversos momentos. O plot twist foi bom. Não esperava que tivesse mentido sobre os pais. E a história sobre ela ter matado o irmão, mesmo tendo sido um acidente (aparentemente indireto), me deixou com o coração na mão. Coitada.

Fiquei feliz pelos pais terem aparecido pra dar apoio e pra fazer o transplante. Essa morte é algo que ela vai carregar na consciência pelo resto da vida. Seria muito triste caso os pais decidissem abandoná-la por conta disso.

Já o caso do Foreman também foi muito bom. Amei demais os irmãozinhos. O comportamento do mais velho, tão antecioso e amoroso com o mais novo. Um exemplo. E curti que Foreman conseguiu resolver sem precisar da ajuda do House – embora o tenha procurado.

House, aliás, me surpreendeu muito com a resposta para o Foreman no final. “Da última vez você pediu, agora você está dizendo, não posso negar”. Nossa! HAHA.

Então o nome da Thirteen é Remy? AMEI. Já sabíamos que o sobrenome era Hadley, por conta daquele episódio que a Cuddy a chamou assim pela primeira vez. ;)
2016-04-21 11:32:06


Episodio 5x9 - Nota 10

Caramba! Levei um susto quando o cara surgiu no escritório da Cuddy com a arma em punho e trazendo aquele monte de reféns. Não estava esperando uma coisa dessas – e como eu já assisti Grey’s Anatomy, a tensão ficou ainda maior.

De início, eu fiquei um tanto penalizado com o paciente. Não que eu tenha considerado suas ações justificáveis, mas é como o Kutner disse: o cara tinha 7 mil dólares em contas de hospital, sem conseguir descobrir qual era seu diagnóstico. Estava com medo, já que sua saúde estava piorando e etc. No entanto, qualquer tipo de “simpatia”, por falta de um termo melhor, que ele poderia reunir, acabou se perdendo quando atirou contra aquele rapaz pelo simples fato de querer mostrar que estava no comando e disposto a tudo. Imaginei que seria daqueles desesperados que queria forçar um tratamento e a descoberta de um diagnóstico, mas não seria capaz de ferir outra pessoa. Infelizmente, provou-se o contrário. Ao menos, foi liberando os reféns aos poucos.

House foi MUITO louco devolvendo a arma após aquele teste. Acho que ele não contava que o cara fosse ficar ainda mais louco, querendo matar a Thirteen dando todas as drogas primeiro pra ela. Bem que ainda tentou argumentar, dizendo que tomaria o que fosse necessário no lugar dela, mas... House pode até ser arrogante quando se trata dos casos e da necessidade de provar que está certo, mas como alguns comentaram, ele não sai por aí atirando em ninguém.

Thirteen foi uma verdadeira guerreira. Fiquei com o coração na mão quando implorou pro cara não forçá-la a injetar o remédio, especialmente quando clamou que não queria morrer. Ainda bem que o louco teve consciência e decidiu poupá-la no último segundo, porque né. Além disso, gostei que ela decidiu seguir em frente com esse tratamento que o Foreman propôs. Espero que dê resultado e que ela fique bem.

- No fim, House conseguiu curá-lo. Por isso o sorriso do louco. Ao menos ficará preso, pra aprender que não é assim que se faz as coisas.

- Fiquei decepcionado com o Chase no início, se recusando a participar do grupo de discussão para descobrir o diagnóstico. Entendo a frustração de não querer atender um louco que faz pessoas de reféns, mas ele devia pensar justamente nisso: nos reféns. Chase é muito bom com os diagnósticos e sua ajuda seria indispensável.

Foi um excelente episódio!
2016-04-22 11:17:44


Episodio 5x10 - Nota 8.5

Amei demais a Cuddy dando uma de House durante todo o episódio, com as peças que estava pregando. Amei ele sentindo a irritação que faz todos os outros sentirem o tempo todo HAHAHAHAHAHA. Além disso, tô amando demais a atração gritante entre os dois desde o beijo – antes já era forte, agora já tá nítida pra todos que quiserem bater o olho. Ele mandando a mesa que ela usava na faculdade... Que amor!

Pena que no final ela tenha ficado decepcionada. Pior que House estava tendo apenas uma conversa descontraída com a menina que foi contratada, né. Não era uma prostituta... Poxa!

Aliás, essa pegadinha que House pregou no Kutner e Taub foi SENSACIONAL. Ri demais quando a menina acordou após a massagem cardíaca. O susto que eles levaram foi impagável. House e seu jeito sutil de mostrar que sempre sabe de tudo que estão tentando esconder dele HAHAHAHAHAHA.

Chocado com as revelações da Thirteen. Fiquei com pena dela, tadinha. Lembrando desses momentos com a mãe e o quanto errou ao odiá-la erroneamente... Adorei a interação com o Foreman também, e o apoio que ele está dando pra ela. Torço pra que esse estudo clínico dê certo.

O caso principal foi bonzinho, mas poderia ter sido conduzido de uma forma mais interessante. No fim fiquei com raiva da paciente. Pregando uma coisa para algumas pessoas, sendo que ela segue outra diferente. Prefere ser bonita do que ser saudável. Amiga, se poupe e nos poupe, por favor.
2016-04-23 11:12:12


Episodio 5x11 - Nota 9

Muito bom. O caso foi tenso e interessante. E eu não estava esperando mesmo esse amontoado de reviravoltas no final. A descoberta da gravidez. A menina revelando que deixou a menina morta em uma casa vazia. Cuddy indo atrás e descobrindo que ela estava viva! Foi um turbilhão de emoções e surpresas, verdade.

Além disso, a Cuddy foi realmente a protagonista. O episódio foi dela. Cuidou da menina, avaliou todo o caso e os exames, descobriu qual era a doença e foi atrás da criança mesmo acreditando que estava morta. Gostei demais desse destaque que ela recebeu e, de quebra, ainda vai conseguir adotar a menina. Finalmente vai conseguir realizar esse desejo de ser mãe e fico muito contente por ela.

Só não entendi muito bem a razão pela qual os pais da adolescente decidiram entregar a neta para adoção. Afinal, ela é parte deles, é sangue deles. E a adolescente não vai sobreviver. Estranho eles abrirem mão da menina sabendo que vão perder a filha também...

Nossa, eu realmente acreditei naquele negócio de partenogênese. A expressão da menina e do namorado foi impagável! HAHAHAHAHAHA Pena que ele tenha sido realmente traído e o pior é que House mentiu sobre isso, só pra ganhar presente de natal e vencer a aposta com o Wilson. Ele não tem jeito mesmo! HEHEHEH.

E o que dizer da paciente borrifando o remédio pra asma como se fosse um perfume? SOCORRO MEU DEUS. Não é à toa que certos pacientes são tratados mal, porque né, é muita burrice.

Por fim: o Foreman foi PATÉTICO, pra dizer o mínimo, mandando aquela paciente com a doença avançada “superar” as náuseas. Sério, como ele teve CORAGEM de olhar na cara dela e mandá-la simplesmente SUPERAR? É preciso muito sangue frio e não se importar nada com pessoas pra fazer isso. E eu não estava esperando esse envolvimento com a Thirteen. Não sei como me sinto em relação ao beijo. Mas enfim.
2016-04-25 10:57:27


Episodio 5x12 - Nota 8.5

Achei esse caso um dos mais interessantes da temporada. Afinal, consistiu em um paciente sentindo dor a ponto de possuir desejos suicidas, e um filho que estava disposto a ajudá-lo morrer pra que se libertasse das coisas ruins que estava sentindo. De fato, a cena em que a criança finge um surto, uma dor, para dar tempo ao pai de tomar aquele negócio e morrer, foi bem forte. Em especial quando ele praticamente implora ao House para permitir que isso aconteça. Tipo, é uma criança!

E o Martin Henderson (além de estar absurdamente lindo nesse episódio), ainda deu um show de atuação na pele do paciente Jeff. Impossível não torcer pra que eles descobrissem logo qual era o problema e ele se curasse. Fiquei contente que tudo tenha dado certo no final. BTW: morto com House descobrindo o problema do cara ao ver o empreiteiro coçando o saco! HAHAHAHAHAHA

Chocado que Thirteen está fazendo tratamento à toa. Eu aqui torcendo pra que esse estudo fosse dar algum tipo de esperança pra ela e aí descobrimos que ela está recebendo placebo. Como pode, gente? Fiquei tristíssimo com essa. Quanto à relação com Foreman: não sou capaz de opinar. Foi muito de repente e eu nunca consegui ver os dois juntos...

E como é que o House sempre sabe de tudo, gente?? Ele já lançano indiretas sobre Thirteen e Foreman. HAHAHAHAHAHA

Fico feliz pela Cuddy com a criança. Adorei o nome que deu. Pena que ela já esteja encontrando dificuldades pra conciliar a vida maternal e a profissional – o que é normal, levando em conta que é um bebê praticamente recém-nascido. Agora, não esperava que fosse oferecer o cargo pra Cameron! Será que isso vinga???

Enfim, foi um ótimo episódio.
2016-04-26 10:48:07


Episodio 5x13 - Nota 8.5

Olha, eu até gosto do Kutner... Mas no lugar do House, ele teria sido demitido imediatamente após aquele procedimento cirúrgico da paciente. Achei um absurdo, pra dizer o mínimo, ele ligar pra Cuddy (que estava afastada) e colocá-la pra falar com House através do telefone diante de todos os médicos e da paciente. Ela disse que o procedimento era desnecessário na frente da mulher, que já estava com o crânio à mostra no momento. Sem falar no choro da criança, que poderia facilmente atrapalhar e desconcentrar os cirurgiões responsáveis.

NADA justifica isso. Kutner é médico e faz parte da equipe, mas ele precisa saber que é subordinado do House. Foi antiético e NADA profissional. Fiquei com raiva.

E o que dizer da Cuddy tendo insegurança em relação à filha? Fiquei chocado quando ela contou ao Wilson que não estava sentindo nada, porque eu imaginei que já estivesse super apegada e etc. Ora, ela até cogitou desistir da adoção! Sorte que tem o Wilson, que deu auxílio e apoio nesse momento importante e conseguiu convencê-la do contrário. Cuddy só precisa dar tempo ao tempo, convenhamos.

BTW: morri com Wilson dizendo que tinha mandado retocar a foto da Rachel pra mostrar como ela seria mais velha. Fiquei tipo WTF, como podem fazer isso com um bebê se ainda vai mudar consideravelmente as feições? HAHAHAHAHA.

Gostei da Cameron chefe. Morro de preguiça desse povo que não gosta de absolutamente nada que ela faz. Cuddy não pode falar muito sobre ela ter concordado com as ideias do House porque ela mesma, embora seja relutante, sempre acaba cedendo, né. Pena que já tenha acabado.

Foreman deu o primeiro passo pra destruir o estudo clínico que está fazendo, colocando o medicamento correto pra Thirteen. Destrutivo demais pra carreira dele e pra credibilidade do hospital, inclusive. Quero nem imaginar quando descobrirem...
2016-04-27 10:38:16


Episodio 5x14 - Nota 8.5

Pra um 100º episódio, eu esperava mais... Foi um episódio bem normal da série mesmo. Nem Cameron e Chase deram às caras e eu pensei que teriam uma participação mais significativa, poxa...

O caso principal foi bonzinho. Achei a médica-paciente muito carismática, e foi bem legal vê-la chutando quais poderiam ser os problemas levando em consideração os sintomas que estava identificando... E o diagnóstico... A mulher estava LITERALMENTE menstruando por todos os lados. Gente??? Que horror! HAHAHA

O caso da Thirteen me surpreendeu. Quem diria que o medicamento iria causar tantos problemas pra ela? Dor de cabeça, tumor, perda de visão... Fiquei chocado mesmo. E fico triste também, porque esse estudo era a chance de conseguir ao menos controlar por um período a mais de tempo essa maldita doença que não possui cura. Agora foi tudo por água abaixo...

E o Foreman teve MUITA sorte. O normal seria ele perder a licença médica e o próprio hospital passar por uma investigação, porque ele adulterou o estudo ao trocar o placebo da Thirteen pelo medicamento real – e eu entendo a decisão dele, porque se importa com ela e queria que ela tivesse uma chance. Mas enfim... Quanto ao casal: continuo não sendo capaz de opinar. Mas devo me acostumar à essa ideia logo.

MORRI RINDO com o tombo que o House levou no escritório HAHAHAHAHA. Mas a Cuddy estava bem maldosa mesmo com essas brincadeiras, fazendo ele subir escadas conhecendo o problema na perna, fazendo ele cair... Ora, o emprego dela não é comandado por ele. Se ela quer ficar em casa com a menina, é direito dela. Existem licenças pra isso. Voltou pro hospital porque quis, convenhamos...

E o Wilson no apartamento da Amber no final... Não sei o que dizer, só sentir!
2016-04-28 10:57:50


Episodio 5x14 - Nota 8.5

Concordo!
2017-01-14 16:50:12


Episodio 5x15 - Nota 9

De fato, é sempre muito bom quando abordam religião na série. E desta vez, trazendo um padre como paciente, tão intrigante quanto o Dr. House. E este último ficou fascinado, ein? HAHAHAHAHA Foi só descobrir que ele era um padre que já não acreditava mais em Deus, que já não possuía mais fé, que foi correndo conhecê-lo pessoalmente.

Além disso, a discussão sobre a pedofilia também foi muito bem-vinda. Por conta dos escândalos com padres ao redor do mundo que acontecem nos últimos anos, todo mundo ficou desconfiado do paciente quando mencionou a acusação injusta que sofreu por um adolescente. Tipo, só porque ele era um padre. Aí no final todo mundo recebe esse tapa gigantesco na cara porque o acusador, acreditando que o cara está morrendo, aparece para pedir desculpas e, inclusive, chora!

Isso é pra ver como não se deve julgar as pessoas assim. O Taub foi o que mais ficou com o pé atrás e quebrou a cara... Achei bem feito.

Tava na cara que Foreman e Thirteen estavam encenando aquela briguinha em determinado momento do episódio. No entanto, House é extremamente inteligente. Ele é capaz de descobrir as coisas antes mesmo que elas aconteçam, literalmente. Então acho que ele não comprou nem por um segundo aquela briguinha dos dois. Ele sabe que foi encenado pra que ambos pudessem ficar no emprego. De qualquer forma, o joguinho dele foi muito bom HAHAHAHA.

E sobre Forteen em geral: continuo sem ser capaz de opinar. Acho tão estranho!

Por fim, que saco essa relação House-Cuddy. Ela convida o House para a celebração na casa dela, mas não quer que ele vá realmente. Daí ele não vai e ela fica esperando ele aparecer. Que falta de comunicação! Ambos já gritaram, praticamente, que possuem sentimentos um pelo outro. Então vamos agilizar isso aí, folks!

Cameron e Chase < 3
2016-04-29 11:16:19


Episodio 5x16 - Nota 9

Achei muito estranho o House todo feliz e compreensivo nesse episódio – e não que seja uma coisa ruim, mas como assisti 101 episódios com ele tendo a mesma personalidade arrogante, sarcástica, e derivados, essa mudança abrupta me pegou de surpresa. Ele raspou a barba! E ele ia sair do hospital, tipo! Até se preparou para fazer uma entrevista e tudo. Fiquei meio chocado mesmo com tudo isso.

E no fim, fiquei com pena dele. Estava mais contente, de bem com a vida, o que acabou prejudicando sua forma de conduzir o caso do paciente e quase levando a criança à morte. Triste ele abrir mão de não sentir dor, abrir mão de estar mais feliz por conta do emprego. A expressão da Cuddy na última cena me definiu por completo... Ela queria que ele continuasse usando o remédio com supervisão e aí...

Sobre o caso: achei muito interessante. Ainda mais quando revelaram que a Thirteen tinha se enganado e o menino não estava com desejos suicidas e etc... Mas os conselhos que ela deu ao rapazinho foram ótimos, gostei de ver. Só a mãe dele que foi meio exagerada. Mas que bom que tudo acabou dando certo no final.

Taub imitando o Foreman: ficou IGUALZINHO! É a mesma expressão em todos os momentos, esteja morrendo de felicidade ou tristeza. Ele e o Kutner foram espertos percebendo que tinha algo errado entre Foreman e Thirteen. E House no final com certeza percebeu também, por conta do salto. HAHAHAHAHAHA É de ver se ele vai relevar ou não...

Foi um excelente episódio.
2016-04-30 10:57:19


Episodio 5x17 - Nota 9

Adorei o caso, achei um dos mais interessantes da temporada até agora. Muito louco esse simtoma, essa doença que causa a pessoa começar a falar as verdades assim, de mão beijada e sem nenhum controle. Muito bom o House chamando a Cuddy pra sala do exame, só pra ela ouvir umas “verdades” também. E morri com o sorrisinho dela no elevador HAHAHAHA.

Fiquei com pena da esposa do paciente, já que o marido parecia desaprovar muito as coisas que ela fazia. Mas fiquei meio que com raiva também. Ela podia ter se afastado pra evitar situações constrangedoras, né. Querendo ou não, todo mundo guarda alguma coisa sobre alguém que prefere não falar pra não magoar, independente de sentimentos, creio eu. Mas fico feliz que ele tenha se curado no final – pena que a impressão ruim que ele deixou não vá sumir.

O Wilson se sentindo culpado pela fuga do irmão. Que horror... Mas amei os conselhos do House, amo a amizade desses dois. Espero que o Danny Wilson apareça em algum momento, seria ótimo conhecê-lo.

Amei o Kutner mencionando e explicando Harry Potter! HAHAHAHA QUE AMOR.
2016-05-02 10:52:08


Episodio 5x18 - Nota 8.5

Caramba, achei bem bizarro esse caso todo envolvendo a gata. Ainda mais quando o próprio House chegou à conclusão de que ela realmente estava prevendo a morte dos pacientes deitando-se ao lado deles HAHAHAHAHA. Aí no fim, a gata deitava perto das pessoas só pra se aquecer?? Então todas as mortes que supostamente foram “previstas” por ela, foram apenas coincidência? Chocado!

Gostei da participação da Judy Greer como a paciente-enfermeira. Gosto muito da atriz, acho-a muito carismática.

Morri rindo com o House querendo quebrar tabus por conta da superstição do Kutner. Ele colocando a gata na bolsa, a escada na porta, o guarda-chuva aberto dentro do escritório HAHAHAHAHAHAHA FOI MUITO BOM. E House cuspindo suco e fingindo que era sangue, só pra dar um castigo? Ele estava demais nesse aqui. E o Kutner... CHOCADO com a insinuação de que o xixi na poltrona era dele mesmo. Credo!!!

Sobre o Taub: achei o personagem absurdamente chato nesse episódio e se tivesse ido embora, eu não teria ligado. Taub foi muito idiota confiando em um cara que ele nem ao menos lembrava de ter estudado junto, já que até nisso o golpista mentiu. Enfim.
2016-05-03 10:51:07


Episodio 5x19 - Nota 9

Bem diferente o formado do episódio. Curti. Achei bem interessante estarmos dentro da cabeça do paciente, acompanhando tudo do ponto de vista dele. E foi agoniante, no início, vê-lo praticamente gritando que estava ali, que conseguia ouvi-los, que não estava morto e aquele outro médico discordando da opinião do House. Já pensou se não fosse pelo interesse dele? A inteligência do cara chega a assustar HAHAHA.

Não sabia dessa síndrome do encarceramento. O que realmente nos faz ficar imaginando quantas pessoas não foram “desligadas” por médicos quando não estavam realmente mortas. Fiquei com pena do cara, em especial quando a mentira dele surgiu, a esposa ficou decepcionada e ele não conseguia dizer sinto muito de forma alguma. Aliás, achei interessante a forma como encontraram para fazê-lo se comunicar com o SIM e NÃO.

Eu não tô mais gostando do Taub. Não estou conseguindo tolerá-lo e achei um absurdo ele levar o crédito pelo diagnóstico que o Kutner encontrou. Kutner sim provou ser uma ótima pessoa permitindo, mas né. Sorte que House logo percebeu que ele era o responsável por encontrar a verdade. Espero que Taub pare com essas chatices porque eu não sou obrigado.

BTW: morto com o paciente ficando entediado com a conversa do Foreman HAHAHA.

Mais um episódio em que morro de saudades de uma participação mais ativa de Chase e Cameron.
2016-05-04 10:51:33


Episodio 5x20 - Nota 10

Nossa... Esse foi disparado um dos maiores choques que eu tive assistindo a um episódio de série na minha vida. Quando Thirteen e Foreman encontraram o Kutner caído, eu já fiquei bem tenso. Mas quando Foreman falou que ele tinha um ferimento de bala na cabeça, e eu reparei a poça de sangue no chão (até então eu não tinha visto), fiquei todo arrepiado, com os olhos marejados e uma sensação de desespero que é impossível de descrever.

Eu gostava do Kutner e achei tudo muito triste. Quando House levantou a hipótese de assassinato, por algum motivo eu fiquei mais “aliviado”, porque o personagem nunca deu nenhum indício de que estava com depressão, de que estava com problemas. Mas podemos descartar isso completamente, né. Esse final, com House encontrando uma foto em que Kutner aparentemente está triste – tão diferente das outras, em que ele aparece sorridente ao lado de amigos –, me destruiu. Espero que House consiga as respostas que deseja. Eu também preciso saber o que o levou a cometer esse ato de desespero absurdo...

E eu também fiquei com a impressão de que o Wilson sabe de algo que ninguém mais sabe, ein? Às vezes o Kutner desabafou com ele em algum momento, mencionou por cima algum problema. Algo do tipo.

O Taub me deixou um tanto irritado em alguns momentos, porque ele parecia estar julgando a atitude do Kutner como covarde – e sabemos sua opinião sobre suicídio, porque ele discutiu isso com o próprio Kutner; inclusive ficou no ar que ele já tinha tentado fazer isso no passado e agora reprovava. Mas quando ele finalmente se permitiu sentir a dor do luto no final e chorou, não consegui me aguentar.

Aliás, toda essa sequência final com a música, mostrando o funeral e etc, foi demais pra mim. Continuo sem acreditar que isso tenha mesmo acontecido porque foi tão repentino. E por outro lado, foi muito realista também...

Rapidamente sobre o caso principal: hum, os pacientes estavam querendo se sacrificar uns pelos outros pela culpa, que era motivada pelo amor que sentiam... Fiquei surpreso com a mulher dizendo que esteve no Rio (amo quando mencionam o Brasil) com outro homem no passado. Poxa!

Sem dúvida um dos melhores e mais chocantes episódios de House.
2016-05-05 11:36:23


Episodio 5x21 - Nota 9

Finalmente tivemos um destaque a mais pra Cameron, depois de tanto tempo. Gostei muito da participação dela no caso, estava com saudades de vê-la tratando os pacientes, se preocupando com eles e etc. Jeitinho Cameron de ser. E por um momento, eu realmente pensei que ela estava querendo voltar para a equipe do House. Não acharia ruim se isso acontecesse. Acho que ainda não me conformei com a saída dela e do Chase até hoje...

Já o Chase me deixou um tanto irritado no meio do episódio, quando falou sobre pegar as coisas dele na casa dela e tal. Achei meio exagerado. Ele concluiu que Cameron estava apaixonada por House, mas ué, isso teria acontecido de repente? Porque tipo, faz tempo que eles saíram da equipe e desde então, pouco interagem com o House. Sem falar que ambos estão em um relacionamento desde que saíram. Então por que justo agora, e tão de repente, Cameron se apaixonaria assim pelo House a ponto de querer voltar pra equipe dele, não é?

Mas olha, achei ótimo que ela foi atrás dele novamente no final. E achei lindo ele só se ajoelhando e ela aceitando a proposta sem ele abrir a boca HAHAHAHA. Acho esse casal tão maravilhoso que nem sei. Espero que se casem mesmo! < 333

Wilson aderindo uma nova dieta só pro House não comer a comida dele HAHAHAHA GENTE! Ai, esse brotp! Amo demais a amizade desses dois.

Agora, fiquei surpreso com a Amber aparecendo nesse final. House tendo uma alucinação, aí tem esse negócio de que ele estava com medo de estar perdendo os “dons” e etc. Alucinações não significam boa coisa, ein. Quero só ver o que a reta final da temporada nos reserva.

BTW: o caso foi bonzinho. E o paciente é meio doido. Fiquei perplexo com ele falando que não deve se importar mais com o filho só por conta da ligação biológica. Eu ein.

- Cuddy marcando seu território. AMO.
- Não entendo o problema de alguns com as personagens femininas dessa série. Quando Thirteen recebe algum destaque, reclamam. Quando Cameron recebe, reclamam. Ué?
2016-05-06 11:20:18


Episodio 5x22 - Nota 9

Eu estava ok com esse “diagnóstico” do House estar vendo a Amber por insônia e por culpa por conta da morte do Kutner. Achei compreensível, já que ele não enxergou que Kutner estava com problemas – justo House que sempre vê as coisas antes de qualquer pessoa. Mas aí ele se livrou da insônia e Amber continuou aparecendo no final. Olha, estou ficando um tanto assustado, porque alucinações assim não significam coisa boa – e digo isso porque tivemos um plot parecido em determinada temporada de Grey’s Anatomy, entendedores entenderão.

De qualquer forma, acho que House nunca esteve tão zoeiro quando nesse episódio aqui. Morri rindo com o look dele quando levou o som pro quarto do paciente. E a despedida de solteiro que preparou para o Chase? HAHAHAHAHA A reação do Wilson quando chegou em casa e ficou a festa lá. Thirteen, Foreman e Taub se divertindo! HAHAHAHA FICOU ÓTIMO.

Pena que pro Chase tenha acabado com uma quase morte. E o que é pior: House concluindo que Amber queria matá-lo, o que significa que ele estava querendo matá-lo. QUE HORROR MEU DEUS.

Espero que mostrem o casamento de Chase e Cameron, POR FAVOR.

O caso principal do episódio também foi bom. Achei o Seth bem carismático e adorei o incentivo que a amiga e a mãe deram pra ele.
2016-05-07 11:53:25


Episodio 5x23 - Nota 10

Preciso destacar a cena em que House percebe que suas alucinações não passaram. Sério, que direção foi aquela? Ele de repente percebendo que a Amber estava cantando, WOW. Fiquei realmente em êxtase porque foi uma construção impecável de tensão, choque e surpresa.

E olha, espero que a presença da Amber tenha sido por conta do Vicodin mesmo e que ela tenha ido embora, porque eu estava começando a ficar preocupado que as visões fossem resultado de algum tumor na cabeça ou coisa do tipo. E meu, que atuação do Hugh Laurie nas sequências de abstinência! Fiquei realmente agoniado com ele tendo dificuldades de responder sobre os comprimidos pra Cuddy. E no momento em que tenta pegar aquele único Vicodin no chão do banheiro...

Pra finalizar, ainda tivemos essa cena final arrasadora entre House e Cuddy. MORTO, GENTE, MORTO!! Se eles ainda não dormiram juntos, aconteceu agora! HAHAHAHA. Será que eles começam a 6ª temporada em uma relação? Quero só ver...

Preciso ressaltar o Wilson e como ele é maravilhoso com o House. Um amigo incrível pra guardar e proteger sempre. < 3

O caso principal acabou ficando de segundo plano, mas foi interessante.
2016-05-09 11:20:49


Episodio 5x24 - Nota 10

Realmente, o episódio estava parecendo tudo menos uma season finale. Bem comum da série, mesmo com o caso principal sendo um dos mais interessantes que apresentaram até hoje. Mas aí chegaram as reviravoltas...

NUNCA na minha vida eu poderia imaginar que House alucinou todos aqueles momentos com a Cuddy. E foi MUITO TEMPO! Cuddy nunca nem ao menos soube que ele estava com problemas em relação ao Vicodin, foi embora assim que a filha foi insultada e na cabeça dele, a ajuda dela entrou naquele momento. Gente?

Mais curioso é que os roteiristas conseguiram escrever diálogos entre House e Cuddy no início que não davam a entender que ela estivesse falando de outra coisa além do sexo na noite anterior, quando na verdade era sobre a ofensa. Mesmo eu tendo estranhado a reação dela, já que há pouco tempo queria estar com House e etc. WOW. Foi uma das maiores bombas que eu vi em séries até hoje. Daí aparece a Amber e o Kutner falando com House também, PQP!

Triste demais essa sequência final. Wilson já percebendo que há algo de errado. House decidindo se internar pra tratar o vício de Vicodin. Fiquei com o coração na mão com essa última olhada que eles deram um pro outro antes do episódio terminar... Agora é torcer pra que House consiga se recuperar e voltar à ativa logo.

BTW: quando revelaram que eram alucinações, só conseguia pensar que House tinha um tumor, e não que o problema era por conta do vício. Já pensou?

No mais: FINALMENTE Chase e Cameron se casaram. A cerimônia foi simples, mas tão linda. Bem a cara deles mesmo. E olha, eu entendi o ponto da Cameron nessa situação com o marido falecido e etc, não dá pra julgar. Fiquei satisfeito pelo Chase ter compreendido também. Espero que eles sejam felizes e que tenham muito espaço na próxima temporada. Afinal, ambos tiveram um destaque adicional nessa reta final e funcionou perfeitamente.

Aliás, achei essa temporada excelente, no mesmo nível da 4ª ou até melhor. Que a 6ª seja tão boa quanto.
2016-05-10 11:26:36


Episodio 6x1 - Nota 10

Sem dúvida foi a melhor premiere de House até agora. Gostei muito desse episódio mais diferenciado, estendido, tendo como cenário a clínica psiquiátrica onde House se internou pra tratar o vício. Foi um dos melhores, no quesito drama, que eu já vi até hoje. E olha que só tivemos o House de personagem original, além de uma pequena participação do Wilson.

Interessante como consegui me apegar aos pacientes como se os conhecesse há muito tempo. É o caso do Alvie e do Freedom Master. Amei muito o House tentando trazê-lo de volta quando foi dopado sem dó por aquele outro médico absolutamente antiético. E quase tive um troço quando Master pulou do prédio. Que horror, gente. Que horror! House se sentindo culpado depois... Poxa!

Fiquei bem surpreso, também, com House se apaixonando pela Lydia, que é uma mulher casada. E ele indo até ela pra pedir que não vai embora e etc. ÓTIMA a forma que encontraram pra tratar o problema dele na tela de forma bem sutil, conforme o Dr. Nolan mencionou no final (buscar ajuda para o problema ao invés de se afundar em um frasco de Vicodin). BTW, achei ótima essa participação do Andrew Braugher, mesmo tendo desgostado muito do personagem no início do episódio.

Já as sequências finais foram mesmo primorosas. Freedom Master estava certo quanto à caixinha de música. Incrível como ela saiu do estado praticamente vegetativo com esse gesto. Até fiquei emocionado com a belíssima cena em que toca violoncelo para todos os outros pacientes. E quando foi liberada também. Feliz por ver Freedom Master se recuperando.

E o Alvie no final... Observando House ir embora e decidindo que também quer melhorar, que também quer ser livre. Foi tão tocante que nem sei. Um desenvolvimento incrível de personagem dentro de apenas 90 minutos. A música que tocou nessa última sequência também foi primorosa.

Espero que agora House tenha mesmo se livrado do vício. Ansioso pra ver como ele vai ficar de volta ao hospital e etc. Espero muito dessa temporada!
2016-05-11 11:35:58


Episodio 6x2 - Nota 9

É impressionante o quanto o Foreman fica insuportável sempre que recebe: 1) atenção a mais do roteiro, e 2) algum tipo de poder dentro do hospital. Eu odeio muito o comportamento dele, sempre se achando superior, sempre querendo ditar suas regras e etc – achei absurdo o bastante ele exigindo o cargo do House assim que este disse que não retornaria ao hospital.

Nos embates que Foreman teve com Thirteen, ela arrasou muito nos argumentos. Em um momento, ele afirmou que ela pode dar a opinião dela quando eles estiverem em privacidade, ou seja, diante do paciente, precisa ser a opinião COLETIVA. Mas a opinião que ele queria dar ao paciente era a DELE e somente a DELE. E é nisso que Foreman se distancia magistralmente do House – e no meu ponto de vista, pra pior. Dr. Gregory House pode usar de métodos antiéticos e nada convencionais ao lidar com alguns casos, mas ele sempre pede e considera a opinião da equipe de acordo com aquilo que mais se encaixa. Ele sempre diz: “façam isso, se não der certo, façam aquilo”. Ele gosta de descartar logo as coisas.

O Foreman já foi pelo contrário. Se tiver 1% de chance do diagnóstico dele ser mais preciso do que o da Thirteen, então ele pega esse 1% como 100% de certeza e pronto, dane-se o que os outros têm a dizer. Afinal, ele é o chefe agora, né?

Daí chega nesse final... Eu pensando que o rumo da conversa levaria a isso aqui: Foreman precisa da Thirteen, então vai renunciar à chefia do departamento, já que eles estavam trabalhando juntos durante esse tempo todo no mesmo nível e estava dando tudo certo. Imaginem minha cara quando Thirteen percebeu que na verdade, ele estava querendo demiti-la. Ele precisa dela, mas não vai abrir mão do emprego, então é melhor jogar a namorada no olho da rua porque ela não pode ter uma opinião?

Taub fez certo em pedir demissão e espero do fundo do meu coração que House volte. E não quero saber de ter que trabalhar pro Foreman, ou ser supervisionado pelo Foreman como já aconteceu outras vezes. Só ele funciona como chefe, então se for pra voltar de outra forma, é melhor que vá trabalhar em outro hospital mesmo.

Nem me toquei que House era o cara que tinha mandado a resposta correta a respeito do diagnóstico do paciente. ELE NÃO PRECISOU VER NENHUM SINTOMA DE PERTO PRA SABER QUAL ERA O PROBLEMA. TOMA, FOREMAN! Mas enfim, adorei ver esse outro lado do House. Ele reinando na cozinha foi ótimo e uma surpresa HAHAHAHAHAHA. Mas quero vê-lo em ação no hospital mesmo.
2016-05-12 10:55:42


Episodio 6x3 - Nota 9

Essa temporada começou com tudo, ein? Até agora não teve episódio ruim e espero que continue nesse nível até o final. Tá excelente e superando as outras.

O caso do episódio foi muito bom. Não pela condição de saúde do paciente, mas sim pelo paciente em si e pela discussão moral que trouxe a todos os personagens. Pra ser bem sincero, eu meio que fiquei ao lado da Cameron na história toda. Não teria coragem de matar, jamais. Mas não iria ficar triste caso o cara viesse a morrer, porque ele é mesmo um tirano, ditador e derivados... Absurdo demais as coisas que eles foram descobrindo, os planos de massacre, etnias dizimadas, e tudo com o propósito de que “tinha que ser feito”.

Fiquei MUITO surpreso quando Chase revelou que ele tinha trocado os exames do paciente, pra chegar a um resultado errado e sentenciá-lo com um tratamento diferente. Ainda mais porque ele repreendeu a Cameron por dizer que queria que ele morresse... Mas não dá pra julgá-lo também, não depois de ouvir aquelas coisas no confronto que eles tiveram, em que o infeliz ainda quis desmoralizar a imagem da Cameron justamente pro marido dela.

Agora é de ver como Chase vai lidar com isso. Consequências pessoais existem, aposto que ele vai ficar com a consciência pesadíssima por muito tempo...

Foreman é uma PIADA. Senti vontade de rir quando ele foi argumentar com a Cuddy que House tinha desistido do departamento e etc. Credo, nunca vi uma pessoa tão ambiciosa e sedenta por poder desse jeito, conspirando contra a pessoa que poderia tê-lo demitido inúmeras vezes e não o fez. Achei muito bom, também, a Cameron falando sobre como esse chato se comporta em relação às opiniões, já que ele tem um palpite e sempre acha que está 100% certo, não gosta de considerar opinião de ninguém mais – o que já aponta um erro gigantesco de liderança, provando que ele não é bom como chefe do departamento.

Gostei que a Thirteen terminou com ele. Ficaria puto se ela voltasse porque a situação toda é bem clara: ele a demitiu porque não conseguiu aceitar ela batendo de frente com ele nas opiniões. Se realmente tivesse consideração, era só deixar o cargo de chefe de lado porque ele não precisa disso. Ou seja, ele escolheu poder acima da namorada, sendo que seu emprego já estava bom por si só. Que lide com as consequências agora.

Já o lance com o vizinho do Wilson... Eu fiquei muito irritado com o cara porque achei um ABSURDO ele reclamar do barulho de uma BENGALA pra um deficiente. Mas fiquei penalizado quando House decidiu ajudá-lo com a dor fantasma e ele disse que estava aliviado após 36 anos de agonia incessante. Poxa!

Espero que a licença do House saia já no próximo episódio, pra ele colocar o Foreman no lugar dele. E quero muito que Chase e Cameron continuem na equipe, por favor! Foi tão bom vê-los reunidos com a equipe nesse episódio. < 3
2016-05-13 10:52:24


Episodio 6x4 - Nota 8.5

Fiquei muito apreensivo com o cerco se fechando para o Chase e o Foreman – eles foram cúmplices, mesmo Foreman descobrindo tudo DEPOIS que tinha acontecido. Chase poderia ser preso e sabe-se lá que tipo de vingança o povo do ditador prepararia contra eles. Não se deve confiar, não é mesmo?

Gelei quando Chase foi contar pra Cuddy, porque ele cometeu um crime independente de quem seja o paciente. Sorte que ela foi chamada bem no momento, e mais sorte ainda foi House ter encontrado uma brecha pra preencher a inconsistência do caso. Adorei muito ele ter feito isso e mais ainda, Chase dizendo que ele sempre será o chefe. A mais pura verdade.

Resta esperar que a licença do House saia logo pra ele assumir definitivamente o posto que é seu de direito. Grato!

O caso geral foi muito bom. Fiquei com pena do menininho. Tão pequeno e já sofrendo desse jeito. Ainda bem que eles conseguiram encontrar o problema e tratá-lo. Gostei muito da postura do pai dele também. O cara estava disposto e arruinou tudo, gente! Fiquei bem surpreso mesmo com essa...

Wilson impedindo que Thirteen fosse embora. Pena que não deu muito certo. Acho que ela devia voltar. Não precisa se relacionar com o Foreman. Eles serão apenas parceiros de trabalho. Não quero que ela vá...

Tá sendo maravilhoso Chase e Cameron na equipe novamente.
2016-05-14 11:10:43


Episodio 6x5 - Nota 9

Eu bem imaginei que o paciente ia acordar na autópsia, mas ainda assim foi uma surpresa e levei um susto com o grito dele. Foreman praticamente se atirou pro outro lado da sala, assim como o House. HAHAHAHAHA RI MUITO. Mas olha, deve ser uma das coisas mais traumatizantes do mundo você ser dado como morto e acordar justo no momento em que estão fazendo um corte no seu peito para realizar a autópsia. QUE HORROR!

Gostei demais da participação do Jon Seda como o paciente, foi de fato o primeiro crossover entre Fire e PD na TV! HAHAHA. O caso em geral foi intrigante. Afinal, como tratar de uma pessoa que diz ter um problema, mas não apresenta sintomas e todos os exames dão negativo? Foi diferente e ótimo vê-los quebrando a cabeça pra decifrar. Se o cara tivesse morrido mesmo, acho que House ficaria bastante perturbado...

E que bonitinho o paciente decidindo se conectar com o filho. Aw.

Gente, será que a Cameron seria incompreensiva com o Chase MESMO? Porque convenhamos: ela disse que não teria coragem de fazer, mas não era contra a vida do ditador chegar ao fim de alguma forma naquele hospital. E ela já fez isso anteriormente. Lembram daquele paciente idoso (se não me engano) que ela ajudou pra aliviar o sofrimento? Acho que na segunda temporada, ou terceira... Creio que Cameron ficará chocada, mas sei lá, seria muita hipocrisia ela julgá-lo, né.

E é triste ver Chase se afundando dessa forma. Ele realmente precisa falar com outra pessoa. Se afundar na bebida sempre que estiver com a consciência pesada não vai ajudar em nada, muito pelo contrário. Espero que fique bem.

A cena de abertura do episódio foi muito boa. Ninja aquele fugitivo e ainda conseguiu se dar bem, aparentemente.

BTW: Wilson conversando com a Amber me deixou de coração partido. :(
2016-05-16 11:00:23


Episodio 6x6 - Nota 8.5

Lucas desapareceu assim que entrou na série, na temporada passada. Acho que tivemos três, quatro episódios no MÁXIMO com ele? Foi bem na época que o Wilson estava de mimimi com o House por causa da morte da Amber e lembro que gostei demais do personagem e queria que ele ficasse.

Logo, foi bom vê-lo de volta nesse episódio, mas jamais esperei que fosse nessa situação aí. Como assim ele e a Cuddy estão se relacionando? Ai, gente... É bem verdade que Cuddy é livre e pode fazer o que quiser com a vida dela, mas o que a falta de diálogo não faz, né? Nesse episódio mesmo House praticamente se declarou. Cuddy já fez isso também, mesmo que entrelinhas, nos episódios anteriores. Que complicação pra tentar uma relação mais íntima, ein? Fico desapontado.

Mas gostei de toda a interação do House com o Wilson, como sempre. Se parar pra analisar bem mesmo, o Wilson é paciente demais. Eu ficaria uma fera se meu melhor amigo me dopasse da forma como House fez e todas aquelas coisas. HAHAHAH. Mas que bom que ele releva porque House é assim mesmo, e o brotp precisa continuar.

O caso principal não foi grande coisa, não. Achei aquela paciente bem boba, mas é adolescente, né? E o desfecho foi bem simples também. As transfusões de sangue que complicaram o quadro médico... Ah, pensei que aquele homem que ela estava atrás tinha abusado dela mesmo. Que doida a menina mentindo sobre isso.

Por fim, Chase contou pra Cameron sobre o Dibala... Olha, não curti muito ela afastar a mão, não. Mesmo podendo justificar como um choque do momento. Se Cameron ficar de mimimi, se não perdoá-lo, e se acabar se afastando dele, vai ser de uma hipocrisia sem tamanho – o que, no meu ponto de vista, não é do feitio dela. Porque primeiro, ela mesma queria dar fim à vida do Dibala, não fez porque não teve coragem, mas meio que defendeu a ideia. Segundo, ela já fez isso anteriormente com um paciente que estava em estado terminal, mas agonizando em seus últimos momentos e etc – e Dibala era um ditador assassino que queria acabar com a vida de inúmeras pessoas.

E terceiro: a própria disse que qualquer que fosse o segredo do Chase, estava comendo-o vivo. Então se ela der às costas pra ele em um momento de honestidade e que ele mais precisa, não sei nem o que irei pensar...

2016-05-17 11:09:03


Episodio 6x7 - Nota 8.5

Eu nunca achei a Cameron chata. Teve um episódio ou outro que seu envolvimento emocional com os pacientes pode ter irritado, mas ela era o balanço moral daquela equipe e acho que todo mundo precisa disso. Fico triste por ver a personagem ir embora assim, justo agora que estava tendo destaque novamente, estava trabalhando nos casos e essa era uma das coisas que eu mais queria desde o início da 4ª temporada.

Fiquei com pena dela em todo o desabafo que fez com o House. Ela disse que ele matou o Dibala, mas foi de uma forma bem indireta mesmo. Os argumentos foram válidos: o House brinca muito e usa de métodos nada convencionais com seus pacientes. Querendo ou não, você se acostuma e adere aos métodos da pessoa que está ali para te guiar, como é o caso do House. O que acontece nesse caso é que, como House acreditar estar acima das regras, sua equipe acabou seguindo pelo mesmo caminho – o que culminou na ruptura moral do Chase ao matar o Dibala, mesmo com suas justificativas.

Além disso, ela também usou como argumento o fato do House saber qual era o problema do paciente deste episódio e ainda assim colocar em risco sua saúde, pra fazer joguinhos com Thirteen e Taub e assim fazê-los voltar rastejando – e ainda assim, dar poder ao House de decidir qual, dos quatro, não conseguiria a vaga. Eu amo o House, o sarcasmo dele, a inteligência dele e etc. Mas não podemos negar que Cameron possui razão nessas coisas que disse.

Só não concordo com ela o fato de não conseguir, realmente, perdoar o Chase pelo o que fez. Até porque ela mesma disse que mataria o Dibala, só não tinha a coragem. Ela insinuou que não seria ruim se acontecesse porque o cara era um ditador. Ia ser curado pra sair matando pessoas que fossem contra ele. Etc. E pensar que o casamento dela com o Chase aconteceu há meros 7 episódios, e já acabou assim. Tô bem triste... House não deveria ter atiçado para o término dos dois...

Nem fazia muita questão do retorno do Taub, mas enfim. Que bom que Chase, ao menos, vai continuar tendo destaque. Espero que Thirteen não se rebaixe ao Foreman novamente. E espero que ele não continue sendo chato.

No mais: surpreso com o relacionamento da Cuddy com o Lucas indo pra frente. Vamos ver até quando vai dar certo, gosto muito do personagem.
2016-05-18 11:17:48


Episodio 6x8 - Nota 8.5

Eu não gosto dessa situação do House com a Cuddy. É bem verdade aquilo que ele comentou que ela já deu muitas chances, e ele já foi muito mesquinho com ela. Mas claramente, os dois se gostam. House está deixando seus sentimentos mais nítidos a cada episódio e Cuddy não pode esconder os seus. O que falta entre os dois é o DIÁLOGO. A conversa. Cuddy já foi embarcando logo em uma relação com Lucas antes de deixar tudo devidamente em pratos limpos... Não vai fazer bem pra ela e muito menos pro Lucas, já que o sentimento que ela pode ter por ele não e maior do que o que ela sente por House. Então, né...

Fiquei com pena do House, de qualquer forma. Ele tentando convidá-la pra sair, pra jantar, pra assistir jogo e etc. E no fim descobre que o término do namoro dela com Lucas era só uma armação. House não tem direito de sabotar a relação. Existe “culpa” ali nos dois lados, porque nenhum quis falar sobre sentimentos. Mas enfim...

Morto com Chase dando aquele SOCÃO no House. Achei válido. House conspirou para que o casamento deles terminasse por prazer próprio, sem nenhuma necessidade. Mereceu. E o Chase segue em negação, mesmo. Tô com muita pena dele. Como o próprio disse, ele não estava NAMORANDO a Cameron. Eles estavam casados. E durou tão pouco tempo. Difícil aceitar...

Em geral acho o Taub muito zzzzzzzzzz. Mas dei risada com ele mentindo pra esposa sobre ter socado o House HAHAHAHA.

O caso principal foi legalzinho também. Enfim.
2016-05-19 11:20:43


Episodio 6x9 - Nota 9

Que ironia o Joshua Malina, que interpreta o tão íntegro David Rosen em Scandal, dar vida a um personagem tão ridículo, sem caráter e egoísta como esse aqui em House. Fiquei realmente abismado com a cara de pau do cara... House, aparentemente, nunca se deixou enganar por ele e estava certo. Basta olhar o que ele fez: além de EXIGIR que o Wilson doasse parte de seu fígado, como se ele tivesse alguma obrigação de fazê-lo, ainda decidiu deixar a ex-esposa e a filha pra ficar com a ex-namorada. Ex-esposa e filha que, curiosamente, sempre estão presentes pra ele em momentos difíceis.

Fiquei realmente com nojo quando ele disse: “Às vezes as pessoas que você precisa quando está morrendo, não são as mesmas que você precisa quando está vivo”. ARGHHHHH. Ainda bem que o Wilson percebeu esse péssimo caráter. Espero que aquele “Meu nome é James” indique ele tenha se afastado, porque né...

BTW, MUITO BOM esse episódio focado inteiramente no Wilson, curti. É sempre ótimo quando ele recebe destaque adicional. AMO!

E adorei o que fizeram com a Cuddy no final HAHAHAHAHA. Foi deixada pra trás. Cada um cuida da sua vida, mas acho essa decisão de morar com o Lucas muito precipitada. Espero que House possa seguir em frente e parar com essa obsessão. Obrigado.
2016-05-20 11:16:28


Episodio 6x10 - Nota 9

AMEI DEMAIS essa brincadeirinha do House com o Wilson, vendendo os dois como um casal gay pra mocinha adorável HAHAHAHAHAHA. Gritei demais com a cena do restaurante, Wilson pedindo House em casamento. O povo em volta torcendo pra ele aceitar! Ficou bem divertido mesmo. Tô gostando muito que estão investindo ainda mais no brotp nessa temporada. Wilson tá bem mais presente e é um destaque bem-vindo.

E o Foreman sendo esperto e dando a volta por cima do Taub, Thirteen e Chase? HAHAHAHAHAHA Caramba, conseguiu ficar com parte do salário de cada um. Gostei dessa descontração, até porque geralmente o Foreman é bem recluso de tudo.

BTW: e esse corte de cabelo do Chase? Socorro valorizou ainda mais HAHAHA.

O caso foi interessante. O paciente sendo um policial disfarçado que acabou se importando com aquele comparsa... Fiquei com muita pena dele por não ter conseguido sobreviver no final. Achei bem forte a imagem da morte, com Chase conversando e explicando a situação pra esposa dele e tal.

Mas enfim, foi um dos episódios mais divertidos de House.
2016-05-21 12:01:35


Episodio 6x11 - Nota 9

Que horror! Esses embates que a paciente psicopata teve com a Thirteen realmente causaram calafrios. Fiquei tenso com os olhares sério e a completa falta de emoção – excelente atuação da Beau Garrett, diga-se de passagem. Muito boa toda a representação da psicopatia, aliás. Você realmente fica com ódio dos atos frios e calculistas das pessoas que possuem esse transtorno. Eu mesmo fiquei com muita raiva quando Thirteen recebeu a denúncia de assédio sexual e etc.

Que bom que Foreman e Thirteen se entenderam. Mas não sei se quero os dois juntos de novo. Sei lá, acho que nesse caso um pedido de desculpas não é o suficiente, porque ele tinha uma relação legal com ela e decidiu abrir mão disso só pra chefiar o departamento, porque Foreman possui uma sede insaciável de poder. Vamos ver até onde vai...

Até quando vamos ver o House sofrendo por causa da Cuddy, ein? Já tô ficando agoniado com essas cenas. Tá na hora de seguir em frente. BTW, deu raiva dele quando Cuddy revelou que a foto cortada foi o registro da última viagem que ela fez com o pai...
2016-05-23 11:35:49


Episodio 6x12 - Nota 8.5

Não estava conseguindo lidar com essa pessoa que decidiu trollar o House e o Wilson! HAHAHAHAHAH Dei risada com as artimanhas. O gambá na banheira. O corrimão adulterado. A CASA INUNDADA! E sinceramente, fiquei bem surpreso quando o Lucas se revelou o responsável no final, porque em momento algum eu tinha cogitado que fosse ele. Não gostei muito disso, não. Mesmo ele dando motivos plausíveis pra fazê-lo. Gosto do Lucas, mas essa relação com a Cuddy ainda não conseguiu me descer completamente. Não sou contra, pois eles até são bonitinhos juntos. Mas não consigo me importar.

Fiquei com raiva do House por trazer o irmão do Foreman, só pra causar intriga. E mais raiva ainda quando ele anunciou para todos sobre a morte da mãe dele (o que me deixou MUITO surpreso). Mas aí no fim o Wilson revelou quais eram suas supostas intenções por trás daquela contratação e acho que vou acreditar nisso mesmo. Porque o House, por mais que não queira demonstrar isso e seja um canalha em grande parte do tempo, também é humano, né. HAHAHA Vou fazer como o Wilson e acreditar que houve intenções boas ali.

BTW: fiquei contente por Foreman ter se entendido com o Marcus, inclusive convidando-o para ir morar com ele. Pessoas cometem erros. Não merecem ser punidas a vida inteira por conta disso, ainda mais quando estão arrependidas.

O caso principal não foi dos melhores. Achei desinteressante mesmo. Acho que o paciente da clínicam me chamou mais atenção que o principal... O cara decidiu amputar o próprio pé só pra não ir em mais uma missão de guerra, socorro!

Pra finalizar: Chase estava absurdamente lindo nesse episódio. Adorava o visual dele antes, mas o corte de cabelo valorizou muito mais HAHAHA.
2016-05-23 19:13:38


Episodio 6x13 - Nota 9

Acho que nós nunca tivemos um episódio focado na Cuddy em temporadas anteriores, né? Não recordo. De qualquer forma, foi muito bom esse aqui. Cuddy realmente é uma mulher maravilhosa, um exemplo de força e, claro, independência. Incrível a determinação dessa mulher e a quantidade de coisas com as quais ela deve lidar no decorrer de um dia.

Eu mesmo fiquei muito agoniado com toda a correria. E pensar que em episódios anteriores, não dá pra imaginar que ela tenha uma rotina louca assim. A mulher não consegue parar quieta. É recebendo reclamação de paciente. É lidando com funcionário que rouba. É preocupação com a filha que ficou doente. Médicos se agredindo mutuamente diante de todos no hospital. Acordos que precisam ser fechados ou ela perderá o emprego. Relação com Lucas. É MUITA COISA!

Achei o título do episódio bem significativo também. É um trocadilho. Ao invés de trabalhar das 09h às 17h, Cuddy começa sua rotina às 05h cuidando da Rachel e só tem certo descanso às 21h (e ainda assim foi importunada no final com uma emergência). Um trabalho que deixaria qualquer um louco com uma facilidade gritante, mas que ela, mesmo com as dificuldades, consegue domar bem.

Sobre o caso da farmacêutica: SEJE MENAS, INFELIZ! A FDP rouba o hospital e ainda se acha no direito de fazer chantagem, querendo contar mentiras sobre Cuddy e House e ainda por cima implicá-los no crime. Que nojo! Adorei que Cuddy foi esperta e gravou toda a conversa.

E o segundo caso me deixou frustrado também. Não tenho paciência pra esse povo ingrato. O cara perde o dedão, consegue de volta, possibilitando-o que volte a trabalhar naquilo que ele sabe fazer. E se acha no direito de processar o hospital? POUPE-ME. Gostei das respostas que ela deu também.

Enfim, ÓTIMO episódio.
2016-05-24 10:54:12


Episodio 6x14 - Nota 8.5

Morri demais com essa revelação de que o Wilson já esteve em um filme pornô (indiretamente, pode-se dizer). A reaçã dele quando viu o vídeo no computador do House foi impagável. E as piadinhas de todos os membros do hospital? A enfermeira no escritório dele quando viu os pôsteres. O Chase no refeitório HAHAHAHAHA. Nunca imaginei vê-lo numa situação dessas. Mas é aquela né. O que a gente menos espera...

Gostei dessa revelação de que o pai biológico do House é pastor e autor de um livro sobre sermões. House lendo pra tentar entendê-lo um pouco melhor, mesmo não chegando a nenhuma conclusão. Realmente, seria bem interessante se ele fosse contar que é filho dele... Já pensou um embate entre os dois em relação à ciência x Deus? A série já fez isso muito bem tantas outras vezes. Esse toque mais “pessoal”, mesmo ambos os personagens não sendo NADA próximos, seria bom de acompanhar. Vamos ver, né...

Curti a participação da Laura Prepon como a paciente principal do caso... O marido incomodado com a exposição da vida na internet em 2010. Fico imaginando o que ele diria em pleno 2016, em que as pessoas compartilham ABSOLUTAMENTE TUDO sem o mínimo pudor em certas redes sociais HAHAHAHAHAHA. Bonitinho o casal, aliás. Gostei do apoio que ele deu.

Que fofo o Chase ingênuo achando que as pessoas não valorizam tanto a aparência assim HAHAHAHAHAHA. Mas olha, eu tô impressionado. A mudança no visual dele foi muito sutil: um simples corte de cabelo. E ainda assim deixou ele ainda mais atraente. Não consigo lidar! BTW: Espero que esse final não seja um indício de que Thirteen ficará com o Chase... Vai ser estranho, já que ela teve uma relação com o Foreman e eles fazem parte da mesma equipe.
2016-05-24 18:58:47


Episodio 6x15 - Nota 8.5

Gostei do caso principal. Muita loucura aquelas viagens da menina, coitada. E aquele momento em que a equipe mapeia o cérebro dela e aparece a imagem de uma pessoa jogando baseball na tela, da mesma forma como ela estava pensando! Achei bem legal mesmo! HAHAHA Todo mundo impressionado e o Foreman dando uma de marrento, argh. Como lidar?

E olha, fiquei morrendo de nojo do pai do menino. Mesmo não sendo considerado ilegal por conta da idade dela, senti repulsa. Sem falar na completa falta de respeito e consideração para com o próprio filho. “Nós estávamos bêbados e vocês tinham acabado de terminar”. Claro, desculpa perfeita pra justificar o pai transar com a namorada do próprio filho. ARGH. A cara da mãe quando ouviu a verdade... BTW, gostei muito do House expondo isso pra todos saberem de uma vez.

Brotp House e Wilson maravilhoso como sempre. Tão bonitinho o House satisfeito pela peça que o Wilson verdadeiramente escolheu pra decorar a casa. Aw.

Quanto ao Taub: eu não consigo descrever o quanto esse personagem me dá sono e isso é desde sempre. Todo esse lance de “eu amo minha esposa” já ocupou TEMPO DEMAIS na série. E esse final, com ele indo flertar com uma enfermeira, só me deixou com mais raiva. O cara propõe pra esposa, mas ainda assim fica atrás de pular a cerca. Sem paciência...
2016-05-25 10:58:08


Episodio 6x16 - Nota 9

Bem triste essa despedida da Cameron. Fiquei com raiva dela em alguns momentos, mas que bom que ela conversou com Chase, que eles foram sinceros um com o outro e que terminaram tudo de forma amigável. Ainda não consigo processar bem que ela decidiu deixá-lo por todo o lance do ditador que ele matou e etc, mas tudo bem. E AINDA BEM que ela voltou atrás quando disse “não sei” pro “você me amou?” do Chase. Sério, se ficasse naquilo talvez eu não conseguisse perdoá-la.

Dei risada com Foreman e Taub ficando “lezados” após supostamente tomarem Vicodin! HAHAHAHAHA A cena da briguinha com direito a socos. E a perseguição pelos corredores pra recuperar seus respectivos arquivos? Adorei que House foi mais esperto, como de costume, e alterou a ficha dele HAHAHAHA.

O “verdade ou desafio” do Wilson com Thirteen foi bem legal – pena que ela não tenha sido tão honesta com ele. E como assim ele está se encontrando com a ex-esposa novamente? Hum. É de ver se vai cometer o mesmo erro que levou ao fim da relação deles, né. Espero que Wilson tenha amadurecido nesse ponto. BTW: Thirteen mostrando os seios pro Taub, SOCORRO!

Por fim, as cenas do House com o paciente em estado terminal foram tocantes demais. Ainda mais por sabermos que o problema do homem foi recusado pelo House. A ligação que ele fez pra filha antes de morrer. Como lidar?

E, claro, tivemos o caso que originou o título do episódio. QUE LOUCURA esse sumiço do bebê. A desconfiança de que o irmão pudesse ter feito algo... Achei bem interessante o desfecho, com a enfermeira possuindo aquele problema, tendo “apagões”, digamos... Fiquei aliviado quando Cuddy encontrou o bebê.

Foi um excelente episódio.
2016-05-25 20:26:35


Episodio 6x17 - Nota 8.5

Como assim o Chase não sabe quem é Frodo, gente? HAHAHAHA Adorei as menções a Senhor dos Anéis, aliás. E Harry Potter!

Gostei do caso. Achei bem legal toda a investigação na equipe, especialmente nos momentos que foram ao campo. Foreman, como sempre, estragando a diversão com seu jeito ranzinza. Poderia ter entrado na brincadeira como a Thirteen comentou, poderia ter fingido que estava em De Volta para o Futuro, só que no passado! HAHAHAHA. Ainda bem que tem gente com espírito feliz nessa série.

House mandando investigar a Sam e desistindo de última hora, pois está vendo que o Wilson está bem seguro. Que lindinho. BTW: morri com a cena inicial, ela flagrando o House pelado na cozinha! HAHAHAHAHA. E o que dizer da MARAVILHOSA cena do restaurante? Sério, gargalhei. HORACE HAHAHAHAHA.

Enfim, foi um ótimo episódio.
2016-05-26 10:43:11


Episodio 6x18 - Nota 8

Pra ser bem sincero, eu nunca fui muito fã do Taub. Sempre achei ele bem zzzzz, porque esse negócio de “eu amo minha esposa” existe desde o primeiro momento que entrou na série, lá na 4ª temporada. Ou seja, de lá pra cá, eu apenas tolerei. Não tinha raiva, mas também não importava. Portanto, é uma pena que o personagem tenha transformado toda a minha indiferença em ÓDIO mesmo a partir desse episódio.

De início, já foi patético o suficiente indo pedir pra esposa, APÓS TANTOS ANOS DE CASADO, que ele pudesse ter relações com outras mulheres. Eu, particularmente, não concordo com isso de “casamento aberto”. Porque penso assim: se você verdadeiramente ama a pessoa, pra que vai querer ter relações na rua se pode ter com quem você gosta? Sei lá, enxergo isso como falta de caráter e consideração. Mas ok. Minha raiva aumentou quando no outro dia, todos comentaram sobre Taub estar todo perfurmado e ele dizer, na maior naturalidade, que ia a um encontro à noite.

Foreman mereceu aplausos ao questionar: “você está planejando dormir com uma mulher e depois voltar pra sua esposa?”. EXACTLY, GENTE. Que tipo de pessoa faz isso? Sai, se diverte com alguém e depois volta pra casa com a cara limpa, como se não fez nada? Daí como se não bastasse, Taub teve a audácia de dizer pra esposa, quando ela se arrependeu de ter dado o aval, que ele só precisava dela e etc. E no final vai e TRAI??? Não consigo descrever minha insatisfação, meu nojo e minha raiva, de verdade. Rachel não apareceu muito na série, mas torço pra que ela dê um chute na bunda desse chato e vá ser feliz com quem realmente a valorize. Nunca vi esse tipo de “amor” que Taub tanto diz sentir por ela. Deus me livre!

No mais: o caso em geral foi bom e curti a discussão geral sobre esse negócio de casamento em aberto. O marido da Julia sim é um homem de sentimentos verdadeiros. Mentiu pra ver a esposa feliz.

House fazendo coisas na casa pro Wilson ficar irritado e cobrar da Sam HAHAHAHA. Bem típico dele mesmo. Ainda não tenho uma opinião formada sobre esse casal, vamos ver se vai dar certo...
2017-04-22 11:19:12


Episodio 6x19 - Nota 9

Essa cena do House, Foreman e Chase cantando no bar definitivamente estão no meu TOP de preferidas da série. Além de ser uma das mais engraçadas. Ri demais, foi tão espontâneo e divertido. Foreman e House fazendo dancinhas, imitando um trem com a bengala HAHAHAHAHAHAHA. Adorei mesmo.

Achei o caso um dos mais interessantes da temporada. Acho que mais por conta da discussão que trouxe sobre homossexualidade. Achei bem triste o relato do rapaz, dizendo que passou por choques de aversão e todas essas coisas porque: 1) teme a sociedade, 2) por isso não consegue se aceitar. São pessoas que se privam da própria felicidade e isso é realmente LAMENTÁVEL. Gostei do título do episódio, fazendo referência a esse pensamento que várias pessoas insistem em ter: de que a orientação sexual é uma escolha.

No fim, ainda fiquei com pena do paciente. Dispensou o ex-namorado e ainda perdeu a noiva... Ficou completamente sozinho. House dizendo que ele não tinha casa nenhuma pra retornar. Poxa :/

Falando em House: morto com ele dizendo pra Cuddy que quer ser mais que um amigo pra ela. Será que isso vai mexer ao menos um pouquinho com ela? Ou será que já superou qualquer sentimento que tinha por ele e tá mesmo firme com o Lucas? Veremos...

Ainda estou sentindo repulsa pelo Taub.
2016-05-27 11:50:09


Episodio 6x20 - Nota 9

É sempre muito bom quando os episódios fogem dessa rotina de “caso principal” e etc. Isso até cansa um pouco. Esse foi ótimo porque pudemos entrar um pouquinho na cabeça do House e ver como ele está lidando com todas essas mudanças que estão acontecedo ao seu redor – embora ele não esteja saindo do lugar positivamente. O lance da terapia foi realmente meio que abandonado, então fiquei satisfeito por ver o Dr. Nolan novamente.

Fiquei com pena do House por ter sido convidado pelo Wilson a sair da casa. E continuo com o coração na mão pela sofrência em relação a Cuddy – na verdade, isso já está me deixando realmente agoniado. E a tendência é piorar, já que ela está indo morar mesmo com o Lucas, sinal de que a relação tá mais firme que nunca e etc. Wilson está bastante seguro e querendo fazer sua relação com a Sam funcionar...

Agora que ele aparentemente abandonou de vez a terapia, já começo a temer como ele vai se comportar na season finale, ou até mesmo no decorrer de toda a próxima temporada. Espero que, pelo menos, ele não volte a se viciar em remédios – e muito menos que transforme a bebedeira em alcoolismo.

BTW: foi MARAVILHOSO ver o Alvie de volta. Ele tinha se destacado tanto naquele episódio extendido dentro da clínica de reabilitação. A alegria dele é contagiante. Bem que poderia surgir mais vezes.
2016-05-27 20:02:27


Episodio 6x21 - Nota 10

Sem dúvida um dos melhores episódios da série. Que surpresa. Dinâmico e muito bem conduzido, realmente foi uma aula sobre os sentimentos do House e sobre como ele mudou como pessoa – algo que estava sendo mostrado de forma bem sutil durante a temporada.

O caso com a menina presa nos escombros foi MUITO BOM. Além da paciente ser uma mulher carismática que automaticamente conquistou minha simpatia, o House cuidando dela, prometendo que tudo ia ficar bem e desistindo de voltar ao hospital quando foi informado que ela estava desesperada pedindo a presença dele, tornou tudo ainda melhor. Porque realmente, isso não é do feitio dele. Ele demora muito a visitar seus pacientes, sempre deixa nas mãos da equipe e muitas vezes, não sabe nem o nome de quem está tratando. Aqui foi diferente. Ele se envolveu. Ele se importou. Foi aberto e foi honesto.

Por isso, fiquei realmente angustiado, com os olhos marejados, quando ele percebeu o problema dela na ambulância e ficou com aquela expressão, indicando que ela não sobreviveria. O olhar da menina pra ele, PQP. Acho que é algo que a pessoa nunca consegue esquecer. House ficou revoltado e com razão. Gostei daquilo que ele gritou pro Foreman: “Esse é o ponto! Eu fiz tudo certo e ainda assim, ela morreu”. É de questionar mesmo...

Sobre a situação com a Cuddy: achei muito bom ele dando o livro pra ela como um presente de “casa nova”, deixando seus sentimentos de lado. Fiquei caído no chão quando ela revelou que estava NOIVA do Lucas. E não gostei nada daquele momento em que jogou várias coisas na cara dele. Sobre todo mundo estar seguindo em frente, e House não. Sobre todo mundo ter alguma coisa, e House não. Acho que se o ponto dela era afirmar que “não o amava” (e ela o fez com todas as letras), acabou exagerando um pouco e sendo bem cruel com ele.

De qualquer forma, o final foi maravilhoso. Quando ela surgiu, disse que terminou com o Lucas e queria dar uma chance pra relação dela com o House, meu primeiro pensamento foi “ele está alucinando de novo”. Mas não tomou o Vicodin, né! Espero que a relação seja bem desenvolvida na próxima temporada. Vamos ver se eles realmente funcionam. Fico feliz por Cuddy dar uma chance ao que ela realmente sente.

Enfim, foi um EXCELENTE episódio pra uma excelente temporada. Pode ter ficado um pouco abaixo da 4ª e 5ª, mas ainda assim teve seus grandes momentos. Único revez mesmo foi a saída definitiva da Jennifer Morrison. Ainda não consigo lidar.
2016-05-28 11:12:25


Episodio 7x1 - Nota 8.5

Eu esperava bem mais dessa premiere, ein? Não foi ruim, mas é disparada a mais fraca da série até agora. Pensei que fosse gostar mais das cenas do House e da Cuddy juntos, mas esse negócio dos dois ficarem sozinhos trancados no apartamento não me agradou completamente.

Tudo bem que tivemos ótimos momentos entre os dois. Os “eu te amo”, Cuddy sendo sincera e ele também. O sexo tão sonhado pelo House acontecendo depois de 20 anos que a conhece! HAHAHAHAHA. E claro, a discussão sobre se vai dar certo ou não (e já fico temendo pela expressão dos dois no último plano). Mas no fim, acabou me soando um tanto forçado. Talvez porque o House tinha conhecimento do que estava acontecendo no hospital e ainda assim mandou a equipe se virar pra resolver, como se fosse problemas deles, né.

BTW: morri rindo com o Wilson tentando invadir a casa. E ele batendo na porta do House freneticamente porque sabia que ele estava lá HAHAHAHAHAHA.

Chase MARAVILHOSO. Não sabia que ele tinha começado residência em neurocirurgia. Mesmo não sendo parte do trabalho dele, essas cenas tentando enganar os fiscais e etc foram boas, em especial o Doutor chapado, tirando a roupa na frente de todo mundo HAHAHA. Ficou bem divertido.

Então a Thirteen foi embora? Mentiu pra todo mundo sobre um tratamento e decidiu sumir. Talvez pra aproveitar o tempo que lhe resta antes que a doença comece a afetá-la realmente? Espero que ela não demore a voltar – até porque não faz o mínimo sentido colocarem o nome da atriz na abertura, sendo que a personagem supostamente vai embora no primeiríssimo episódio. HAHAHA.

BTW: que dor não ver Jennifer Morrison e sua imagem caminhando ao lado do House na abertura. Estava tão acostumado! :(
2016-05-30 11:28:20


Episodio 7x1 - Nota 8.5

HEHEHEHEHE
2016-12-11 10:22:33


Episodio 7x2 - Nota 9

Começando pelo caso: achei muito tocante toda a situação. Em especial a cena final, com o menino decidindo que quer doar o pulmão pra irmã poder viver, já que ele não pode fazer NADA do que ela pode. Fiquei com os olhos marejados. Muito bonito e muito triste MESMO. Nada fácil pra essa família essa situação toda.

Sobre House e Cuddy: se for pra mudar a personalidade do House, prefiro que não aconteça. Foi muito estranho vê-lo acatando e concordando com as ordens dela durante todo o episódio. Ainda bem que eles mesmos perceberam que isso iria prejudicar muito o que eles têm, porque seria uma relação em bases falsas. Eles não interagem dessa forma. De fato, a cena da briga (que foi PESADA!) foi o momento em que realmente deu pra sentir conexão ali.

Mas relevando isso: ri muito com House contando pra todos sobre o namoro, incluindo suas piadinhas convencionais. E a Cuddy pegando na virilha dele pra provar pro Wilson que era verdade foi DEMAIS! SOCORROOOOOOO.

Adorei o caso da clínica também. Impressionante. Pai com 102 anos. Filho com 80. Pai querendo se livrar dos cuidados do filho, que o sufoca. E filho tentando se livrar do fardo de cuidar do pai, que o sufoca. HAHAHAHAHAHAHAHA. O velho de 102 falando que a Cuddy tinha peitos bonitos FOI ÓTIMOOOOO.

House não ligou para o desaparecimento da Thirteen... Por onde será que anda a Thirteen? Um beijo, Thirteen!
2016-05-30 19:47:47


Episodio 7x3 - Nota 9

De início achei essa Alice Tanner muito ranzinza, muito ignorante pro meu gosto – o fato de demitir a empregada só por ela ter ajudado os médicos cotribuiu pra isso. Mas quando House descobriu qual era sua verdadeira história, consegui me penalizar. Eu, particularmente, não desconfiei nem por um segundo que aquele menino da visão que ela teve no início fosse ser o filho morto dela. E muito menos que ela se sentia culpada por conta da morte dele e tal. Fiquei muito triste e penalizado mesmo, porque não deve ser fácil. Não basta perder o filho, ainda coloca na cabeça que teve culpa...

E o pior é que eu acreditei no House quando ele falou sobre o aneurisma – mesmo tendo estranhado a mulher não saber, porque né. BTW: ficaria muito ferrado se House revelasse a verdade pra ela só por conta da indignação por ela não ter um final apropriado ao livro que estava escrevendo. Entendo que é frustrante, pois sou seriador e leitor! HAHAHAHAHA. Mas seria cruel da parte dele.

BTW, finais que deixam em aberto, forçando o leitor / público a ter sua própria perspectiva do destino dos personagens não são tão ruins assim.

AMEI a sequência da corrida! HAHAHAHAH House leva Cuddy nos melhores encontros, não consigo lidar. A competição, ele jogando sujo com a namorada do Wilson. Depois todo mundo sendo expulso. FOI ÓTIMO. Tô gostando demais de Huddy, de verdade.

Falando em Cuddy: ela já quer uma substituta pra Thirteen e House continua 100% nem aí para o sumiço dela. Que estranho! Será que ele sabe o que ela foi fazer?
2016-05-31 10:54:32


Episodio 7x4 - Nota 8.5

Essas atitudes do Foreman não deveriam mais surpreender, mas nossa, fiquei realmente impressionado com a audácia. Cheio de mimimi pra cima do Chase por estar com raiva do House, por ele ter dado ao CHASE a tarefa de contratar uma nova médica, e não pra ele? Oi???

Gostei da sambada do Chase porque ele falou a mais pura verdade: não sei de onde o Foreman tira essa superioridade, essa ideia de que ele está acima dos outros. Porque ele faz exatamente o que os outros fazem: ordens do House. Se ele tem um salário superior agora, foi por conta daquela pegadinha que a própria equipe fez e ele nem merece. Ele não é supervisor de merda nenhuma e fica com esse ar arrogante o tempo todo. Acho que House devia deixar claro que Foreman não está acima de nenhum outro membro da equipe. Chase é muito melhor que ele.

Achei a Dra. Kelly adorável, mas realmente ela não se enquadra e nem teria como ficar na equipe depois da descoberta do problema da paciente – algo que ela, como residente psiquiátrica, deveria ter identificado logo de cara. Bom pro Chase que vai ter chances de sair com ela agora, né. HAHAHAHAHAHA. Ele curtiu.

AMANDO MUITO o relacionamento Huddy. Deu pra entender perfeitamente o ponto dela em relação à massagista e fico feliz que House tenha cedido. Ia ser chato se ele quisesse mantê-la... E o final com a Rachel (que tá enoooooorme) foi adorável. Que amorzinho, gente. Torço tanto pra que dê cada vez mais certo!
2016-05-31 18:58:46


Episodio 7x5 - Nota 8.5

Queria começar aplaudindo o House pela vergonha que fez o Foreman passar e por colocá-lo em seu devido lugar. Foreman é tão cheio de si e tão arrogante que afirmou ter entrevistado novas médicas durante a semana inteira e que agora tinha duas candidatas esperando aprovação – como se ele soubesse que House iria mandá-lo fazer uma contratação, porque ele é “superior”. Sério, foi muito bem feito e espero que esse chato entenda de uma vez por todas que NÃO está acima do Chase. Nem mesmo do Taub, que integrou a equipe depois.

O caso foi realmente impressionante, como o Taub disse no final. A mãe se sacrificou pra dar uma chance maior para a filha crescer sem ter nenhum problema. Fiquei muito triste quando a mais velha encontrou o corpo dela na sala... E ela dizendo que vai fazer tudo pra irmã nunca esquecer quem foi a mãe, que ela só estava tentando ser a melhor e etc. Bem tocante mesmo.

Gostaria que aquela médica pediátrica (que odeia crianças) integrasse a equipe. Pena que não aceitou. Ela chamando o Taub de imaturo HAHAHAHAHA.

Já House e Wilson protagonizaram os melhores momentos com a Rachel. Que lindinho os dois preocupados com a moeda dentro da menina – e a Rachel por si só é uma fofa. O final foi o MELHOOOOOOOOR. House deveria ter ido só pra se certificar, já que não tinha passado 24 horas ainda né. Rachel dedurando o House na cara dura foi ÓTIMOOO. Dei muita risada HAHAHAHA.
2016-06-01 10:41:43


Episodio 7x6 - Nota 8.5

A Dra. Masters realmente lembrou a Cameron e acho que é o balanço que essa equipe precisa. É bom ver alguém batendo de frente com House por seus princípios e etc. E ele gosta disso – ao contrário de certos Foremans quando são promovidos. Dei risada da menina sendo demitida e recontratada o episódio inteiro, em especial a cara de tédio dela quando o House a procurou na lanchonete do hospital. Acho que foi uma boa adição, resta saber se ela ficará mesmo, né.

E a pergunta que não quer calar: Por onde anda Thirteen?

O caso foi interessante, teve seus bons momentos. Complicado esse dilema em que o House se envolveu: contar a verdade e enfrentar as consequências médias, ou mentir e enfrentar as consequências pessoais. Fiquei com o coração na mão pela Cuddy quando descobriu a mentira no final.

Acho que se o House não tivesse ido levar o falso resultado, talvez a coisa toda não teria um impacto desses. Porque essa atitude dele não seria uma novidade. Agora ele mentir na cara dura assim, ela ficar toda contente por ele ter feito algo certo e tal. É de ver o quanto eles ficarão abalados agora. Everybody lies, mesmo.

No mais: MORTO com Chase, Foreman e Taub sendo presos HAHAHAHAHA. De fato demorou, já que eles arrombam casas desde SEMPRE! E o Taub chateado porque a Masters não lembrou dele? Sendo que ela lembrou sim! HAHAHA. Curti.
2016-06-01 19:04:24


Episodio 7x7 - Nota 10

Que tenso esse episódio. House louco invadindo o quarto isolado e quebrando a cara porque não conseguiu provar. Eu imaginei que não seria mesmo varíola, embora todos os sintomas visíveis apontassem pra isso. Mas ainda assim deu pra ficar bastante apreensivo com toda a situação.

A cena em que o pai do menino morre me deixou muito tocado MESMO. Que coisa mais horrível, sério. E achei o Dr. Broda um CHATO sem igual. Convicto de que era varíola, indisposto a ouvir outras opiniões médicas. E pior: disposto a deixá-los morrerem, já que se recusava a dar outros tratamentos.

Sorte que a Masters investigou mais a fundo (os outros reviraram os olhos na parte do gato naqueles relatos). E realmente mostrou a que veio. Estava determinada e bastante segura, gostei de ver. House confiou na palavra dela, tirou as luvas (!!!) e constatou o que o chato do Broda não queria ouvir. Sambaram na cara dele. Pena que uma pessoa tenha morrido antes disso acontecer...

E a Cuddy desculpando o House em seu “leito de morte” e não conseguindo perdoá-lo depois do perigo? Mas não vou julgá-la. Dá pra entender o lado dela. House realmente mentiu na cara dura, praticamente não teve remorso. Continuo achando que se ele tivesse seguido com os planos sem levar resultados falsos pra ela e etc, ela não ficaria assim...

Enfim, foi o melhor episódio dessa temporada até agora. Gostei mesmo.
2016-06-02 10:54:33


Episodio 7x8 - Nota 8

Acho que em toda temporada tem um episódio que aborda Ciência vs. Deus, né? Eu não achei que ficou tão batido assim porque a cada vez que isso é colocado em pauta, um paciente diferente é introduzido com seus ideais. E esse foi muito, muito extremo mesmo. Pra começar pela cena inicial, com ele reproduzindo em si mesmo toda a cena da crucificação de Jesus – com direito a pregos nas palmas das mãos e etc. Gente?

Depois o negócio de recusar tratamento por conta do “acordo” que fez com Deus pela filha. Fé é algo que não deve ser contestado mesmo e o House tende a ficar clicando muito nessa tecla. Mas eu achei bem extremo mesmo as decisões desse paciente. Ele estava disposto a morrer, mesmo com medo, mesmo com a filha pedindo pra ele atender os médicos, por conta desse “acordo”. Mas enfim, né. O importante é que a menina não ficará sem pai no final.

House falando que não foi sincero em seu pedido de desculpas pra Cuddy. E achei ele bem bobo mesmo procurando mentiras no passado dela pra justificar o que ele fez. Poxa, as coisas estavam caminhando até bem para os dois. É irônico que comece a ficar conturbado por conta de mentiras...

E a relação do Wilson com a Sam? Também achei bem porco esse término, foi muito corrido e eu quase não entendi bem. O motivo foi muito nada a ver. Mas fiquei com pena dele no final, coitado. Estava de corpo e alma dentro da relação.

MORRENDO com a hipocrisia do Taub. Ele traiu a esposa com aquela enfermeira loira, mesmo após dizer pra ela que não iria mais seguir o negócio de relação aberta. E aí vem dizer que é “doloroso” vê-la se abrindo com outro homem pela internet. Acho pouco.

Chase lindo demais, I can’t.
2016-06-02 18:47:35


Episodio 7x9 - Nota 8.5

Adorei a participação do Matthew Lillard. O caso em geral foi bom. Curioso como eles demoraram pra constatar que era catapora/varicela. Não sabia que em adultos pode haver essa dificuldade de diagonistas por conta da falta de sintomas que indiquem – como as bolhas pela pele, por exemplo. Curti.

Nossa, eu ri alto quando a mãe da Cuddy caiu pra trás. Por um momento pensei que ela tinha tido um ataque cardíaco e estava passando mal, MAS NÃO! O House dopou! HAHAHAHAHAHAHAHA. A reação da Cuddy foi a melhor. E o pobre do Wilson, estava tão na dele e acabou sendo mais uma vítima. A Mama Cuddy concluindo que bebeu demais na noite anterior e que nem lembrava de ir pra cama HAHA. Mas mereceu, ela pega muito no pé. Cuddy é uma adulta, não precisa dessas lições...

E o House foi bem sacana no final, ein? Mentiu pro Wilson dizendo que ia passar a noite com a Cuddy e foi pra casa ver TV sozinho. HAHAHA.

Desde sempre acho esse casamento do Taub uma coisa muito chata. Achei a decisão bem sensata, já que não está dando certo. Porém, fico bem triste por ELE ter sido a pessoa a tomá-la. O correto seria a Rachel pedir a separação. Ela foi traída por ele. Depois teve que ouvir que ele queria um relacionamento aberto (indicando claramente que NÃO, ela não era suficiente pra ele), sem falar na traição com a enfermeira loira que acho que a Rachel nem ao menos sabe. Daí ela começa a se relacionar VIRTUALMENTE com uma pessoa e o Taub fica com o orgulho tão ferido que ELE pede o divórcio? Hum. Ao menos isso vai acabar e ao menos ele reconhece sua culpa nisso tudo. Acho que a Rachel merece alguém melhor.

PS: socorro que o Chase está muito mais sorridente nessa temporada, do que nunca esteve antes. A saída da Cameron parece ter feito muito bem pra ele. Sem falar que dá pra sentir uma “parceria” mesmo com o Foreman. Tô gostando de ver eles se tratando como amigos mesmo, não como colegas de trabalho. :)
2016-06-03 10:39:51


Episodio 7x10 - Nota 8.5

Participações de Sasha Roiz, de Grimm, e Tyler James Williams, de Everybody Hates Chris. ADOREI. Fiquei surpreso com a revelação de que os personagens eram pai e filho. Pelos olhares que o Driscoll dava ao Landon, eu imaginei que ele fosse apaixonado, que já tivesse rolado algo entre os dois ou coisa assim. Fiquei até envergonhado quando o cara assumiu ser pai do moleque. HAHAHAHAHAHA.

Mas olha, que horrível o que ele fez, né? Primeiro mandar que o Landon fosse transferido para um local onde iria conviver com pessoas que cometeram crimes. E segundo, que tipo de relação ele queria, forçando o menino daquele jeito? Qualquer um ficaria muito revoltado, eu ein! Em geral, curti o caso.

Dei risada com o plot do Chase. Ele querendo mostrar pro Foreman que o “ítem” da foto não era dele HAHAHAHAHAHAHA. Morto com a irmã de uma das meninas que ele pegou sendo a responsável. Mas olha, até curti a motivação dela. Acho que ele era um cara legal, e dispensou-a sem pensar duas vezes só porque ela não terminaria a noite fazendo sexo com ele... Típico, né.

House ensinando a Rachel a mentir: NÃO CONSIGO LIDAR HAHAHAHA. Tá bem legal acompanhar essa relação entre os dois mesmo. O treinamento como se ela fosse um cachorrinho KKKKKK. Wilson ainda se surpreende com essas coisas! < 3

CADÊ A THIRTEEN?!
2016-06-03 19:52:10


Episodio 7x11 - Nota 10

De início, eu pensei que a Masters seria como uma Cameron para a equipe e fiquei satisfeito com isso. Porque a Cameron era meio que o pilar moral, algo que é necessário, que dá equilíbrio a uma equipe. Mas com a Masters a coisa já vai ao extremo da coisa. Muitas vezes, quando Cameron não concordava com algum métdo do House, ela se afastava do caso porque ela sabia que aquilo faria bem ao paciente, mesmo sendo contra a ética. Poucas vezes aconteceu de fazer algum tipo de denúncia pra Cuddy ou coisa parecida – e estou especulando, pois nem lembro se ela fez isso mesmo.

A Masters levou esse negócio da moral e ética pra outro nível. E ela não funciona na equipe por um motivo: por mais que ela dite que suas atitudes levam em consideração o paciente, que é a prioridade, na verdade levam em consideração sua própria consciência e sua necessidade de fazer tudo de acordo com as regras. Ou seja: é de um egocentrismo sem tamanho. Fiquei muito surpreso por ela ter ido contar tudo pra Mama Cuddy e pro médico atendente, mesmo após a ameaça do House. E queria que ela tivesse ido embora, fiquei até decepcionado por ele dizer que precisa dela pra apontar e protegê-lo quando fizer algo errado e etc.

Não tem nada de errado em querer fazer o certo. Mas acho que nesse caso Masters não pensou no paciente. Não pensou na Cuddy (que estava por dentro de tudo). Pensou nela mesma... Ela tem princípios e por nada no mundo, mesmo que signifique a morte do paciente, abre mão deles. Complicado.

E o caso em geral: achei ÓTIMO e bem tenso. Pensei que a Mama Cuddy fosse acabar morrendo... Aliás, ela é cruel demais com a filha. Fiquei realmente abismado com ela dizendo que gosta mais da outra e tal. Mesmo que se sinta assim, pra que dizer isso pra Lisa? Que guarde só pra ela. Deve ser horrível ouvir uma mãe dizer pro filho que gosta mais do outro, quando deveria ser uma coisa igualitária.

Fiquei com pena do Taub... Ele não fez aquilo por mal. Pelo o que viu, poderia sim ser uma hemorragia, né. Aquele irmão da Rachel é LOUCO. Deveria estar internado, isso sim. Cinco anos de terapia que não serviram pra NADA, já que ele aparentemente está sempre apertando a bolinha quando perde a calma. EU EIN!!!

Mas enfim, acho que esse foi o melhor episódio da temporada até agora.
2016-06-04 11:31:17


Episodio 7x12 - Nota 8

Que LOUCURA esse caso, ein? Chocado com esse problema! Eu adoraria ter memória fotográfica, facilitaria minha vida 1000 vezes em tudo e não teria nenhum tipo de preocupação HAHAHAHAHA. Mas foi bom mesmo esse episódio mostrar que algumas coisas possuem o lado ruim.

Deu até raiva da paciente sem conseguir encarar a irmã quando relembrou aquele momento da briga na infância. Porque aff, a mulher doou um rim, estava toda emocionada dizendo que amava a irmã, que queria viajar com ela e tal... Não é culpa da paciente, mas né. Pelo menos aparentemente ela concordou em fazer o tratamento no final. Acho que entre memória fotográfica e ter uma vida completamente solitária, por não conseguir perdoar erros (que TODOS cometem), eu preferia não ter a memória.

Wilson apegado à gata. HAHAHAHAHA Tadinho, ele tá carente demais. Mas nem dá pra culpá-lo, levando em conta a maneira PORCA com qual a Sam decidiu terminar o namoro com ele, de uma hora pra outra. Não gostei muito do House implicando com o bichano, mas ainda bem que desistiu de tentar tirá-la de lá.

ADOREI as cenas do Foreman com o Taub. Logo eles, que são os personagens que menos gosto, conseguiram funcionar muito bem juntos. Curti o Foreman convidando-o a morar com ele. ;)

Foi um bom episódio.
2016-06-04 19:51:16


Episodio 7x13 - Nota 9

Gostei do episódio. Achei bem dinâmico. Foi bom o roteiro colocar o público no lugar das pessoas com quem o House frequentemente anda, revelando aos poucos se aquilo que ele está dizendo é verdade ou não. Imaginem como deve ser pro Wilson, por exemplo. HAHAHAHAHA.

Sem falar que as duas crianças que ficaram conversando com ele são extremente carismáticas, em especial a menina. Adorei o jeito mandão dela e curti a historinha com o rapazinho também. Coitado. Deu um sorriso pra ela e em seguida a deixou com o olho roxo sem querer naquele jogo HAHAHAHAHA.

House dando palestra foi ÓTIMO. Mesmo com as mentiras e ignorâncias, as crianças ficaram fascinadas por ele e pelo caso. Quem não ficaria, né? BTW, morri rindo com a cena da briga entre ele e o executivo na frente de todo mundo. SOCORRO. E a diretora perguntando se o House era louco ou apenas estúpido? NÃO CONSIGO LIDAR GENTE. NÃO!

O caso foi bom. Fiquei chocado com o cara tossindo um pedaço do PULMÃO, como pode? E a resolução foi mesmo surpreendente. House apostando que tudo foi causado por uma mera ERVILHA. Eu ein!!!

Achei bonitinho o House fazendo tudo aquilo na escola (de maneiras erradas, mas ok), só pra tentar fazer a Rachel conseguir uma vaga. Aw. E que bom que a Cuddy viu que ele se redimiu no final. Ele com a escova de dentes nova no bolso HAHAHA.

Curti mesmo. Achei um dos melhores da temporada.
2016-06-06 10:45:29


Episodio 7x14 - Nota 8.5

Eu bem imaginei que esse paciente fosse morrer, na cena em que a esposa decide ir embora, depois volta e diz pra ele que está grávida e tal. Realmente dá pra ficar bem abalado quando isso acontece, porque geralmente a taxa de perdas do House é muito baixa. Será que chegou a 20 perdas durante esses 145 episódios? Acho que não.

Quando House deixou de ir à festa que a Cuddy pediu e foi pro bar, revirei os olhos. Só com o diálogo do Wilson é que percebi que ele estava se sentindo culpado. Daí ele falou das outras três (se não me engano) perdas nessa temporada e tal. Deve ser barra mesmo. Mas quando ele falou que a relação com a Cuddy o tinha transformado em um médico ruim, fiquei revoltado. Fiquei com muito medo do House terminar tudo no final, então fiquei mais aliviado quando disse que abriria mão da carreira por ela.

Mas é aí que está o problema: não acho que a Cuddy vai aceitar essas declarações tão facilmente. Porque querendo ou não, ele afirmou com todas as outras que o que eles têm acabou transformando-o e um profissional ruim. E NUNCA que Cuddy permitiria que ele abrisse mão de ser um médico só pra ficar com ela. Pelo menos eu acho que não.

No mais: continuo adorando as cenas do Foreman com o Taub. A amizade dos dois fez com que eu criasse mais simpatia. O que dizer da cena do diagnóstico no banheiro? Masters e Chase e aquelas expressões pelo mau cheiro HAHAHAHAHA.

E eu NÃO QUERO de jeito nenhum o Chase com a Masters. VAMOS PARAR COM ESSES CLIMINHAS AÍ!
2016-06-06 18:46:59


Episodio 7x15 - Nota 9

Os sonhos que a Cuddy e o House tiveram um com o outro foram mesmo perturbadores, eu ein! Mas confesso que dei risada. Aquele do House que parodiou Two and a Half Men foi ótimo! Dei risada. E o da apresentação musical também foi engraçado. Hugh Laurie sempre maravilhoso em tudo! HAHAHAHA

Bom, fiquei muito tenso e apreensivo com essa possibilidade da Cuddy estar com câncer. Em especial quando o House comentou “ela está morta”, assim que ficou sabendo das manchas ao redor do pulmão e etc. Já pensou, gente? Ainda bem que o negócio no rim era só um cisto e as manchas não eram nada demais. Não sei como eu reagiria se ela estivesse doente mesmo, sério.

Já o House me deixou irritado, mais uma vez. Ele preza tanto a Cuddy, queria tanto um relacionamento com ela. E pra que? Só pra sexo? Porque afff, nos dois momentos que ela queria e precisava da presença dele, ele deu pra trás: no episódio passado com a entrega do prêmio, e nesse, com uma suposta condição de saúde séria. Acho que o House brinca muito com a própria sorte. Mesmo ele tendo esse jeito, não é qualquer um que aceitaria uma coisa dessas, né.

Só quando Cuddy percebeu que ele usou Vicodin, foi que fiz a ligação com os doces que estavam aparecendo nos primeiros sonhos dela e PQP: foi mesmo GENIAL! Já estava me perguntando mesmo se House nunca teria uma recaída e fiquei decepcionado. Mais ainda pela expressão dele quando Cuddy terminou tudo. Wow, gente. É de ver agora como ele vai reagir a tudo isso, né. Espero que não comece a “quebrar” como antes de ir à reabilitação.

Já o caso principal teve seus bons momentos também. Gostei do Taub sendo generoso. Pena que o menino não seja tão boa pessoa assim, querendo bombardear a escola e blá blá blá. Por mais bullying e por mais problemas que ele possa estar enfrentando, explodir seus colegas não é solução, né. Taub fez certo mandando as informações pra polícia anonimamente.
2016-06-07 11:27:09


Episodio 7x16 - Nota 9

Essa cena final foi mesmo uma das mais geniais que já vi em séries. Provável que tenha sido a melhor de fechamento de episódio em House. Fiquei aflito. Meu coração quase saiu pela boca quando ele pulou. O Wilson gritando NÃO!, e aí o House exclama BOLA DE CANHÃO! Sério, gargalhei de tão aliviado. Mesmo com os problemas, House provou com essa LOUCURA que ainda pode se divertir. HAHAHA

E aquela pegadinha com o arco e flecha foi uma das melhores que eu vi na vida, gente!!! GENIAL aquele truque! Na hora fiquei pensando: “pronto, ele atingiu o fundo do poço, vai até ser preso”, e aí HAHAHAHAHAHAHA. O carinha quase morreu desesperado, coitado.

Mas preciso confessar: não gostei nada dessa maneira que o House escolheu pra lidar com o término do namoro. Sério, se afundar em Vicodin, que literalmente desgraçou com a vida dele, e convidar mil prostitutas para ficarem com ele... Sei lá. Não duvido do sentimento que ele tem pela Cuddy, mas dá pra colocar em pauta, né. Em vez de tentar reconquistá-la, ele vai e dorme com várias outras no mesmo dia...

E tô muito triste que a relação Huddy tenha chegado ao fim mesmo. Pior é que as coisas entre os dois vão ficar estranhas demais agora – vide a cena em que ela cobra explicações sobre a explosão do coração.

Falando nisso, curti esse caso. Achei ótima a cena da “explosão do coração” em si. E deu pena da Masters. O cara nem soube responder. Poxa!
2016-06-07 19:27:12


Episodio 7x17 - Nota 8.5

Nossa, fiquei chocadíssimo com essa cena final. Nunca na vida esperei uma reviravolta dessas, gente. Tive basicamente a mesma reação da Masters. E engraçado é que o episódio fez até uma “prévia”: foram encontrados 13 pedaços de OSSOS dentro do cara que estava fazendo-o sangrar. E aí no final revela que ele está ligado a 13 assassinatos e que comeu suas vítimas. WOOOOOW. Como imaginar que o problema dele tinha sido causado por uma “dieta canibal”?

Sério, o cara enganou direitinho. Eu mesmo fiquei pensando o episódio todo que ele era irmão do tal Danny Jennings, que tinha sido responsável por sua morte, deserdado e expulso pela família e agora estava pagando seus pecados. NUNCA na vida cogitei que ele pudesse ser um serial killer. Tô muito surpreso mesmo.

Por um momento pensei que o House desistiria de casar com a moça em cima da hora. E não é que ele foi adiante mesmo? A menina parece ser bem legal. Gostei dela. Já sobre a Cuddy: complicado, né? Eu ainda acho que ela deveria ter dado outra chance ao House quando soube do Vicodin e etc, e tudo isso seria evitado. Mas né...

House estava afiadíssimo. Morri rindo com o carrão. Todo mundo morrendo de medo e o Chase era o único que parecia estar se divertindo HAHAHAHA. E o que dizer dos helicópteros de controle remoto? HAHAHAHAHAHA House e Dominika avançando na Cuddy. Ela respondendo que deixam as crianças à vontade!!!

Falaram da doença de Huntington quando estavam diagnosticando o serial killer. O que nos leva novamente à pergunta: ONDE ESTÁ A THIRTEEN? Engraçado que mudaram a abertura nessa temporada e incluíram a Olivia Wilde, mas ela só apareceu em um episódio!
2016-06-08 10:46:06


Episodio 7x18 - Nota 9

Episódio passado eu comentei sobre a Thirteen, por conta da menção à doença de Huntington. Interessante como o roteiro de House sempre antecipa as coisas. Nesse a Thirteen reaparece e a razão pela sua partida foi justamente essa maldita doença. Fiquei muito chocado quando ela comentou que era uma assassina, que tinha matado um homem, que na verdade morreu de overdose usando com ela e tal. Acreditei nessa versão. Então imaginem meu choque quando House descobriu que ela estava falando do irmão e que Thirteen, na verdade, ajudou-o a morrer.

Não dá pra imaginar o que ela está passando desde então... Não deve ser fácil, ainda mais levando em conta que ela sofre da mesma doença e ainda se viu nesse dilema de não ter alguém pra fazer o mesmo por ela, quando a hora chegar. Fico de coração partido porque é um destino horrível (ainda mais levando em conta o estado o qual o irmão chegou). House falando que faria isso por ela foi bastante significativo – e compensou a total falta de emoção quando ela revelou o que fez.

Pelo menos agora a teremos de volta na equipe. Será que a Masters vai continuar? Fiquei até com pena quando ela perguntou “nesta segunda?!” HAHAHAHAHA. Mas né, Thirteen >>>>>>>

BTW: MORTO com o House atirando naquele competidor! HAHAHAHAHA

O caso foi bom. Deu muito nojo da casa desse casal, credo. Até gato morto tinha no freezer? Tipo! Mas olha, eu logo imaginei que a mulher tinha tido abortos, e não infertilidade. Como nenhum dos médicos segeriu isso além da Thirteen? HAHAHA.
2016-06-08 19:18:12


Episodio 7x19 - Nota 9

Eu achei a Masters irritante naquele episódio em que a mãe da Cuddy ficou doente, mas não detestava a personagem como a maioria por aqui. Com a falta da Cameron e da Thirteen, ela trouxe à equipe aquela moral que é necessária, é um tipo um pilar – só que bem mais extrema que as outras duas personagens, não aceitando abrir mão de seus ideais nem que isso significasse a morte do paciente.

Fiquei surpreso por esse episódio em geral, e pela despedida dela, ser basicamente uma ruptura dessa moralidade graças ao House. Ela mentiu inúmeras vezes. Induziu um ataque na paciente só pra seguir em frente com a cirurgia porque ela achava ser o certo... Acho que o roteiro conduziu isso muito bem, foi interessante observar essa transformação em 40 minutos – até porque, acho que na metade do episódio ela ainda estava querendo fazer as coisas certas, como a 10ª punção lombar.

Pensei que ela fosse ficar, mas deu pra entender o ponto dela no final. Fez o que achou certo, mas não estava se sentindo bem consigo mesma. Bem significativo a última cena com You Can’t Always Get What You Want. Ela tropeça na galinha (gargalhei) e depois segue em frente de cabeça erguida, como se tivesse conseguido algo que a impulsionasse verdadeiramente. Foi bonito.

BTW: curti o caso. Fiquei com pena da menina. Apesar de mimada, não deve ser fácil ver seu sonho destruído assim, de uma hora pra outra. E que barra, ein? A vida inteira sonhando com um determinado dia e um mês antes acontece algo que te impedirá de realizar sua vontade. Deu pena.

E por fim: MORRI DEMAIS com essa aposta do House e Wilson. GENTE SOCORRO HAHAHA. A galinha de mentira no escritório do House. Depois o Wilson muito esperto falando pro guarda AHAHA. E eu fiquei chocado com o cachorro pegando a galinha, que horror!
2016-06-09 10:40:34


Episodio 7x20 - Nota 8

Chocado com a Mama Cuddy. Nunca na vida esperei que esse negócio de processar o hospital fosse apenas fachada. Pensei que ela estava fazendo aquilo por ser um pé no saco mesmo – embora seja muito questionável ela arriscar a licença da Cuddy, levando em conta que as conquistas da filha são o que mais a agrada. Fiquei surpreso mesmo. Pena que esse término Huddy parece ser definitivo. O próprio House disse que não tem volta e olha que, se dependesse dele, jamais teriam terminado. Fico triste.

BTW: achei ótima a cena da Mama Cuddy achando os 30 mil dólares muito pouco. E o House sem conseguir falar apenas o I’M SORRY que o Wilson mandou HAHAHA.

O caso principal me deixou muito frustrado. Queria que o rapaz que ganhou na loteria pegasse o cheque de volta, já que aquele filho da puta do primo não merecia merda nenhuma. Fico impressionado com a ganância e ambição das pessoas, e como conseguem ultrapassar todas as barreiras pra conseguir o que querem. O infeliz sabia do amor que o primo sentia pela tal Jennifer, mas em nome do dinheiro, viu a necessidade de contratar uma mulher pra se passar por ela. ARGH.

Ao menos a verdadeira Jennifer apareceu. Impossível não pensar que há certo interesse (ainda mais com a revelação de que ele vai alugar um apartamento pra ela e tal), mas ao menos o cara vai ter seu momento de felicidade que tanto deseja.

MORTO com a pisada da Thirteen no diálogo final. Doeu em mim. E btw, adorei Chase e Foreman nesse episódio. Eles estavam ótimos! hahaha
2016-06-09 18:51:01


Episodio 7x21 - Nota 8

Nossa, fiquei tão surpreso com esses momentos do House injetando droga em si mesmo, que nem sei. Porque até mesmo pra ele, acho que isso ultrapassou algumas barreiras. Daí posteriormente descobrimos que não se trata de heroína, e sim de um remédio – mais precisamente um experimento –, e fiquei um pouco mais aliviado. Ele parou de sentir dor na perna de repente! Dá pra ficar contente, ainda mais quando você vê a dor no rosto dele e o esforço que estava fazendo naquele exercício.

PORÉM, chega esse final bombástico com o rato morto!!! Gente? Dois episódios para o fim da temporada e eu não quero nem imaginar o que pode acontecer com o House. A dor dele parou, mas foi muito desespero usar um remédio que ainda não tinha sido testado em humanos – e que inclusive, já tinha dado muitos problemas com os pobres dos ratinhos. SOCORRO!!

E btw, House nesse episódio simplesmente ligou o foda-se pra paciente, né? Não queria nem saber mais de nada, só se importou com a aposta que fez com o Wilson e etc. Às vezes ele tende a exagerar muito mais que o normal. E fiquei com raiva quando destruiu a mesa do Wilson e partiu para os quadros na parede. Não saber perder é foda (mesmo ele tendo provado que estava certo depois).

E sobre o caso principal: CHOCADO com aquele cara envenenando a menina. Que verme! Tão difícil terminar o relacionamento e seguir em frente, né? Não, tem que tentar assassinato. Ai ai.

PS: Taub e Foreman com aquelas briguinhas foi legal HAHAHA.
2016-06-10 10:33:42


Episodio 7x22 - Nota 9

Mas gente, eu tô pasmo com essas cenas do House operando em si mesmo. Eu li a sinopse do episódio antes de assistir e imaginei qualquer coisa, menos ele tentando extrair o problema que fosse com as próprias mãos. A quantidade de anestesias, o corte na perna que tanto dói. A agonia quando nenhum médico de sua equipe atendeu ao telefone. A palidez. PQP. Não é preciso dizer que o Hugh Laurie deu um show na atuação, né? Monstro demais. Transpareceu perfeitamente a agonia e o desespero do Dr. House naquele momento.

E a Cuddy aparecendo pra ajudá-lo. Pensei que ele iria se impor muito à ideia de levá-lo ao hospital, ainda bem que concordou logo. Tão legal ver que, mesmo já estando distantes, House ainda mantém uma relação legal com a Rachel. E ela bonitinha no final dizendo que gostaria de passar mais tempo perto dele. Ainda não me conformo como a Cuddy decidiu abrir mão do House assim, já que supostamente o amava. Foi rápido demais, uma decisão tão brusca e aparentemente tão sem volta. :/

O plot da Thirteen e do Chase foi ótimo também. Chocadíssimo com a cena de luta dos dois e a violência com a qual ele a empurrou, só pra levar a mulher doente ao hospital. Ainda bem que se desculpou depois, porque foi pesado mesmo – ela ficou até com o pescoço roxo. Quanto ao caso: não entendi muito bem a razão pela qual a mulher estava tendo alucinações. Era só pela culpa? Já que o diagnóstico final não explicou isso, né.

E o plot do Taub teve seu momento também, que foi o final. Gostei do que ele disse pra Ruby, a forma como ele percebeu que quer ter o filho, afinal. Não me importo com as relações dele, até porque sou um tanto indiferente a esse personagem em geral. Mas achei interessante de qualquer forma.

Enfim, gostei que esse episódio fugiu da mesmice e abriu espaço para desenvolver os personagens. Thirteen e seu trauma – gostei da ênfase que deram nela no final, imaginando se o Chase fez algo parecido. E claro, Chase oferecendo ajuda. E o House concordando com o Wilson que “não pode continuar assim”. Vamos ver o que fará para mudar...
2016-06-10 19:21:54


Episodio 7x23 - Nota 8.5

No começo do episódio, com os flashforwards, eu imaginei que talvez House tivesse ficado bastante violento, que tivesse ido pra cima da Cuddy, que tivesse lutado com o Wilson. Alguma coisa do tipo. NUNCA na minha vida eu imaginei esses eventos finais e nunca pensei que o Gregory House seria capaz de algo assim.

E por isso eu fiquei tão decepcionado. Não acho que isso seja “nada comparado ao que ele já fez”. Isso é TUDO. House destruiu a sala da Cuddy onde, momentos antes, QUATRO pessoas estavam reunidas à mesa. E se elas ainda estivessem lá? Ele colocou quatro vidas em risco por puro orgulho. Entendo estar magoado e com raiva pelo abrupto fim do relacionamento com a Cuddy (eu mesmo ainda não entendi como ela colocou um ponto final assim, sem mais nem menos), mas gente? Já pensou se todos os ex-namorados do mundo fizessem algo assim quando descobrem que seus ex-parceiros estão tentando seguir com a vida?

E coitada da Cuddy. Não é como se ela estivesse saindo com o banqueiro há um tempo, né. Foi a primeira vez, sem nenhuma certeza de que o negócio pudesse vingar... Fiquei triste por ela e fico triste por essa ser sua saída. Dentro do contexto, da proposta, até que é compreensível – hello, ela QUASE foi morta. Mas no geral, pela trajetória da personagem, esperava um pouco mais de sua despedida.

O que nos leva novamente ao House. Ele dizendo que estava se sentindo melhor e em seguida FUGINDO pra outro país (provavelmente) para não ter que lidar com as consequências jurídicas do que fez, foi até irônico. Isso é típico dele. Mas tentativa de assassinato, NÃO.

Sobre o restante do episódio: fiquei irritado com a paciente central, mas curti o caso, esse jogo que ela deu pro House e pra equipe. Cada um com seus exageros, né. A mulher retardar o tratamento só pra registrar sua arte em mãos da “melhor equipe de diagnóticos”. Mas enfim...

Enfim, eu não achei esse episódio ruim, longe disso. O “surto” do House pode ter sido anticlimático por conta dos flashforwards iniciais, mas ainda assim foi muito surpreendente porque foi algo extremo até pra ele. E sobre a temporada: foi a mais fraquinha da série, mas não achei muito abaixo da terceira, por exemplo (que até então eu considerava a mais fraca). Não sei bem o que esperar da 8ª e última temporada, e mesmo estando decepcionando com o Dr. Gregory House, já estou sentindo aquele aperto pré-finale.
2016-06-11 10:41:49


Episodio 8x1 - Nota 9

Achei ótimo esse início de temporada. Episódio que só trouxe o House, dentre os personagens principais, e ainda assim funcionou muito bem (exatamente como o 6x01). Já não consigo lidar com o fato de que essa é a temporada final. Restam 21 episódios e não tô pronto pra me despedir. :(

Então Gregory House realmente fugiu pra outro país, só pra não lidar com as consequências jurídicas de seus LOUCOS atos no final da temporada passada. Gente do céu. Mas curti que ele retornou e se entregou. E por mais louco que seja, achei bom ele abraçar essa ideia de ir pra cadeia e se punir pelo o que fez – não contratando o advogado e etc. Afinal, foi muito grave, né. Mesmo ele argumentando que viu que não tinha mais ninguém na sala e que sabia que a Rachel não estava lá, NADA no mundo justifica aquilo. Por mais magoado que estivesse.

Além disso, toda a tensão nesse episódio provocada pela gangue de retardados foi eficiente. Dá pra ficar com muita raiva. Aquele velho safado se achando dono da porra toda querendo cobrar 20 cápsulas de Vicodin como uma “taxa de saída”. Pior foi quando House tomou cinco comprimidos, dos 20 que já tinha conseguido, e jogou todo o restante no vaso. Fiquei tipo WHAAAAAAAAAAAT?

Sorte dele que teve paciência com aquele colega de sala e o cara foi defendê-lo quando ele precisou de ajuda, né. BTW, House tendo que tratar de um grilo HAHAHAHAHA foi ótimo. Só é uma pena que, pra provar que estava certo acerca do caso, ele ultrapassou os limites e ganhou mais tempo na cadeia. Poxa!

Falando no caso: gostei que mesmo “afastado”, ele se envolveu. Gostei daquela médica e como ela desafiou seu atendente CHATO junto com o House, conseguiu salvar o rapaz!

Enfim, foi um ótimo episódio. Vamos ver quanto tempo vai levar pro House conseguir sair...
2016-06-13 10:34:34


Episodio 8x2 - Nota 9

Fiquei um tanto decepcionado quando o Foreman surgiu como o novo reitor de medicina no Princeton-Plainsboro. Porque, como já vimos em vários episódios das temporadas anteriores, o Foreman não lida bem com poder, a ambição sobe demais à cabeça dele. No entanto, a primeira impressão que ele me deu aqui foi o contrário e fiquei bem satisfeito. Porque ele mostrou que realmente se importa com o House e, mesmo estando acima dele agora no hospital, não ficou esbanjando e se sentindo grande coisa com isso, como já fez antes. Espero que essa temporada limpe então essa imagem ruim que eu tenho do personagem quando ele é promovido. O primeiro passo foi dado e eu fiquei satisfeito.

E o House sai da cadeia. É chocante vê-lo usando uma tornozeleira de condicional e etc, mas fazer o que, né. Dei risada com as reações dele ao ver as mudanças no hospital. Me incomodei com a mudança de escritório, ele tendo que trabalhar naquele cubiculo. E ADOREI a Dra. Choi Park, achei ela bem carismática e fofinha – a forma como ela disse que agrediu o atendente de neurologia foi muito engraçada, mesmo os motivos sendo bastante sérios. Que bom que House conseguiu ao menos parte do escritório de volta. E ele questionando onde Chase, Thirteen e Taub irão sentar (espero que não exclua a Park) foi muito amorzinho. Espero vê-los já no próximo.

Aquele “eu não gosto de você” do Wilson doeu em mim. Embora ache que o Wilson tem suas razões em querer se afastar – já que o House fez MUITAS COISAS questionáveis dentro da amizade desde o início da série –, o bromance deve falar mais alto. Achei maravilhoso ele indo dar o soco no House pra poder seguir em frente, e depois perguntando sobre ir jantar e tal. QUE LINDO. Não é à toa que a música da amizade deles é My Heart Will Go On HAHAHAHAHA.

O caso foi bem legal também. Me deixou atento, conseguiu cativar e foi bem conduzido. Sério, eu tô gostando de tudo. Até o visual do House, com esse cabelo um tanto mais comprido. E não tô conseguindo lidar com o fato de ser temporada final. Restam 20 episódios e já tô querendo chorar.
2016-06-13 19:19:18


Episodio 8x3 - Nota 8.5

Esse início de temporada tá sensacional, ein? Tô adorando muito cada detalhe. As piadinhas do House e o comportamento dele. Os novos personagens. Os casos. Até agora curti todos e com esse aqui não foi diferente – ainda mais por trazer o eterno Michael Scofield como paciente, né. HAHAHAHAHA

Achei bem interessante e envolvente a narrativa. Realmente o roteiro conseguiu atiçar a curiosidade acerca do altruísmo do cara ser real ou um sintoma de sua doença. Eu até queria que fosse uma coisa real mesmo, fiquei meio triste quando me dei conta que era diferente. Mas é verdade, né: fazer um pouco de caridade não faz mal, porém também acho que família vem em primeiro lugar. Tirar dos filhos assim... E a esposa argumentou bem: “quero que ele goste de mim mais do que gosta dos outros”.

Demorei uma eternidade pra reconhecer a Dra. Adams. Só no finalzinho do episódio, depois de muito quebrar a cabeça, foi que me dei conta de que ela era a médica da prisão. Fiquei até surpreso por ela ter perdido o emprego, já que sua artimanha com o House acabou salvando a vida daquele paciente. De qualquer forma, foi bem legal mesmo vê-la trabalhando na equipe e as brincadeiras com a Dra. Park foram ÓTIMAS. House se aproveitando e mandando consertar o carro pra Adams pagar sem saber que é dele HAHAHAHAHAHA.

E a Thirteen, gente! MARAVILHOSO vê-la de volta, pena que foi por pouco tempo. Achei muito bonito mesmo o House percebendo a vida que ela quer ter ao lado da namorada e dispensando-a da “obrigação” de estar no hospital. Preferia que não chegasse a esse ponto, mas ok, né. Mesmo que ela não retorne, adoraria se ela participasse de vez em quando dos episódios. Afinal, estamos na temporada final. Agora só resta o retorno do Chase e Taub.

- House cortando o cabelo! HAHAHAHA Mas confesso que estava adorando o visual anterior dele.
- Wilson bem espertinho fugindo do próprio conselho pelo rim do paciente, né. HEHE
2016-06-14 10:45:22


Episodio 8x4 - Nota 8.5

Eu gosto muito da Park. Acho ela uma personagem ótima, bem sutil, bem na dela, mas que tem peito pra enfrentar o House. Prova que tamanho não é documento e que a pessoa não precisa ser gigante pra dar um soco em outra – ainda mais no caso dela, em que foi apalpada pelo médico atendente. Não tenho o que reclamar. A interação com o House tá muito boa e ele já se apegou a ela, a ponto de fazer aquele espetáculo porque sabia que daria certo a favor dela.

Além disso, quão ótimo foi a Park toda preocupada com a aposta e indo pedir conselhos para o Wilson? HAHAHAHA Ele também foi muito maravilhoso fazendo a outra aposta pelas costas do House, mesmo este último já tendo seu próprio plano pra que ela não fosse embora. Que amorzinho.

Dra. Adams também não deixa em nada a desejar. Fiquei feliz por ela entrar definitivamente para a equipe e adorei o House permitindo que ela destruísse todos os equipamentos da ortopedia, pra descontar sua raiva. Ele falando novamente sobre o retorno do Chase e Taub: ATÉ QUE ENFIM! Espero que já apareçam no próximo.

Aliás, ÓTIMO que House finalmente recuperou todo o seu escritório. Eu mesmo já estava ficando louco com aquele barulhinho insuportável do aparelhinho pra remover o gesso, sem falar que estava achando aquela equipe médica muito chata também. Muito provocativa. TOMA! As loucuras que o House fez pra conseguir o dinheiro! Até uma máquina de 200 mil dólares ele roubou!

Nunca pensei que iria gostar do Foreman numa posição acima do House. Até agora ele demonstrou que aprendeu com seus breves erros naquela época que Cuddy o colocou à frente do departamento de diagnóstico. Melhor assim.

O caso foi bonzinho apenas. Acho que os três anteriores foram bem mais interessantes.
2016-06-14 19:04:13


Episodio 8x5 - Nota 9

FINALMENTE Chase e Taub deram às caras. Fiquei tão feliz com o retorno dos dois, que nem sei. E o time está maravilhoso. Gosto demais da Park e Adams e acho que os quatro interagiram muito bem – além do House estar amando muito a sua nova equipe, né. Adorei ele fazendo joguinho entre “old team” e “new team”, com o time mais antigo obtendo vantagem, que amor.

Adoráveis as filhinhas do Taub. Pensei que ele fosse acabar vendo o resultado dos testes. Gostei muito da firmeza dele em relação a isso. Se já ama as meninas como suas, um teste de DNA não vai fazer esse sentimento de paternidade ir embora. E particularmente acho que as duas são filhas dele, sim. Não acho que aquela enfermeira que ele estava namorando ia mentir sobre isso, muito menos a Rachel.

Gostei do caso. Fiquei chocado com as revelações do paciente pra todo mundo que gostava dele, em especial a final, assumindo o crime e etc. Pensei que fosse verdade mesmo, ainda bem que era só um sintoma fazendo-o admitir ter cometido crimes que não tinha feito. Pensei que no final ele fosse dizer que o caso era real, mas né. Cada um com sua consciência.

A reforma na sala do House foi sensacional. Eu nem tinha reparado que Wilson e House poderiam ter uma parede em comum, já que sempre tive a impressão que o escritório deles ficavam distantes, em corredores diferentes e etc. MORRI rindo com a cara do Wilson quando percebeu o que House tinha feito HAHAHAHAHA. E a reação da equipe? Todo mundo sentado no sofá esperando uma grande reforma e é isso!!

Chase rei demais, cada vez mais lindo e maravilhoso. E o Foreman tá ótimo também. House fazendo ele ficar no hospital por quatro dias sem estar fazendo absolutamente nada HAHAHAHAHA.

Como eu amo House! < 3
2016-06-15 10:54:11


Episodio 8x6 - Nota 8.5

O caso ficou muito pesado mesmo quando House descobriu qual era o problema do jovem e como ele tinha sido causado. Sério, fique chocado, depois senti repulsa e uma raiva imensurável do infeliz... Não consigo nem imaginar como aquela mãe se sentiu quando soube que, talvez, tivesse que pedir ajuda ao verme para salvar a vida do filho. De início eu tinha pensado que ela tinha sido extrema demais ao mentir sobre a morte do pai (alegando a bebedeira, já que isso é algo que eventualmente a criança saberia lidar), mas depois da bomba, é absolutamente compreensível.

Ainda mais levando em conta o fato do menino não entender o que o crápula (não um pai) tinha feito, e logo ter esquecido. Ela foi uma verdadeira mãe ali, visando na felicidade do filho, protegendo-o de uma memória realmente ruim. Fiquei satisfeito pelo Taub não ter contado a verdade, a causa da sífilis, porque isso cabe à mãe. Já sobre ela, bem difícil opinar. Isso destruiria completamente a vida do menino, justamente aquilo que ela queria evitar quando mentiu. Então, né, bom continuar assim mesmo.

Não entendi uma coisa: a Rachel e aquela enfermeira não sabem que o Taub está com duas filhas recém-nascidas? Ou elas sabem que ele engravidou duas mulheres ao mesmo tempo? Não lembro de terem dado essa informação, acho que deixei passar. Questiono porque achei muito irônico os nomes serem Sophie e Sophia. Tudo bem que elas, individualmente, nada têm a ver com a filha da outra, né. Mas nossa! E a Rachel decidindo chamar de SOPHIE a SOPHIA HAHAHAHAHA.

BTW: também gostei do Taub se posicionando e não aceitando a mudança da filha. Independente de passar o dia inteiro com ela ou somente algumas horas, ele é pai e é importante estar por perto. Não é justo ele ficar sem a menina só porque a ex quer mudar de cidade pra agradar o namorado...

No mais: tô adorando a cumplicidade do Chase com o House. Ele fazendo ligação de vídeo pro House ouvir a “confissão” da Adams HAHAHAHAHA. E o Wilson, coitado! Esse tipo de comportamento certamente definiria o fim da minha amizade com qualquer pessoa. Mas é o House, né. Wilson já está acostumado, tanto que continuou assistindo como se nada tivesse acontecido. Que sacana! HAHAHAHAHA. Foreman muito maldoso também.

BTW²: Pra mim ficou nítido que o House só bebeu a “urina” daquele paciente da clínica porque ele sabia que era suco de maçã. Antes de ingerir, reparem que ele sentiu o aroma por pelo menos cinco segundos. Um suco tem cheiro de suco, né gente. Nunca que ele ia beber o negócio assim. HAHA.
2016-06-15 19:28:55


Episodio 8x7 - Nota 9

Os casos dessa temporada estão superiores, ein? Até agora só teve um que eu ache menos interessante, o resto conseguiu me prender de uma forma, que nem sei.

Começando pelo principl, o da menina: fiquei chocadíssimo quando perceberam que a menina estava passando por psicose. NUNCA imaginei isso. Pensei que ela tinha mesmo um namorado, pensei que ele tinha aparecido no hospital e a agredido. E pensei que ela fosse estúpida o suficiente pra deixar o cara sair impune. Quando House percebeu o problema, fiquei realmente impressionado.

Além disso, deu pena também. 14 anos e a menina já estar em depressão a esse ponto. Tem o fato de lembar do acidente que tirou a vida do pai, e de achar que ela é culpada por estar chorando no momento da batida... Complicado demais. Ainda bem que, no fim das contas, eles descobriram a causa dos sintomas e ela começou a melhorar.

O segundo caso conseguiu ser ainda mais interessante que o primeiro, porque o House demonstrou um comportamento muito mais humano (mesmo com seus exageros, como quando enfrentou a mãe do menino no hospital). Esperei ele dizer “dead” quando o pai perguntou sobre o corpo do menino, e não “peaceful”. E as expressões dele diante do cara, visivelmente abalado com tudo, foram de compaixão.

Deu raiva do marido da ex-esposa quando foi pra cima do House. Olha só, se não fosse a determinação dele, a mulher provavelmente perderia seu segundo filho, já que também estava sendo afetado pelo gene. Muito triste a cena dessa descoberta, com ela finalmente desabando e falando com o ex-marido sobre sentir falta do filho deles e tal. Inimaginável o quanto tudo isso deve ser doloroso.

No mais: a cena do Foreman dizendo que ia mandar o House pra cadeia porque “ele precisa saber quem está no comando” foi a primeira vez que senti raiva dele nessa temporada. Ainda bem que o Wilson estava na sala e jogou a real logo. Foreman nunca vai conseguir controlar o House porque ele é incontrolável por natureza. Ele pode gerenciá-lo. Mandar o cara pra cadeia por salvar duas vidas, e porque é preciso mostrar quem é o “chefe”, é o cúmulo da burrice. Ainda bem que voltou atrás.

E o Chase aparecendo na TV HAHAHAHAHAHA. MORRI RINDO.
2016-06-16 10:40:41


Episodio 8x8 - Nota 8.5

Morri demais com essa aposta do House e Wilson. O Wilson preso numa rede dentro do apartamento. A tentativa de prender o House na rede também, e o plano B trancando-o no banheiro. HAHAHAHAHAHAHA. Gostei. O revólver poderia ser de brinquedo, mas Wilson venceu a aposta porque, no fim das contas, o House possui uma arma – a esposa do pai falecido.

Acho que o Chase poderia justificar sua escolha de trabalhar com o Taub alegando que o conhece há mais tempo, que eles conhecem o método um do outro e etc, do que afirmar que a Park é estranha. Ela é adorável, não merece ser deixada de lado. Além disso, achei engraçado ela chamando o Chase pra sair no finalzinho. Também creio que não seja com segundas intenções, acho que ela só está querendo criar laços. Mas poderia ter convidado a Adams também, que estava junto com eles...

Taub, como sempre, inconveniente. Só porque ele foi adúltero, não quer dizer que deva mandar os outros destruírem casamentos alheios. Mas pior que a dica dele, foi o Foreman decidindo ir atrás da mulher casada nesse final. Sério mesmo? De tantas mulheres solteiras que existem e que ele pode tentar conquistar, vai atrás daquela que já está comprometida? Decepcionado.

No mais: o caso foi bem ok mesmo, outros dessa temporada foram bem melhores.
2016-06-16 21:08:38


Episodio 8x9 - Nota 8.5

Já perdi as contas de quantas vezes essa série fez algum tipo de menção ao Brasil e à língua portuguesa. E eu sempre amo quando acontece. O paciente falando fluentemente foi maravilhoso e o House conseguindo entender, e traduzindo o que o paciente estava dizendo pra esposa. HAHAHAHA muito legal.

E o caso em geral foi triste, né. Acho essa doença Alzheimer tão infeliz, que nem sei. Ver a degradação mental de uma pessoa, perdendo suas memórias, sua própria identidade, esquecendo quem são aqueles que significam algo. Fiquei ainda mais triste quando a esposa do cara comentou que ele ficou doente um ano após o casamento, e que perdeu mais do que conheceu nesse período. Poxa...

Só fiquei surpreso com o “moving on” da mulher e aquele “amigo”. Tipo, de tantos outros momentos que ela poderia escolher pra fazer isso, decidiu ir transar com o cara quando o marido estava no hospital com outra doença que os médicos não estava conseguindo identificar? Coragem, ein? Minha consciência nunca deixaria, mas enfim.

Olha, eu nunca gostei tanto do Foreman como tô gostando nessa temporada. Tô achando realmente incrível como ele tá conseguindo lidar bem com sua posição superior à dos outros, já que ele foi muito mesquinho quanto a isso em outras temporadas. E as desavenças com o House estão ótimas, porque ele não leva tão a sério assim. O lance dos cartões foi engraçado e eu morri rindo com o CUDDY DARK HAHAHAHAHAHAHA. Só o House mesmo, socorro!

E Foreman decidindo pela remoção da tornozeleira. AMO.

No mais: MORTO com a Park deixando no ar se dormiu ou não com 30 homens na universidade. E achei muito lindinho o Chase ligando pra irmã depois de ANOS, pra saber como ela estava e etc. Mas se bem que, pelo relato dele, foi ela que deixou de procurá-lo por supostamente culpá-lo pela morte da mãe, né.

Só fui reparar que o Taub não apareceu nesse episódio por conta dos comentários. Nem senti falta.
2016-06-17 10:47:40


Episodio 8x10 - Nota 8.5

Ai, eu fiquei com muita raiva do Taub quando ele surgiu no início do episódio falando que as filhas são “entediantes” e etc. Ora, o que ele espera que um bebê faça? Palhaçadas pra ele ficar rindo o tempo todo? Mas que bom que no fim, encontrou uma forma de se conectar com elas, ao invés de ficar reclamando e reclamando. Não é todo mundo que tem jeito com criança mesmo. O Chase, por exemplo, tem. E a cena que ele teve com elas, fazendo careta e brincando, foi maravilhosa demais.

O caso foi bom. Realmente fugiu daquele habitual clichê da criança que foge de casa e etc – apesar de ter sido pelo motivo da bebedeira. Essa personagem da Bridgit Mendler me surpreendeu justamente por sua atitude, por ser determinada. E o final me surpreendeu. Não pensei que ela fosse acabar fugindo novamente e a justificativa que deu foi válida pra mim (embora eu ache que as pessoas podem mudar sim, se desejarem).

Foreman muito bobo querendo ficar com a Anita pela adrenalina de ser um “caso”. Credo. Tem gente com cada fetiche, que vou te contar, ein. E adorei a resposta que o House deu pra ele no final do episódio, sobre Foreman não mancar quando este afirmou que não era como o House. Só o Foreman mesmo pra negar isso.

No mais: MORRI DE NOJO do caso da clínica, na cena dos dois irmãos vomitando juntos no balde. Sério, que coisa mais horrível! Médico tem que ver e passar por cada coisa, que vou te falar, ein. HAHAHAHA.
2016-06-17 20:11:14


Episodio 8x11 - Nota 10

Muito boa a dinâmica desse episódio. Abriu com o horror da sala do hospital com sangue espalhado por todo o lado e aderiu a uma fotografia bem mais escura que o tradicional (algo já usado em outros episódios), tornando a situação mais sombria e aumentando a tensão do público acerca do que aconteceu. Por conta da ausência do Chase durante as entrevistas com a equipe, logo desconfiei que ele tinha sido vítima de alguma coisa. E isso, claro, não eliminou o choque a surpresa de vê-lo com aquele bisturi enfiado no peito.

Fiquei arrepiado até a alma quando ele caiu, como se já estivesse morto, os olhos abertos, sem nenhum tipo de reação. E o desespero? Fora o House, Chase é provavelmente o personagem que mais amo nessa série e, ao lado do Foreman, é aquele que está presente desde o 1x01. Eu não conseguiria lidar se decidissem dar um fim ao personagem agora. O que não impediu os roteiristas de serem crueis e fizeram-no adquirir essa deficiência nas pernas – e torço pra que ele se recupere prontamente com a fisioterapia.

A condução do episódio foi exemplar (em Grey’s Anatomy tivemos um episódio semelhante, que é um dos melhores da série). Fiquei tenso, apreensivo, curioso e temeroso o tempo todo. Foi muito bom ver o Taub tentando defender o House, uma vez que Dr. Cofield (Beetee de Jogos Vorazes!) já parecia ter uma opinião formada acerca da culpa pelo incidente. A Adams também ficou na defensiva – embora isso possa ser atribuído à culpa que ela estava sentindo. Só a Park é que parecia estar querendo colocar tudo nas costas do House.

Essa análise fica comprovada na cena em que todos se reúnem para ouvir o veredito do Dr. Cofield: Taub puxa uma cadeira e senta-se ao lado do House. Adams faz o mesmo. Foreman fica um tanto afastado (o emprego dele está em jogo) e Park fica em pé, mas perto da equipe. Achei muito interessante mesmo toda essa abordagem.

Sabia, aliás, que o Dr. iria tomar uma decisão desfavorável ao House. Ia ferrar com todo mundo, se não fosse a esposa do paciente aparecendo pra agradecer o diagnóstico que acabou salvando a vida dele. Imaginem se ela não vem...

E pra finalizar: fiquei MUITO curioso com o plano final, mostrando o Chase agarrado ao corrimão daquela “esteira” tentando andar. Remeteu a um plano parecidíssimo desse mesmo episódio, focando na mão do House agarrada à bengala. Quero ver se, no fim da série, isso vai fazer algum sentido.
2016-06-17 20:27:52


Episodio 8x12 - Nota 9

Antes tarde do que nunca, né. Chase realmente mereceu esse episódio só pra ele – melhor ainda que foi incluso logo após o episódio do ataque que ele sofreu, dando mais profundidade aos dilemas do personagem. E achei tudo muito válido e muito bem conduzido.

Deu pena dele desesperado pra fazer algum tipo de conexão, e com essa ideia fixa na cabeça de que cometeu algum erro e etc. Chase se apaixonou muito rapidamente pela moça (muito mesmo), rolando até “eu te amo” e essas coisas, fiquei surpreso. O diálogo que teve com House pouco antes do término do episódio foi decisivo e muito significativo. Chase não cometeu erros: ele foi esfaqueado, e eventualmente vai conseguir lidar com isso de uma forma melhor. O que, aparentemente, já começou a acontecer levando em conta essa cena final maravilhosa.

Foi bom vê-lo sem muletas. Reparei que Chase ainda está mancando, bem levemente, e não pude deixar de pensar nos planos que comentei no episódio passado (o foco na mão do House segurando a bengala, e depois em outra cena, na mão do Chase no corrimão da “esteira”). Pode ser coisa da minha cabeça, claro, mas chegando o fim da série, só consigo imaginar que isso vai ter um significado profundo – por exemplo, estaria Chase caminhando pra se tornar um novo House? Mas ainda restam 10 episódios, vamos ver o que nos reservam até lá.

No mais: dei risada com House fazendo guerra com o Taub. Ele ficou tão frustrado por não conseguir pegá-lo que pagou o guarda pra fazê-lo! HAHAHAHAHA Taub adulterando a arma de água foi sensacional.

Enfim, um dos melhores episódios. Não quero que a série acabe. :(
2016-06-18 19:58:13


Episodio 8x12 - Nota 9

Eu já sei hahaha
2016-12-11 10:23:27


Episodio 8x13 - Nota 8

O caso acabou ficando de segundo plano mesmo. Não achei tão interessante assim, tivemos outros bem melhores. Esse negócio da testosterona e etc, não foi algo que conseguiu me prender.

Valeu mesmo pelo plot do House. Embora eu nem lembrasse mais da existência da Dominika, gostei muito da interação dela com ele nesse episódio. Adorei a sessão de fotos com a Park no escritório. Wilson assumindo depois para auxiliá-los durante a entrevista do governo HAHAHAHAHA. E adorei que eles conseguiram convencer o cara facilmente no apartamento, pena que tenha dado errado depois.

Acho que o Wilson poderia ter comentado na hora que aquele vizinho chegou, que ele era um primo, ou um sobrinho, e alegasse que ele tinha um problema de memória HAHAHAHAHA. Mesmo se o cara não acreditasse, acho que ficaria engraçado.

E no fim fiquei surpreso pela decisão de permitir que Dominika continue no país, com a condição de que viva com o House e com a promessa de que eles podem ser surpreendidos em qualquer momento. Será que a partir disso, a relação dos dois pode evoluir? Porque né HAHAHA.

Quanto ao lance da posição do Foreman dentro da equipe: sabemos muito bem que é apenas um “título”. Nunca enxerguei o Foreman como alguém acima dos outros em todos os anos em que foi considerado um superior. Foi até patético naquele episódio em que o House mandou o Chase contratar uma nova médica pra substituir a Thirteen, o Foreman revoltadinho porque achava que era uma tarefa pra ele apenas e tipo, não. Então levando isso em conta, quem merece a posição é o Chase porque é o mais velho dentre todos ali. Em segundo, o Taub. Não que Park e Adams não mereçam, mas elas acabaram de chegar enquanto os outros dois já possuem anos de experiência com o House. Se for pra decidir, tinha que ser entre eles.

Enfim. Foi um bom episódio de qualquer forma.
2016-06-20 11:00:44


Episodio 8x14 - Nota 8.5

Que amorzinho essa participação do Michael B. Jordan na série. Gostei do personagem e achei o caso bem interessante – além, é claro, de ficar bastante penalizado com a situação médica, já que ele foi piorando e piorando, correu o risco de perder a audição também e etc. No início do episódio eu pensei que House fosse descobrir algo que estaria bloqueando sua visão, fiquei até decepcionado por não dar em nada HAHAHAHAHA. Mas enfim, curti que ele decidiu ficar com a Melissa mesmo. Tão bonitinha, seria muito injusto se ele a deixasse assim, sem mais em menos.

Porém o ponto alto do episódio foi a Park drogada. MORRI com ela imaginando Chase e Adams como coelhos. E o melhor: Taub como fada! HAHAHAHAHA Vou demorar pra esquecer aquela imagem dele voando, com aquele sorrisinho no rosto. SOCORRO! E curioso o fato do House ser apenas o House na alucinação dela.

Já estava me perguntando se nunca conheceríamos realmente o pai biológico do House. Assim que o velho apareceu na cama da Mamãe House no início, eu já matei que era ele. Mas não esperava essa reviravolta no fim. A reação do House, falando sobre a mãe não ser uma chata no fim das contas HAHAHAHAHA. Mas será que ele vai descobrir quem é seu pai biológico? Faltam apenas 8 episódios... Se bem que é o House né. É só investigar a fundo e ele consegue o que quer.

Enfim, foi um ótimo episódio. Aprofundaram e desenvolveram o House um pouquinho mais e isso é sempre muito bem-vindo.
2016-06-20 18:47:12


Episodio 8x15 - Nota 8

House não me enganou nem por um segundo. E é uma surpresa que ele tenha conseguido fazer isso com o Chase eventualmente, já que eles trabalham juntos há muito mais tempo. Porque é verdade: se House estivesse realmente doente, ele jamais permitiria que alguém descobrisse se ele não quisesse. E a forma como a equipe chegou à conclusão de que os rins estavam falhando, de que ele estava perdendo suas habilidades e etc foi FÁCIL DEMAIS HAHAHAHAHA.

É por isso que ele é genial mesmo. Suas pegadinhas sempre funcionam e sempre são eficientes. Eu só não entendi como o Chase descobriu a farsa através daquele copo. E pela resposta que o House deu a ele no final, o raciocínio do Chase foi por água abaixo também, né? Porque ele justificou seus atos com “você queria que eu contasse ao Foreman, pois queria saber se alguém iria se pronunciar se House realmente perdesse suas habilidades”. Mas aí House responde, “se fosse o caso, seu apartamento não estaria cheio de ratos agora”. Houve uma punição. Então isso indica que House realmente só queria saber quem iria denunciá-lo?

E sobre o caso: também achei bem mais ou menos, a temporada apresentou outros muito mais interessantes. Só gostei mesmo quando o irmão resolveu revelar a verdade sobre os documentos, sobre ter alterado a razão pela qual o pai morreu e etc. Não imagino como deve ter sido decepcionante saber que a pessoa que você idolatrava na verdade jamais existiu.

E preciso comentar: quando essa temporada começou, tava dando pra sentir aquele gostinho amargo de uma pré-despedida. De uns dois episódios pra cá, isso meio que se foi – o que acaba sendo irônico, já que restam apenas 7 episódios, né. Só espero que os produtores tenham preparado uma coisa digna e acima de tudo, marcante, para os episódios finais. E mesmo não estando sentindo no momento que House está chegando ao fim, já sinto falta. Muita.
2016-06-21 11:10:19


Episodio 8x16 - Nota 8.5

Esse é o episódio 170 da série e não é que o House conseguiu me enganar? Mesmo eu tendo estranhado o comportamento do menino – o fato da mãe nunca aparecer, aquele momento muito forçado em que ele diz pro Wilson que o ama e etc –, não imaginei que pudesse ser realmente uma artimanha do House. Fiquei muito surpreso no final. Continuo me surpreendendo com a inteligência do House. Usou a memória de tantos anos antes, do Wilson dizendo que seria um erro terrível se a tal da Beth estivesse grávida, e montou um plano magistral HAHAHAHAHAHA.

Interessante ver como a base de amizade do Chase e Park foi construída. E dei muita risada com as cenas dos dois nesse episódio – tirando alguns momentos excessivos de “ele quer dormir ela, ela quer dormir com ele” e etc, porque não acharia muito legal se eles realmente se pegassem. Seria bizarro mesmo! E ele tão fofo querendo se relacionar com a família dela, porque ele mesmo não tem isso. Ai, Chase :(

O caso foi bem interessante também – mais pelo desempenho do Taub. Achei tão legal ele tirando conclusões através da epifania, que é o que sempre ajuda o House em quase todos os casos. Aliás, muito bom ver como Taub amadureceu nessa temporada, após o nascimento das meninas. Tô gostando.
2016-06-22 19:30:32


Episodio 8x17 - Nota 8.5

Eu bem comentei no episódio em que House e Dominika receberam a visita do consulado, que talvez eles fossem se aproximar agora que teriam que viver juntos até o green card dela sair. E não é que aconteceu isso mesmo? Emily falando que os dois possuem sentimentos um pelo outro e que estão ignorando. WOW. Mas não sei bem como me sinto sobre isso. Acho a Dominika bem carismática, mas não a conheço o suficiente pra estabelecer uma torcida para o casal.

Além disso, acho que o House condenou qualquer relação que eles pudessem ter ao jogar a carta no LIXO! Porque eventualmente ela vai descobrir, creio eu que eles devem ligar caso não recebam resposta, ou fazer uma visita e etc. BTW, por que House jogou no lixo? Ele poderia ter guardado dentro de um livro pra mostrar depois ou algo assim. Descartar a carta assim...

Adorei demais a Park com o Micah – participação do Patrick Stump. A cena final com os dois cantando foi muito bonitinha e shippei sim! Prefiro que ela fique com ele e que as insinuações de sexo entre ela e o Chase PAREM de vez, porque né, seria a coisa mais bizarra do mundo.

E falando em Chase: fiquei surpreso com ele dispensando a Adams no final. Achei sensato. Tava na hora mesmo de deixar pra trás essa vida de “pega todas” na primeira oportunidade que tem, né. Também é melhor que fiquem como amigos.

O caso me surpreendeu. Acho que a cena do procedimento médico realizado na boneca Amy foi uma das mais interessantes da temporada, justamente por ser muito incomum. Fiquei com pena do paciente, falando sobre como ele não quer passar pelas coisas que ocorrem dentro de um relacionamento e etc. E achei triste que ele não consiga enxergar aquela amiga dele, da mesma forma que ela o enxerga. Tá tão fácil e ainda assim ele prefere o inanimado. Poxa. :/
2016-06-22 19:46:02


Episodio 8x18 - Nota 9

Eu gosto da Park, mas acho essa frescura que ela tem com sexo, com atração e etc, MUITO, mas MUITO chato mesmo. Nada a ver ela ficar incomodada porque as pessoas não ficam contentes ao saber de sonhos de sexo e coisas do tipo. Além disso, esse negócio de “eu não vou dormir com Chase, Chase não vai dormir comigo” já foi falado TANTAS vezes nesses últimos episódios que não tô aguentando mais ouvir. Tá repetitivo demais e já se tornou desinteressante.

A ideia de fugir do óbvio (Chase e Adams, por exemplo) não soa ruim. Mas Chase funciona com a Park apenas como amigo mesmo. Eu mesmo achei muito bizarro aquele sonho que ele teve, e não sei como lidaria se fosse de verdade. Acho que isso já deu. Sou muito mais a Park ir atrás do Micah, e o Chase ficar sozinho por um tempo, pra encontrar seu lugar no mundo, do que juntarem os dois.

Sabia que Dominika descobriria logo sobre a mentira do House. Mas honestamente, acho que ela foi um pouco exagerada na reação – ainda mais se os sentimentos que ela tem por ele são reais. Ele cometeu um erro, mas não foi visando no mal pra ela, né. Aparentemente ela nem quis ouvir explicações. Arrumou as coisas e foi embora, sendo que ele foi crucial nessa jornada pra conseguir a cidadania americana. Mas enfim, ao menos não deu tempo de gostar dos dois como casal...

Enfim temos o caso da temporada envolvendo religião e achei tão interessante quanto os anteriores. Que coisa a Adams ter descoberto qual o problema justo quando o avô do menino estava fazendo aquele exorcismo todo. E também achei meio WTF a família preferindo dizer pro menino que ele tinha um espírito maligno e não um problema sério. Independente de fé, eu acredito que o remédio curou o garoto, e não um exorcismo.

Mas o baque do episódio mesmo foi essa notícia do Wilson no final. Sério, na hora que ele falou “eu tenho câncer” todo sério, e emendou com o tipo, fiquei com os olhos marejados e com uma vontade louca de chorar MEEEEESMO, tamanha minha conexão emocional com o personagem. Socorro. Já tô com muito medo do que tem pra acontecer. Ainda mais levando em conta o título da Series Finale. :(
2016-06-22 19:58:29


Episodio 8x19 - Nota 10

House provou nesse episódio aquilo que todos nós enxergamos, mas que ele tenta desesperadamente esconder: sua humanidade e o quanto se importa com o Wilson. Ele largou o trabalho, o caso e tudo pra ficar ao lado do amigo perante uma decisão de tratamento tão radical e inconsequente. E como se não bastasse, abriu mão de seus próprios remédios, preferindo ficar com a dor que sente há anos, só pra ver o Wilson sofrer mais do que o necessário. Isso é um brotp, amigos. Isso é uma amizade verdadeira. House foi malvado com Wilson muitas e muitas vezes, tomou decisões e atitudes que facilmente interromperia a relação dos dois. Mas que ele se importa, isso ninguém pode negar.

E falando em Wilson: fiquei com o coração na mão por toda essa situação. A alucinação que ele teve com o menino de 8 anos e todo o sofrimento durante esse tratamento. Não é fácil. Ele implorando pro House não levá-lo ao hospital pois não queria morrer lá, implorando pra ele prometer não fazê-lo. Não sei nem o que dizer. Só fico aqui na torcida pra que Wilson se recupere, para que esse tumor realmente diminua, porque olha...

BTW: House sendo maravilhoso demais com as fotos de surpresa pro Wilson no final. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA MORRI RINDO e foi bom pro Wilson também! EU AMO ESSE BROTP.

No mais: gostei muito do caso do episódio. Achei a menininha adorável e uma excelente atriz. Gostei da mãe e do pai também – inclusive achei bem interessante a cena em que jogam na cara um do outro coisas que sabem e não sabem a respeito da menina. E fiquei com pena da mãe porque ela, obviamente, adoraria saber qual a professora preferida, o desenho favorito da filha. Mas precisa lidar com esse problema de saúde além deste que a levou ao hospital.

Além disso, foi ÓTIMO ver o Chase meio que assumindo o “comando” também. Ele teve um desenvolvimento incrível no decorrer da série e se tornou um médico exemplar. Minha teoria de que ele irá se tornar um novo House da vida aumenta a cada episódio, desde aquele em que foi esfaqueado. É de ver.
2016-06-23 19:14:40


Episodio 8x20 - Nota 9

Começando pelo Chase: não sei bem como me sinto com ele deixando o hospital dois episódios antes do final da série. Mas realmente, a justificativa foi mais que satisfatória. Comentei no episódio passado o quanto ele cresceu como profissional e fico feliz por finalmente ter enxergado esse potencial em si mesmo nesse episódio. Ele decidindo que precisa andar com as próprias pernas. Foreman comentando que já estava na hora. Foi bem legal de ver mesmo e fiquei orgulhoso. Só espero que ele não deixe de aparecer nos próximos dois episódios. E agora, com essa decisão de querer ter sua própria equipe e etc, sigo firme e forte com a teoria de que ele se tornará um novo House, mas veremos.

Aliás, esse caso principal foi MUITO bom. Não entendi a razão da raiva do Taub pelo paciente. Achei muito interessante que ele consegue identificar as causas da morte e como os médicos poderiam ter evitado. E se ele faz as denúncias, não tem nada de errado justamente porque evita novas mortes. Então, Taub, menos!

Enfim, foi bem conduzido, foi uma boa evolução do Chase e foi muito bom ver o paciente reconhecendo que aquele trabalho não foi o House – já que ele só tinha confiança nele. Enfatizando, mais uma vez, a competência do Robert Chase. AMO.

BTW: gostei de saber que a Cameron tá comandando uma ER em Chicago!

House e Wilson viajando juntos foi DEMAIS! Gostei desse Wilson mais “rebelde” (morri rindo com ele dizendo que mentiu sobre House poder dirigir). Morto com ele batendo o carro de 75 mil dólares (!!!) e abandonando-o na estrada. A cena dos 2kg de carne foi muito boa também. E por fim, deu pena do relato do Wilson no ônibus, sobre o medo que está sentindo e etc. House dizendo que “pode viver sem Kyle”, implicando que não pode ficar sem o Wilson, foi lindo.

O que nos leva a esse final que me deixou desesperado de uma maneira, que nem sei. Pela expressão do House, acho que é correto prever que ao invés de dimuir, o tumor do Wilson aumentou de tamanho. NADA justifica essa expressão de choque e medo no rosto dele além disso e sério, eu não tô preparado. A série já voltou a dar aquele gostinho de despedida que tinha perdido uns quatro episódios atrás e estou na depressão pré-finale. E em negação. E com medo do que foi preparado para os nossos personagens... Não quero que acabe. :(
2016-06-23 19:29:27


Episodio 8x21 - Nota 10

Caramba, tá tudo muito pesado. Mesmo com alguns excelentes momentos de descontração, já que House não perde a brincadeira nunca, é impossível se livrar daquela sensação de despedida, que tudo está no fim...

As situações entre House e Wilson me destruíram, literalmente. Aquele momento do Wilson chorando no carro e pedindo pro House ser amigo, estar lá pra ele, dizer que o ama e etc. Não consegui segurar minhas lágrimas e House ficou com os olhos marejados. Complicada as situações. Porque por um lado, Wilson quer se livrar de qualquer tipo de dor e opta pelo tempo mais curto, pra evitar sofrimento. House se frustra porque não quer perder o amigo, sabe que ele pode viver por mais dois anos ao menos, e não aceita sua decisão...

E aquela cena em que House grita com Taub no corredor? “Life is pain! I wake up every morning, I’m in pain. I go to work in pain. You know how many times I wanted to just give up? How many times I thought about ending it?”. PESADÍSSIMO. E ao mesmo tempo tão verdadeiro que, realmente, chega a doer. Mas não consigo julgá-lo.

Exceto, talvez, na cena em que tentou matar o paciente, que me deixou horrorizado. Acho que ali House ultrapassou todas as barreiras, foi muito além. E que ironia: a Park precisando bater na cabeça de seu segundo supervisor.

No meio disso tudo, tivemos os momentos cômicos que aliviaram mais esse clima pesado. Honestamente, estava quase chorando na cena do refeitório com todos os “pacientes” do Wilson aplaudindo-o e incentivando-o, e aí ele percebe que foi armação do House. HAHAHAHAHAHAHA Nem desconfiei.

Daí chegamos aos momentos finais. Já estava doloroso o bastante saber que o Wilson vai morrer de uma forma ou de outra, já que decidiu seguir com a decisão de não tomar nenhum medicamento. Então chega esse advogado investigando, Foreman dizendo que House terá que cumprir sentença pelos próximos SEIS meses. PQP! Olha o que a brincadeira acabou causando. NÃO CONSIGO LIDAR.

No mais: gostei do caso principal, caminhou perfeitamente com a emoção do plot principal e também fiquei muito tocado quando a mãe do rapaz mostrou as outras fotos do filho que faleceu.

BTW: muito bom ver Thirteen de volta. Não tô preparado pra series finale. :(
2016-06-24 19:11:08


Episodio 8x22 - Nota 10

Impossível descrever tudo o que eu senti assistindo essa Series Finale. Foi triste. Foi linda. Foi coerente. Poética. Digna do fantástico Dr. Gregory House e que fechou essa série genial da forma mais satisfatória possível.

Eu já gostava muito da amizade House e Wilson, dese Brotp maravilhoso. E com esse final, eles certamente se tornaram o melhor Bromance que eu já vi em séries. O que House fez pelo Wilson nesses últimos episódios foi uma prova genuína do amor, do carinho e da gratidão que ele sentia desde sempre – e independente de algumas atitudes maldosas no decorrer da série. Ora, ele largou tudo! Absolutamente tudo. A vida, a carreira. O nome de peso. E tudo pra passar cinco meses memoráveis ao lado de seu melhor amigo. De fato, uma verdadeira prova de amor.

E claro, um plot twist inteligentíssimo que só o Gregory House seria capaz de realizar. Confesso que desabei quando houve a explosão do prédio. Foi tão real que até ignorei os sinais de que poderia ter sido forjado – o fato de encontrarem só um corpo no prédio, quando o paciente também estava lá e etc. E quando Wilson recebeu aquela mensagem de “shut up, you idiot”, quase explodi de felicidade.

Lindo essa sequência final que fechou definitivamente a série. Fico triste por saber que Wilson eventualmente vai acabar morrendo de câncer, mas satisfeito por optarem por mostrar ele curtindo verdadeiramente a vida antes disso acontecer. E House ao seu lado. É amor demais reunido.

No mais: gostei muito de rever o Kutner e a Amber, achei maravilhoso trazerem eles de volta no subconsciente do House. Cameron rainha demais nas alucinações, com todas as coisas que “ela” disse ao House, e fiquei muito surpreso por ver que casou mais uma vez e inclusive tem um filho agora. Contente por ver que ela conseguiu seguir em frente e é feliz. Thirteen linda demais, ela falando que nunca vai esquecer House dizendo que iria matá-la HAHAHAHA. E o Foreman no final percebendo que House estava vivo no fim das contas.

Chase, literalmente, se tornou o novo House. Também estou satisfeito por ver que as dicas sutis que os produtores jogaram nos episódios anteriores, e que eu consegui captar, tornaram-se verdadeiras. E fiquei mais orgulhoso ainda, ele merece. Cresceu muito como profissional, como apontei no 8x20. E vi aqui também que os sintomas que constam no quadro da paciente que ele está tratando são os mesmos daquela que o House tratou no primeiro episódio da série. AMEI MUITO.

Só faltou uma participação da Cuddy mesmo. Será que a atriz não foi convidada pra retornar, ou será que recusou? Ela poderia ter aparecido ao menos no funeral.

Enfim, maratonar House foi uma das melhores decisões que fiz esse ano. Série fantástica, genial assim como seu protagonista. O Dr. Gregory House é realmente inesquecível e um dos personagens mais bem escritos de todos os tempos – soma-se a isso uma excelente interpretação de Hugh Laurie do início ao fim.

Everybody lies. Everybody dies.
2016-06-24 19:33:51



Obs:Precisa de mais de 5 comentarios para aparecer o icone de livro no seu perfil. Colaboradores tem infinitos icones de livrinhos, nao colaboradores tem 5 icones de livrinho do perfil

Scavo

Copyright© 2019 Banco de Séries - Todos os direitos reservados
Google+ | Índice de Séries A-Z | Contatos: | DMCA | Privacy Policy
Pedidos de Novas Séries